quarta-feira, 20 de julho de 2016

Artigo, Astor Wartchow - Exit Brasil

Alguem tem dúvidas sobre o quanto o Brasil é um território maravilhoso e povoado por um povo alegre e tolerante, ainda que com sérias diferenças econômicas e culturais a resolver?
 E mais: não tem terremoto, não tem vulcão, nao tem tsunami, não tem inverno glacial, nem verão infernal. E que em plantando tudo dá mais de uma vez ao ano como em nenhum outro lugar do mundo.
 Então, como se explica porque tanta gente, jovens, principalmente, e cada vez mais, quer sair do Brasil e morar em outro lugar?
 Pessoalmente, sempre achei importante ter uma experiência temporária de "morar fora". Menos pelo fato de aprender outro idioma e conhecer outros hábitos sócio-culturais, ainda que importantes, mas, principalmente, para perceber que em qualquer lugar do mundo as pessoas levantam cedo e vão ao trabalho.
 Os onibus circulam , as padarias abrem e a vida cotidiana se faz como em qualquer outro lugar. Então, não existe o paraíso natural. Atitude e trabalho fazem a diferença.
 Ou seja, segurança social e qualidade de vida é algo a ser construído com muita disciplina e esforço pessoal e coletivo. Leva décadas. Às vezes, séculos.
 Quanto a nós brasileiros, é suficiente e aceitável (como razão e explicação)  reclamar dos políticos, principalmente, se toleramos a demagogia e o populismo, se saboreamos o vale-disso e daquilo, apreciamos as pequenas e medíocres barganhas diárias que trocamos pela nossa consciência, e  consequentemente toleramos tudo quanto?
 Porém, à caminho, há uma geração mais esclarecida que as anteriores, sem o mesmo apego nacionalista e medíocre comportamento, e  que tomará o rumo da possibilidade de concretização de sua segurança pessoal e das oportunidades de vida e felicidade. E ávida de bons exemplos e disciplina.
 Vão em busca de qualidade de convivência, menor custo de vida relativo, segurança, mobilidade urbana(transporte público),  oportunidade de trabalho e emprego, salários adequados e proporcionais, carga tributária justa e educação superior.
 Infelizmente, nossa pátria não proporciona satisfatoriamente nenhum destes itens. E ultimamente basta a falta de segurança pessoal e patrimonial como razão de êxodo em massa.
 Por omissão e irresponsabilidade coletiva, nossa nação pagará um  preço altíssimo pela saída e perda dos seus melhores jovens, inteligentes, informados e poliglotas.

 Tristemente, somos hoje uma nação gravemente enferma. Então, na falta de respostas e atitudes adequadas, como criticar alguem que opta - como "solução" de vida - pelo aeroporto?

Nenhum comentário:

Postar um comentário