domingo, 31 de maio de 2020

Representação de Ruy Irigaray

Gab. Dep Ruy Irigaray   Porto Alegre, 27 de maio de 2020.


Ao Excelentíssimo Senhor Fabiano Dallazen Procurador Geral de Justiça Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul Porto Alegre/RS.


Prezado Procurador Geral de Justiça,

Sirvo-me do presente para cumprimentá-lo cordialmente e na oportunidade, venho através deste denunciar movimento extremista atuante na cidade Porto Alegre, com vínculo na organização criminosa doméstica denominada ANTIFA com origem nos EUA.  O Grupo Antifas é uma organização terrorista doméstica patrocinada por Soros. Nos EUA seu objetivo é promover o ódio, a violência e a divisão. O Grupo Antifas está no Brasil e começa a agir para impedir as manifestações pró governo.  A retórica e o simbolismo dos Antifas são paralelos ao Partido Comunista da Alemanha chamado Antifaschistische Aktion.  Antifa não é um movimento orgânico, mas um impulso planejado e financiado por comunistas americanos, contra os governos de direita, e agora atua no Brasil, em especial no Rio Grande do Sul com participação de um Policial Civil, Escrivão de Polícia, Srº Leonel Guterrez Radde, lotado na delegacia de homicídios de Porto alegre,  que faz de suas redes sociais a plataforma de divulgação de eventos que pregam o ódio, agressão e desordem, esse policial civil utiliza-se de sua função para incitar e estimular as pessoas a efetuarem ações antidemocráticas e por vezes criminosas.

O Policial Civil Leonel Guterrez Radde, posta em suas redes sociais fotos com armas automáticas, incitando movimentos esquerdistas/extremistas ao cometimento de crimes. Este policial descumpre seu papel institucional, além de usar-se de sua função para incentivar a desordem e descumprimento das leis, ficando notório pelos vídeos divulgados nas redes a utilização da função pública para o cometimento de crimes contra a democracia. Ressalto, que este Parlamentar respeita todo e qualquer ato democrático legítimo, mas repudia todo tipo de movimento que incite a violência e o ódio, frisa-se que o interesse desses movimentos visam transformar o Estado do Rio Grande do Sul em uma praça de Guerra, incitados por um agente público.  Em anexo, seguem evidências da participação do Policial Civil, bem como dos eventos praticados pelo Grupo Antifa, para que sejam adotadas as medidas cabíveis, ora não exista espaço para extremismo no Estado do Rio Grande do Sul, muito menos praticado por um agente da lei. 
Sendo o que se apresenta para o momento, aproveito o ensejo para manifestar meu apreço e consideração.


 Atenciosamente,

Ruy Irigaray
Deputado do RS

Nenhum comentário:

Postar um comentário