segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Artigo, Astor Wartchow - Olimpíadas e Transtorno Bipolar

Artigo, Astor Wartchow - Olimpíadas e Transtorno Bipolar

O comportamento da coletividade brasileira se assemelha muito aos casos de indivíduos que sofrem de transtorno bipolar. Afinal, alterna períodos de bom humor, energia e impulsividade com períodos de depressão e irritação profundos.
Tocante as pessoas, as causas concentram-se em aspectos biológicos, hormonais, hereditários e, inclusive, decorrentes do meio ambiente.
Quanto ao comportamento nacional, podemos fazer analogias. Peculiaridades biológicas podem ser associadas a aspectos e diferenças étnico-regionais. Desequilíbrio entre neurotransmissores e hormônios pode ser relacionado às diferenças retóricas de líderes políticos - pródigos em populismo e ilusionismo – e a reação popular.
Se na doença de fato a hereditariedade é uma suspeita de causa, no anacrônico comportamento nacional é uma certeza. Nada mais repetitivo historicamente do que nossas alternadas crises de auto-estima, euforia e depressão profunda.
O meio ambiente como causa do nosso transtorno coletivo também é uma certeza. Afinal, o discurso predominante é de que “a culpa de tudo é sempre dos outros!”’.
Nos fatores de risco, as semelhanças entre indivíduos e a nação são instigantes. Afinal, não nos faltam históricos familiares (repetição de fatos na história nacional), estresse intenso e constante, uso e abuso de drogas (político-ideológicas) e experiências traumáticas.
Enquanto que entre indivíduos os sintomas podem variar, tocante o amado Brasil os sintomas são bastante repetitivos e comuns. Na fase depressiva revela desânimo e tristeza, dificuldade de concentração e tomada de decisões, falta de energia, sentimento de inutilidade e desesperança, e baixa auto-estima.
Na fase maníaca chama atenção a distração, diminuição da capacidade de discernimento, descontrole de temperamento, gastos financeiros excessivos, hiperatividade, falação em excesso, ilusão sobre si mesmo e suas habilidades (auto-estima alta).
Por que estou escrevendo sobre isto? Considere as reações relativas aos eventos Copa do Mundo e Olimpíadas, a demagogia dos governantes, e as respectivas contas a pagar que virão no presente e no futuro. Quer exemplo melhor?

Como na doença dos indivíduos, a sucessão de episódios pode resultar em psicose, o que se caracteriza por uma perda de contato com a realidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário