sexta-feira, 22 de novembro de 2019

Artigo, Fábio Jacques, especial para este blog - Alguém para odiar.


Sei que muita gente discorda, mas me considero uma pessoa pacífica, amante dos seres humanos e dos animais, principalmente dos cachorrinhos, e que deseja sempre o bem de todos e a felicidade geral.
Acontece que às vezes me sinto insatisfeito com este meu espírito benevolente e lembro que, para efeito de equilíbrio mental, eu não deveria apenas amar as pessoas. Acho que deveria, também, odiar algumas delas.
Descobri uma forma simples de encontrar, nos momentos ociosos, alguém para odiar. E vou ensinar a tática que uso para estimular instantaneamente os meus sentimentos de ódio.
Ligo a televisão, seleciono o canal da Globo News e imediatamente satisfaço minha necessidade de odiar alguém. Se coincidir com os comentários do Otávio Guedes,a reação odienta se exponencializa.
Se tem, para mim, uma criatura escrota é este cara.
Não tem um comentário dele que não seja parcial, ideológico e contrário a qualquer coisa feita pelo governo, pelo Bolsonaro, pelos filhos dele, pelos seus ministros ou por qualquer pessoa ligada a ele.
As palavras dele são sempre depreciativas.
Flávio Bolsonaro não apresentou recurso junto ao STF e sim, “tentou melar a investigação”.
Os raciocínios dele são sempre enviesados.
“Bolsonaro é incoerente porque para ele o voto tem que ser em cédulas de papel, mas quer que as assinaturas para a formação de seu partido sejam eletrônicas”. Eu nunca vi o Bolsonaro defender cédula de papel, e sim o voto eletrônico impresso dentro da própria urna. Além do que não vejo qualquer ligação entre voto e inscrição partidária.
“O Aliança pelo Brasil, é um partido familiar formado por uma bolha de extrema direita que nada tem a ver com os princípios da direita e sim com as ideias radicais do Bolsonaro”. Só não disse quais ideias radicais.
A Globo News, em geral é odienta.
Por exemplo, hoje uma grande manchete foi que 32% dos empreendedores negros tiveram crédito negado sem qualquer explicação. Por acaso a Globo News mandou algum repórter verificar junto aos bancos se realmente o crédito foi negado sem qualquer explicação? Por acaso foram verificar o porquê de 68% terem conseguido crédito também sem qualquer explicação? Foram pesquisar qual o percentual de rejeição de crédito para empreendedores brancos?
Aliás, quando se trata de negros tudo se torna discurso ideológico.
Muito mais negros são assassinados do que brancos, mas não interessa quantos negros assassinam outros negros e qual é o percentual relativoà quantidade de brancos assassinos de negros. A polícia mata mais bandidos negros, mas qual é o percentual de bandidos negros que entram em confronto com a polícia? E mais policiais negros são mortos por bandidos como se na hora do tiro os policiais brancos fossem substituídos por policiais negros.
Não há qualquer interesse em analisar com maior profundidade estes fenômenos sociais. O importante é colocar o negro como vítima da maioria branca opressora tendo como pano de fundo o atual governo federal. “A sociedade tem uma enorme dívida social para com os negros”. Por quê? A maioria da população brasileira atual tem, como se diz popularmente, um pé na África.Mas isto não interessa. O que importa é a cor da pele porque ela serve de bandeira ideológica.
Numcomentáriono Jornal da Globo News,a apresentadora e âncora Aline Midlej que também é negra, disse que os brancos não podem esquecer que a humanidade iniciou na África porque os primeiros povos migraram do Vale do Rift (esclarecimento meu) para o resto do mundo, o que aumenta o débito dos brancos para com os negros.
Epa! Deixa-me entender.
Se a humanidade se iniciou na África, significa que todos somos de alguma forma africanos e, portanto, vítimas. De quem não sei. Talvez dos Alienígenas do Passado.
E, poderíamos concluir que se somos todos afrodescendentes, temos igualmente direito às cotas sociais. Que loucura.
Mas não posso dizer que todos os apresentadores, comentaristas ou repórteres da Globo News me suscitam o ódio. Tem um que é diferente, superior, e, apropriadamente, se trata de um apresentador negro: Heraldo Pereira.
Nunca vi um comentário parcial ou ideológico por parte dele. Sempre me pareceu corretíssimo. Ele, para mim, é um exemplo de jornalista muito culto e muito sério que venceu na vida independentemente da cor da pele. Um verdadeiro gentleman.
Fiz estas poucas divagações sobre alguns dos muitos exemplos de viés ideológicopor parte da Globo News, dando um rápido mergulho na negritude porque também tenho meu pé na África. Meu tio e padrinho, de saudosíssima memória, foi o negão Jorge. E mesmo que não fosse, há 5 milhões de anos algum parente meu saiu da África para conquistar o mundo.
Nós, seres humanos, somos todos, de alguma forma, africanos. Portanto, está mais do que na hora de deixarmos de lado este execrável viés ideológico e buscarmos juntos soluções para os problemas sociais independentemente da cor da pele do ser humano marginalizado.
A Globo News, por seu lado, não deixa de ter um grande mérito. Promove, com grande maestria, o equilíbrio emocional das pessoas ajudando-as a exercitarem compulsoriamente o ódio. Basta assistir à sua programação diária.
O autor é diretor da FJacques - Gestão através de Ideias Atratoras e autor do livro “Quando a empresa se torna Azul – O poder das grandes Ideias”.
www.fjacques.com.br -  fabio@fjacques.com.br
Whatsapp: 9725 6254



5 comentários:

  1. Fui durante anos assíduo telespectador da Globo News. Sempre considerei o jornalismo desta TV bom e muito equilibrado. Com a eleição do Bolsonaro senti uma mudança significativa no jornalismo. Eles destilam ódio. Parei de assistir a Globo News.

    ResponderExcluir
  2. ...então ODIAR A GLOBO SE TORNOUY UMA IDÉIA ATRATORA...

    ...PARA SE EQUILIBRAR PRECISA ODIAR...

    Tem hora de falar e hora de calar.

    ResponderExcluir
  3. Prezado Jacques.
    ter raiva de alguém é o mesmo que tomar veneno, achando que é o outro que vai morrer.
    Proponho fazer o que fiz, há muito tempo: mude de canal - E NUNCA MAIS VOLTE A ELE!!

    ResponderExcluir