segunda-feira, 7 de agosto de 2017

UMA DITADURA DE VERDADE

UMA DITADURA DE VERDADE

         A história nos mostra que tivemos, no mundo, inúmeros governos totalitários. Tanto de esquerda como de direita, estes sistemas criaram ditaduras terríveis, todas embasadas em fatos reais, e não somente na “seletiva memória” de alguns tipos lobotomizados.
         O totalitarismo nada mais é do que a intervenção do Estado em todos os segmentos da vida pública e privada, com o uso indiscriminado da autoridade, através da força.
         Assim aconteceu com o nazismo – na Europa dos anos 30/40 – e, mais recentemente em Cuba (num regime falido que, inacreditavelmente, perdura há mais de 50 anos) e na Venezuela (desde a época do início do Chavismo, até hoje), só para citar dois exemplos clássicos no Caribe e América do Sul.
         Como a DITADURA num país limítrofe merece – por óbvio – mais importância na nossa análise, vamos a ela neste artigo de opinião.
         A Venezuela foi considerada, até 30 anos atrás (e falo da década de 90), a nação mais rica da América do Sul. Seja no quesito economia; seja na qualidade de vida da população. São fatos indiscutíveis, e conhecidos por qualquer pessoa minimamente acultura e esclarecida.
         Até que, a custa de um populismo barato e de intensa propaganda dirigida aos mais pobres, um partido de ideologia socialista, comandado pelo finado Hugo Chavez, com o apoio (financeiro e nebuloso) da “fina flor” do bolivarianismo (leia-se, Lula, Dilma, Fidel Castro, Kirchner, além de outras figurinhas menos importantes), conseguiu chegar ao poder e – na base da total incompetência gerencial (à exceção do patrimônio próprio dos seus chefes, que nunca parou de crescer) – levou á bancarrota aquele país, o maior produtor de petróleo da América do Sul.
         Comprovando a máxima de “que Deus dá nozes a quem não tem dentes”, os bolivarianos da Venezuela conseguiram a proeza de, não só acabar com a rica e forte estrutura da nação, como levar o caos – através da fome e de uma violência desmedida – a todo o país.
         O resultado está aí e só não enxerga quem é muito fanático e parcial (ops, fiz uso, sem querer, de uma redundância gramatical): uma população sem sequer ter o que comer e é tratada sob uma feroz DITADURA que anda de mãos dadas com o mais perfeito exemplo de um sistema totalitário  
         Esta VERDADEIRA DITADURA que – se comparada aos governos militares do Brasil (1964/1985), faria da nossa, uma VERDADEIRA (e mui democrática) DITAMOLE – terminou impondo as regras de interesse do seu comandante e, com extrema violência e absoluta intolerância, ataca aos opositores com prisões ilegais e assassinatos em série.
         Para quem ainda insiste em não acreditar – ou faz de conta que esqueceu – só um exemplo: o governo Médici terminou com 82% de aprovação popular. Isto no tempo em que os institutos de pesquisa eram confiáveis. Que horror foi a DITADURA MILITAR no Brasil!
         Mas, o pior, é que existem políticos tupiniquins (muitos, sendo alguns importantes e outros, mero coadjuvantes) que não se cansam de aplaudir e endeusar o implacável DITADOR NICOLÁS MADURO, em uma cumplicidade que independe de provas para ser demonstrada de forma evidente e clara.
         É a realização do velho sonho bolivariano, aquele onde o povo vira refém e dependente dos governantes, que, por sua vez, não tem o pudor para viver como “nababos” e amealhar fortunas pessoais que deixariam o Neymar Jr. no chinelo.
         Exatamente o sistema de governo que gostariam de implantar aqui no Brasil: primeiro desarmando a população; depois implodindo a família, os valores morais, e semeando ódio entre as classes; para terminar lançando a rede de dependência populista sobre os mais pobres.
         Vamos permitir este plano diabólico?
         Ou vamos nos dar conta que a VERDADEIRA DITADURA é aquela que querem colocar no nosso caminho?

         Se a população deixar, o próximo seriado que vamos assistir não será “os anos eram assim”, mas “o futuro será assim”.   

2 comentários:

  1. O que está acontecendo lá ,acontecerá aqui se continuarmos usando as urnas fraudáveis. Sem essas urnas poderemos fazer a faxina necessária para retirar criminosos do poder. Quem deu vida a Lula foi FHC, portanto podemos desconfiar que Dória está aí para ser o "poste" de FHC. Todo cuidado é pouco! Lula, FHC,Temer, PSOL,PCdoB,PDT,REDE,deixem o povo em paz!!!

    ResponderExcluir
  2. Descrição perfeita da situação atual da Venezuela e do futuro que nos espera caso o Lulaladrão volte ao poder. Precisamos, hoje, de uma pessoa do nivel de AUGUSTO PINOCHET, que salvou o Chile de uma situação semelhante a da Venezuela de hoje.

    ResponderExcluir