segunda-feira, 8 de julho de 2019

Artigo, Glauco Fonseca - Triplo G


O jornalista Glenn Greenwald, que mora no Brasil e é casado com o Deputado Federal David Miranda, suplente de Jean Wyllys, é editor-chefe do site The Intercept, que tem um capítulo brasileiro. Este site, algumas semanas atrás, começou a disparar supostas conversas hackeadas criminosamente entre o então Juiz Sérgio Moro, Deltan Dall’Agnol e outras autoridades públicas que comandam a Operação Lava-Jato.

Também já é sabido que até agora nada pegou no Juiz Moro, porque os diálogos vazados não apresentam ilegalidades, imoralidades ou tampouco desvios éticos ou profissionais. O hoje Ministro Sérgio Moro já foi ouvido em comissões no Senado e na Câmara Federal nas últimas duas semanas, tendo sido atacado violenta e vergonhosamente pelos criminosos do PT e de partidecos como PSOL e PC do B. Moro jamais baixou o nível e sempre saiu das audiências muito maior do que entrou.

O site The Intercept está tendo apoio da mídia petista (quase toda...), mas principalmente da famigerada Folha de São Paulo. Ainda não desistiram de derrubar o Juiz Moro com a única intenção de tentar invalidar a Operação Lava-Jato no que diz respeito ao presidiário mais imundo e perigoso do Brasil, o velho Lula do Guarujá, de Atibaia, do Instituto, do BNDES, da Zelotes, do Petrolão e de tantos outros crimes que quase liquidaram com o país inteiro. A ideia de Greenwald e sua patota de desvairadas é, em síntese, soltar o Fernandinho Beira-Mar deles.

Para piorar a situação da Triplo G (Gang do Glenn Greenwald), surgiu no firmamento um hacker do bem (whistleblower), de nome Pavão Misterioso, que escancara cópias de telas com supostas trocas de mensagens no aplicativo Telegram entre o marido de Greenwald, o negro-mais-branco-do-Brasil David Miranda, o ex-deputado Jean Wyllys, o deputado Federal Marcelo Freixo e o jornalista multipremiado no Festival de Nova Bréscia, Leandro Demori. Os hackeadores foram, por fim, hackeados.

As telas com as mensagens são de arrepiar. Nos diálogos, Jean Wyllys, que supostamente teria vendido seu mandato a Glenn e/ou David Miranda, reclama sem parar de não ter recebido todo o dinheiro que deveria ter sido pago por ou através de “Amor”, apelido carinhoso de Glenn dado por seu marido David. Wyllys argumenta estar sem dinheiro, pois teria recebido 280 mil e quitado seu apartamento europeu. David Miranda teria envolvido o Deputado Federal Marcelo Freixo para ajudar a transferir dinheiro a Wyllys e até o famoso (e pouco apreciado) Paulo Pimenta surge como amigo de um doleiro argentino. Tudo muito sujo, criminoso e ilegal. Isto tudo, claro, se forem verdadeiras as mensagens distribuídas pelo Pavão Misterioso e posteriormente por outras fontes.

A trama foi escancarada neste domingo, com tanto sucesso que Twitter veio a suspender a conta do Pavão, como se isto pudesse barrar o já lançado “stream” de informações. Não surpreende que o Twitter, dirigido aqui no Brasil por uma petista dos quatro costados, tenha tirado o Pavão do ar. Duvido que tenha havido sequer um telefonema por parte dos “incomodados”. O Twitter deve ter tomado a iniciativa, supostamente.

Portanto, em sendo verdade o que constam nas mensagens, a turma do Glenn é muito mais suja e criminosa do que imaginávamos. Tudo, portanto, a caráter quando se trata do envolvimento desta gente com o PT e com tudo de ruim que ele significa. A Polícia Federal tem trabalho pela frente. Daqui a pouco vão identificar que hackers, apoiados por dinheiro sujo, junto com jornalistas inescrupulosos e bandidos, mais a presença sempre notória de políticos de esquerda, estão por trás até mesmo de Adélio Bispo.

Tudo isto, é claro, supostamente. E bota supostamente nisso.

mailto:glfonseca@outlook.com
e-mail: mailto:glfonseca@terra.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário