sexta-feira, 4 de maio de 2018

Copa da Rússia 2018: saiba quanto custa e dicas de viagem

O brasileiro que pretende ir para Rússia durante a Copa do Mundo de Futebol vai precisar ter muita paciência. Não há opções de voo diretos de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo para Moscou. Os viajantes terão que escolher um local de parada na Europa (ou Estados Unidos) para a conexão: o país dependerá da companhia aérea solicitada: Paris, Amsterdã, Lisboa, Zurique, entre outras opções. O tempo de viagem pode ficar em torno de 13h a 16h, em voos com apenas uma parada. O preço para uma passagem de ida em junho e retorno em julho, atualmente, está variando entre R$ 2600 e R$ 3500, na classe econômica - saindo de Rio ou São Paulo.

É PRECISO VISTO?
- Turistas brasileiros não precisam de visto para ter sua entrada na Rússia permitida. O Brasil tem um acordo com a Rússia que permite, desde 2010, que seus nativos possam visitar o país europeu e lá permanecer por até 90 dias, com passaporte válido.

DESLOCAMENTO INTERNO
- Para poder curtir a Copa do Mundo e investir em ingressos, além de permitir seu deslocamento, o torcedor deve pensar bem onde se hospedar em cada sede. As opções são mais variadas, obviamente, nas grandes cidades - mas a oferta em todas as cidades que receberão jogos deve aumentar na época do Mundial.

TÁXI E CARROS PARTICULARES
- O uso de táxi também pode ser uma peculiaridade na Rússia, se comparado a outros países europeus. Na realidade, a função de transporte de passageiros é dividida por táxis oficiais (com os tradicionais letreiros em cima) e por carros particulares, mas não só por meio de aplicativos como o Uber (que também é usado no país). Para conseguir um carro para levar ao destino desejado, basta o passageiro fazer sinal na rua e esperar que alguém pare.

TRANSPORTE PÚBLICO
- Metrô: As cidades em que o metrô pode ser uma ótima opção para deslocamento são justamente as duas maiores da Rússia: Moscou e São Petersburgo, que oferecem uma grande malha de estações. Entre as sedes da Copa ainda há outras cidades que possuem metrô, mas com malha menos abrangente: Kazan, Níjni Novgorod, Samara e Ekaterimburgo.
- Ônibus e bondes elétricos: nos locais em que o metrô não traz opções diversificadas, as alternativas podem ser as linhas de ônibus e até mesmo bondes elétricos, os Trams, que ainda podem ser encontrados até mesmo em grandes cidades, como Moscou.

COMIDA TÍPICA
- A Rússia possui uma vasta variedade de saladas em sua culinária, sejam elas com legumes, maionese, frango... As sopas também fazem parte da alimentação no país, com destaque para a Borsh, feita com beterraba. Outro artigo popular da culinária local é um bolinho de carne moída chamado kotleti. Os peixes também são populares no país, assim como raviólis doces (vareniki) e salgado (pelmeni). Os russos são conhecidos por seu gosto apurado para bebidas alcóolicas e pelo alto consumo de vodka, bebida feita com trigo. Mas há outras bebidas populares o país, como a cerveja báltica e uma feita com água, mel e levedura. Para quem não é adepto do álcool, o Kvass é uma ótima opção: uma espécie de refrigerante à base de trigo.

RESTAURANTES
- Nas grandes cidades, como Moscou e São Petersburgo, há uma boa variedade de restaurantes. Além de culinárias consagradas como italiana, japonesa e asiática no geral, as cozinhas ucraniana e georgiana são populares na Rússia. Como em qualquer lugar do mundo, há opções para todos os bolsos para os turistas se alimentarem em meio à Copa do Mundo. Obviamente, o torneio deve inflacionar um pouco os preços em suas sedes, como aconteceu no Brasil, principalmente nas maiores cidades e nas regiões próximas aos estádios. Uma solução econômica sempre são os fastfoods, que também podem trazer uma noção do preço da alimentação no país. Uma refeição com sanduíche, batata frita e refrigerante sai por 350 rublos (R$ 20,20).

TELEFONIA E INTERNET
- É bom comprar um chip russo para usar durante a estadia no país. Além de evitar gastos inesperados com o serviço de roaming, ter um número russo permite a utilização de aplicativos locais, que pedem a confirmação através de SMS. Há três grandes operadoras na Rússia.

PASSAGENS BRASIL - RÚSSIA
- Não há opções de voo diretos de cidades como Rio de Janeiro e São Paulo para Moscou. Os viajantes terão que escolher um local de parada na Europa (ou Estados Unidos) para a conexão: o país dependerá da companhia aérea solicitada: Paris, Amsterdã, Lisboa, Zurique, entre outras opções. O tempo de viagem pode ficar em torno de 13h a 16h, em voos com apenas uma parada. O preço para uma passagem de ida em junho e retorno em julho, atualmente, está variando entre R$ 2600 e R$ 3500, na classe econômica - saindo de Rio ou São Paulo.

É PRECISO VISTO?
- Turistas brasileiros não precisam de visto para ter sua entrada na Rússia permitida. O Brasil tem um acordo com a Rússia que permite, desde 2010, que seus nativos possam visitar o país europeu e lá permanecer por até 90 dias, com passaporte válido.

DESLOCAMENTO INTERNO
- Para poder curtir a Copa do Mundo e investir em ingressos, além de permitir seu deslocamento, o torcedor deve pensar bem onde se hospedar em cada sede. As opções são mais variadas, obviamente, nas grandes cidades - mas a oferta em todas as cidades que receberão jogos deve aumentar na época do Mundial.

TÁXI E CARROS PARTICULARES
- O uso de táxi também pode ser uma peculiaridade na Rússia, se comparado a outros países europeus. Na realidade, a função de transporte de passageiros é dividida por táxis oficiais (com os tradicionais letreiros em cima) e por carros particulares, mas não só por meio de aplicativos como o Uber (que também é usado no país). Para conseguir um carro para levar ao destino desejado, basta o passageiro fazer sinal na rua e esperar que alguém pare.

TRANSPORTE PÚBLICO
- Metrô: As cidades em que o metrô pode ser uma ótima opção para deslocamento são justamente as duas maiores da Rússia: Moscou e São Petersburgo, que oferecem uma grande malha de estações. Entre as sedes da Copa ainda há outras cidades que possuem metrô, mas com malha menos abrangente: Kazan, Níjni Novgorod, Samara e Ekaterimburgo.
- Ônibus e bondes elétricos: nos locais em que o metrô não traz opções diversificadas, as alternativas podem ser as linhas de ônibus e até mesmo bondes elétricos, os Trams, que ainda podem ser encontrados até mesmo em grandes cidades, como Moscou.

COMIDA TÍPICA
- A Rússia possui uma vasta variedade de saladas em sua culinária, sejam elas com legumes, maionese, frango... As sopas também fazem parte da alimentação no país, com destaque para a Borsh, feita com beterraba. Outro artigo popular da culinária local é um bolinho de carne moída chamado kotleti. Os peixes também são populares no país, assim como raviólis doces (vareniki) e salgado (pelmeni). Os russos são conhecidos por seu gosto apurado para bebidas alcóolicas e pelo alto consumo de vodka, bebida feita com trigo. Mas há outras bebidas populares o país, como a cerveja báltica e uma feita com água, mel e levedura. Para quem não é adepto do álcool, o Kvass é uma ótima opção: uma espécie de refrigerante à base de trigo.

RESTAURANTES
- Nas grandes cidades, como Moscou e São Petersburgo, há uma boa variedade de restaurantes. Além de culinárias consagradas como italiana, japonesa e asiática no geral, as cozinhas ucraniana e georgiana são populares na Rússia. Como em qualquer lugar do mundo, há opções para todos os bolsos para os turistas se alimentarem em meio à Copa do Mundo. Obviamente, o torneio deve inflacionar um pouco os preços em suas sedes, como aconteceu no Brasil, principalmente nas maiores cidades e nas regiões próximas aos estádios. Uma solução econômica sempre são os fastfoods, que também podem trazer uma noção do preço da alimentação no país. Uma refeição com sanduíche, batata frita e refrigerante sai por 350 rublos (R$ 20,20).

TELEFONIA E INTERNET

- É bom comprar um chip russo para usar durante a estadia no país. Além de evitar gastos inesperados com o serviço de roaming, ter um número russo permite a utilização de aplicativos locais, que pedem a confirmação através de SMS. Há três grandes operadoras na Rússia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário