domingo, 5 de março de 2017

Juiz federal Lauersen fala sobre o assassinato de Masahiro Hatori

O juiz federal Daniel Luersen esteve neste sábado no Rio Grande do Sul para velar o corpo do primo, na cidade de Estrela. Leuersen trabalha em Blumenau, SC.

Leia o que ele escreveu sobre o caso, segundo texto disponível nas redes sociais sobre o assassinato de Masahiro Hatori, estudante de Doutorado morto brutalmente por bandidos que queriam roubar sua mochila na tarde de sexta-feira. 

Dos filhos deste solo és mãe gentil, pátria amada?

Quantos anos de estudo, dedicação, trabalho duro e renúncia aos mais simples divertimentos da vida são necessários para se obter um doutorado neste país?

Quanto o país e, por consequência, o povo brasileiro investe para que um conterrâneo nos dê o orgulho de alcançar o grau de doutor em alguma faculdade?

Muitos saem de famílias humildes, de condições apertadas, e com muito sacrifício e suor essas famílias conseguem ver seu filho formado e progredindo na área que escolheu.

Um doutor em física por exemplo. Com certeza não conheço nenhum. Deve haver pouquíssimos no país.

Sabe aqueles senhores e senhoras que falam sobre os mistérios do universo ou sobre foguetes espaciais nos documentários do Discovery Channel?

É esse tipo de pessoa. Alguém com potencial, capacidade e inteligência o suficiente para criar alguma tecnologia que irá revolucionar e ajudar milhões de brasileiros e, talvez, a própria humanidade.

Creio que já é possível de se ter uma boa ideia do que estou falando.

Pois bem, uma dessas pessoas foi retirada de nossa sociedade por causa de uma mochila.

Impiedosa e sumariamente executado com um tiro na cabeça.

Tive a oportunidade de acompanhar, ainda que de longe, desde sua infância, o desenvolvimento da pessoa em questão.

Um excelente cidadão, que só acrescentaria à sociedade.

Brutalmente assassinado em Porto Alegre, nesta última sexta feira. Uma morte sem sentido algum.

A pessoa em questão era meu primo, Massahiro Hatori, prestes a se tornar Doutor em Física pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Filho de pai japonês e mãe descendente de alemães.

Quantos de nossos filhos, ó pátria amada, ainda precisarão morrer?

Descanse em paz. No solo desta pátria (mãe gentil?). Que Deus te receba e que de lá de cima tu possas iluminar e inspirar jovens a seguir teu exemplo.


Que essa morte cruel não tenha sido em vão. Que ajude a despertar e iluminar as pessoas a encontrar soluções efetivas para um dos problemas mais graves da atualidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário