quarta-feira, 3 de julho de 2019

Artigo, Telma Renner - O grotesco cenário na Câmara dos Deputados


- A autora é empresária, Gramado, RS.



 Ontem me dei ao trabalho de assistir parte da inquisição de Sérgio Moro na Câmara Federal,  onde ele,  com a calma e paciência de quem tem a consciência limpa, submeteu-se à selvageria das diversas tropas do ódio, lá representadas pelas tais  comissões: de direitos humanos, minorias , de justiça e nem sei que mais o quê , não consegui guardar todas.
Foi de outro planeta! Indescritível ,horrorizante, sei eu!  Não encontro palavras para descrever o que vi!  Na primeira fila as já tradicionais gralhas do ódio: Gleisi Hoffmann, Maria do Rosário, Jandira  Feghali e outras que não consegui identificar. Valendo-se da tal imunidade parlamentar a turma do ódio lançou gravíssimas e pessoais ofensas  ao Ministro, totalmente sem fundamento lógico ou objetivo, e tudo isso dentro de um clima de balbúrdia,  com gritos   selvagens  onde Moro, que afinal estava lá para responder as perguntas, era interrompido sem a mínima consideração ou civilidade!  
 Entre outras ofensas gravíssimas lançadas ao Ministro , a que finalmente  acabou com a sessão de horrores,   foi um tal  deputado  do PSOL (obviamente) que teve o insano  atrevimento  de chamar o Ministro da Justiça, de ladrão ! Que isso possa ser aceito sob o manto da assim chamada  “imunidade parlamentar” eu acho inconcebível.
Tive também a oportunidade de constatar que a Feghali não sabe o que significa a palavra “hacker” pois teve a suprema ignorância de  desafiar o Ministro que “ele PROVE que foi um hacker”! kkk .    fico imaginando o que essa criatura entende por hacker !  E a Maria do Rosario , como era de se esperar, também protagonizou outra gafe : aos berros tentou impedir que a deputada Joice Hasselmann filmasse o cenário grotesco, afirmando que Joice utilizaria as imagens verdadeiras para divulgar em suas “fake News”! kkk Outra que não sabe o significado de fake news! Parece que a turminha do ódio não é muito versada na linguagem virtual. Poderiam tomar uma aulinhas com a tropa da Intercept!
Do  grotesco cenário que assisti,  ficou marcante o contraste entre   a  primitiva  e destrutiva  selvageria e   a  expressão máxima  da  inteligência humana que é a ciência, a pesquisa. A analogia serve para comparar  a atitude do Ministro Moro com sua civilidade e ciência do Direito em contraste com a selvageria de alguns  parlamentares . Vale dizer que houveram alguns parlamentares que reconhecem o que o  povo brasileiro já fartamente  demonstrou nas ruas: a confiança em Sérgio Moro é indestrutível.


Um comentário:

  1. Parabéns senhora TELMA RENNER pela sua didática descrição do teatro de horrores cujo cenário foi a parlamento (minúscula de propósito) brasileiro! Não tive o seu estômago ou a sua coragem...nos meus 80 anos, não consigo entender PORCOS SELVAGENS!
    A tristeza maior é fazernos esconder o nosso patriotismo por sabermos que mais civilizados, há muito abandonaram essas práticas de insultos e modos de prostitutas do baixo nível....o parlamento brasileiro desceu ao seu mais baixo nível ao ter de aturar essas GRALHAS (AGORA MAIÚSCULA)! falta elegância, inteligência, decoro, bons modos, civilidade....mas sobra qualidade de cadelas ao cio!

    ResponderExcluir