domingo, 30 de abril de 2017

Artigo, Marcelo Aiquel - Os desavergonhados

Artigo, Marcelo Aiquel - Os desavergonhados

      Escrevo hoje para falar sobre tipos que não tem um pingo de vergonha na cara, além de achar que todos são uns idiotas sem memória.   Escrevo, e explico detalhadamente:
      Em primeiro lugar vem a cretinice comprovada do PT, através da Dilma e de seu mentor e parceiro, o canastrão Lula da Silva.
      E que é facilmente comprovada por meio de declarações públicas feitas na TV, em 1º de maio de 2015, ou seja, há menos de um ano. Naquela oportunidade (os vídeos da época são a prova viva disso) a ANTA – falando em nome da presidência, e do PT – defendeu a Reforma da Previdência (como um ato necessário) e da Terceirização do emprego.
      Agora, na greve geral patrocinada pelo PT e seus capachos satélites, não é que o motivo principal alegado pelos baderneiros foi exatamente a Reforma da Previdência e a defesa dos direitos dos empregados.
      Ah, também teve o chavão do “Fora Temer”. Como se toda esta pelegada incoerente não tivesse votado – em massa – na chapa Lula/Temer. E, 4 anos depois, na chapa Dilma/Temer.
      Além disso, não se tem notícia de um só destes baderneiros grevistas ter votado nos adversários destas duas chapas. Portanto, estão querendo colocar para fora o mesmo político que escolheram para eleger. Depois, a oposição é que age com incoerência... São uns desavergonhados!
      Em segundo lugar, mas não menos importante no contexto, está a grande mídia,muito parcial e extremamente tendenciosa. Os jornais e os telejornais concederam imensos espaços para “festejar” a greve, inclusive mostrando e publicando entrevistas com os personagens líderes do movimento. Longos minutos (nos mais variados grupos jornalísticos) para que estes repetissem o mesmo surrado discurso protecionista aos trabalhadores.
      E eu não assisti um só repórter perguntar a estes “chefes” qual seria a sugestão para resolver o problema da Reforma da Previdência.
      Juro que fiquei interessadíssimo em conhecer um plano alternativo. Mas a nossa zelosa e competente imprensa sequer me proporcionou a chance de aprender alguma coisa com tais “gênios”.
      Não sei se foram mais desavergonhados os líderes da greve ou os representantes da imprensa que se anuncia como imparcial e justa.
      Para encerrar este artigo de opinião, não posso evitar uma pergunta bem objetiva: a adesão à greve foiespontânea ou forçada?
      Pois os responsáveis pelo movimento comemoraram o sucesso da ação, mas NINGUÉM os condenou por agredirem ao sagrado direito à liberdade dos cidadãos. Trabalhadores que foram impedidos – na marra, na pressão, e até na força – de trabalharem. E pessoas que foram encurraladas – em barreiras e bloqueiosilegais– e frustradas de se locomover livremente.
      Pelo que pude notar, sem a força (que gerou temor à população pacífica) e a desordem (que assustou ao povo pacato), a tal de GREVE foi um rotundo fracasso.
      Tivemos apenas a vitória dos desavergonhados anarquistas que ainda tem o despudor de alegar DEMOCRACIA.
      Que Deus os perdoe, eis que não sabem o que dizem.
      SÃO TODOS UNS SEM VERGONHAS!


      Marcelo Aiquel – advogado (29/04/2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário