sexta-feira, 9 de setembro de 2022

Em agosto, valor médio da Cesta Básica cai em seis das oito cidades pesquisadas

Depois de sucessivos aumentos, preço do leite UHT começa a desacelerar.

O valor médio da cesta de consumo básica de alimentos de agosto/22 reduziu em relação ao mês anterior em seis das oito capitais analisadas mensalmente pela plataforma Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE. A queda no valor da cesta variou de -3,0% a -0,4% e, nas duas cidades onde houve aumento, as variações foram de 0,6% e 0,7%, em níveis inferiores aos verificados nos últimos meses. 

As cidades que registram altas foram Salvador (0,7%) e Curitiba (0,6%). Já Belo Horizonte e Fortaleza registraram as maiores quedas, com -3,0% e -1,2%, respectivamente. 

A cesta mais cara, apesar de queda em relação ao mês anterior, continua a ser a do Rio de Janeiro (R$ 895,97), seguida pelas de São Paulo (R$ 889,00) e Fortaleza (R$ 794,07). Por outro lado, as capitais Belo Horizonte (R$ 635,72), Manaus (R$ 659,16) e Brasília (R$ 711,12) registraram os menores valores. 

 

No mês de agosto, foi observada uma desaceleração na alta de preços dos alimentos. Dos 18 produtos da cesta básica, somente a manteiga apresentou aumento em todas as capitais. 

Outros produtos que apresentaram aumento de preços em diversas capitais foram frango, frutas, ovos, farinha de mandioca, massas alimentícias e leite UHT, dentre outros listados nas tabelas abaixo.  

  

O destaque do mês foi a manteiga, seguindo a trajetória de alta dos derivados do leite.  

O Leite UHT deu uma trégua em três cidades, tendendo a reduzir o preço com o fim do período de entressafra e o aumento da oferta.   

Seguindo a inflação do frango, causada pela alta do milho usado na ração animal, os ovos também apresentaram aumento de preço, como substituto de proteína no prato do consumidor. 

Após a queda no preço médio em junho, as frutas, pelo segundo mês consecutivo, apresentaram alta, devido ao aumento do custo de produção e ao clima desfavorável.  

Já o preço das massas e do pão tem sido impactado em virtude do aumento internacional do trigo, decorrente da guerra entre Ucrânia e Rússia, que são grandes exportadores do produto.  

Dentre os produtos que registraram queda de preço na maioria das capitais, destacam-se o óleo de soja, feijão e café em pó e em grãos. Por fim, os legumes, em especial a batata e a cenoura, apresentaram redução de preço seguindo tendência verificada em julho.  

  

A variação acumulada no valor da cesta básica, nos últimos seis meses, foi diferente entre as capitais, variando de 6,4% no Rio de Janeiro e alcançando 13,9% em Salvador. 

  

O gráfico a seguir mostra a trajetória do valor da cesta básica, por capital. 

 

Os alimentos que mais subiram de preço nos últimos seis meses, em todas as capitais, estão apresentados na tabela a seguir. O leite UHT e derivados são o destaque. 

 

Quando se considera a cesta de consumo ampliada, que inclui bebidas e produtos de higiene e limpeza, além de alimentos, houve um aumento no valor médio em duas capitais analisadas, Fortaleza e Curitiba. A queda no valor da cesta nas demais cidades variou de -4,4% a -0,3%. A cidade que apresentou valor mais alto da cesta ampliada foi São Paulo (R$ 1.885,60). 

 

Dos 33 produtos da cesta ampliada, cinco tiveram aumento de preço em todas as cidades, com destaque para derivados do leite. 

 

 

Em suma, o mês de agosto de 2022 traz uma leve desaceleração nos preços de alguns alimentos, em especial daqueles que vinham sendo considerados, recentemente, os vilões da inflação, como é o caso dos legumes, café em pó, feijão e óleo de soja. 

 

Sobre a Cesta de Consumo HORUS & FGV IBRE 

A HORUS Inteligência de Mercado (https://www.ehorus.com.br/) e o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas - FGV IBRE (https://portalibre.fgv.br/) se uniram para lançar a plataforma Cesta de Consumo. O serviço monitora a variação de preço de duas cestas de consumo típicas brasileiras pela análise da leitura mensal de mais de 35 milhões de notas fiscais: a Cesta de Consumo Básica, que conta com 22 alimentos básicos com maior presença nas compras do shopper, e a Cesta de Consumo Ampliada, contendo mais de 50 produtos de consumo, incluindo bebidas e itens de limpeza, higiene e beleza.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário