terça-feira, 30 de agosto de 2016

Saiba o que mudará depois do impeachment

         Ao contrário do que dizem Dilma Roussef e seus defensores, o impeachment da presidente não arranhou a democracia, isto porque o impeachment da presidente fortaleceu a democracia.
         Apenas num estado democrático de direito, processo tão prolongado e capaz de garantir a ampla defesa e o contraditório, isto é possívelo.
         Foi o que aconteceu também com o ex-presidente Fernando Collor de Melo.
         Não é comum tirar presidentes através de impeachments ?
         Claro que não, porque este severo recurso constitucional só deve ser usado em situações absolutamente extremas.
          Foram os casos de Collor de Melo e de Dilma Roussef.
          Nos dois casos, o que de verdade impulsionou o expurgo foram a roubalheira desvairada, a corrupção escandalosa, mais a total incompetência e improbidade na gestão pública, ocasionando crises econômicas, políticas e sociais de dimensões oceânicas.
         O que vai acontecer agora ?
          Até já aconteceu.
          Política – O mero afastamento provisório de Dilma Roussef devolveu governabilidade e credibilidade ao governo, afastando a crise política que não precia ter fim. Este processo de normalidade institucional ficará ainda mais vigoroso a partir de agora.
          Economia – A competentíssima equipe econômica do novo governo, comprometida com o mercado, estabilizou os índices de recuo do PIB e de avanço da inflação, devolvendo credibilidade aos agentes econômicos, tudo em função da qualidade e compromissos dos novos ministros e do presidente, o que permitirá ajustes fortes, retomada dos investimentos e portanto do crescimento da economia.
         Social – As crises ética e moral, ainda permanentes, não dependem tanto do impeachment, que no entanto é exemplar nesse sentido, mas dependerá mais do Ministério Púbblico e do Judiciário.
          O dia é de saudar os que estão vivos.
          Mas é de manter também a guarda alta, cobrar ajustes e retomada do crescimento econômico, como também exigir que todos façam o melhor de si para cumprir a lei e a ordem.

           Aos perdedores, as batatas. Eles não são mais nada. São página virada da má história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário