domingo, 5 de maio de 2019

Artigo, Fábio Jacques - Bill ?


O prefeito de Nova Iorque acaba de afirmar que o “ataque de Jair Bolsonaro a direitos de lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais ou Transgêneros (LGBTQ) e "seus planos destrutivos para o nosso planeta se refletem em diversos líderes – incluindo no nosso país".
Lendo este pronunciamento concluo que o Bill de Blasio é um típico representante das multidões que repetem o que ouvem sem ao menos fazer um mínimo esforço para deixar de lado a preguiça mental e tentar fazer uma pesquisa a respeito das aberrações que repetem como se fossem verdade.
Não tenho visto no Brasil qualquer ação do governo contra as pseudominorias nomeadas pelo Bill. Do pronunciamento depreende-se que Bolsonaro já decretou uma nova santa inquisição contra gays e que milícias bolsonarianas perambulam pelas cidades invadindo residências à cata de qualquer pessoa que não seja comprovadamente heterossexual para prendê-la e torturá-la.
Mas o que pretendo aqui é fazer algumas considerações sobre o segundo tema do pronunciamento do gênio seguidor de fake news: “os seus planos destrutivos para o nosso planeta”.
Concordo indiscutivelmente com a preocupação do Bill sobre a possível destruição do planeta. Não podemos absolutamente compactuar com ações deletérias e criminosas que ponham em risco a sobrevivência da humanidade, tanto que proponho que todos nós, brasileiros, americanos, europeus, asiáticos ou africanos nos unamos numa cruzada pela restauração da cobertura vegetal e do meio ambiente. Vamos recompor nossas florestas nativas. Isto é de fundamental importância. Questão de vida ou morte da espécie humana.
Admito que voltar à cobertura vegetal original é um propósito inalcançável, até mesmo utópico, mas igualar as coberturas vegetais à do Brasil talvez seja possível. O Brasil é hoje a maior preocupação do mundo e, portanto, pode servir de divisor de águas.
Convoco o Bill a liderar um movimento mundial para recompor as cobertura vegetal do planeta, país por país até os níveis atuais da cobertura vegetal do Brasil.
Para facilitar o trabalho do Bill, vou dar algumas informações importantes:
De suas florestas primitivas, o Brasil mantém intactas 69,4%, o que corresponde a 61% de seu território.
Reconheço que é pouco, mas como se mantém à frente alguns outros países arrisco a colocar a cobertura vegetal do Brasil como meta a ser alcançada. Pelo menos por enquanto. Quando alcançarmos a meta, dobraremos a meta.
A Europa mantém 0,3% da cobertura vegetal original, a África 7,8%, a Ásia 5,6% e a América Central 9,7%.
A América do Norte mantém intacta 38% de suas florestas originais, sendo deste total 84% no Canadá e apenas 16% nos Estados Unidos do Bill. E destes 16% dos 38% das florestas norte americanas ainda intactas a maioria está no Alaska.
Qual é a cobertura vegetal de Nova Iorque, Bill?
Para mim, Bill, você não passa de um “crowd follower” (maria vai com as outras) juramentado. Um verdadeiro fake bill.
Vamos lá amigo “grand bouche”! Vamos desencadear esta campanha pelo reflorestamento mundial. Vamos devolver ao nosso sofrido e vilipendiado planeta azul sua cobertura linda verde.
Quero te ver na frente deste movimento ao qual certamente aderirão todas as pessoas de bem, independentemente de suas origens geográficas, suas colorações de pele, suas religiões ou preferências sexuais.
Vamos nessa, mermão! Eu te garanto que até o Bolsonaro cerrará fileiras contigo.
“Todos por 61% de cobertura vegetal do planeta”

O autor é diretor da FJacques - Gestão através de Ideias Atratoras, Porto Alegre, e autor do livro “Quando a empresa se torna Azul – O poder das grandes Ideias”.
www.fjacques.com.br -  fabio@fjacques.com.br

2 comentários:

  1. Fábio obrigado pela sua inquieta observação, você sabe que dói dizer e receber a verdade, mas está dor é uma forma de crescimento que todos que queremos evoluir sem enganar teremos que passar. + 1 x thanks, that's It Go ahead.

    ResponderExcluir