domingo, 7 de maio de 2017

Marcelo Aiquel - Renato Duque é o Pantaleão

RENATO DUQUE É O PANTALEÃO?

                Quem tem uma memória mediana, se lembra dos programas do brilhante comediante Chico Anísio.
                E todos que tem memória razoável, não esqueceram do que disse e fez o Lula nos anos 70/80.
                Renato Duque, o ex-diretor de confiança do PT na Petrobras, seria a versão moderna do PANTALEÃO, personagem criado por Chico Anísio que vivia contando mentiras e perguntava sempre para a sua esposa “é mentira, Terta?”?
                Naquele famoso quadro humorístico também existia a figura do idiota do PEDRO BÓ, o ouvinte que fazia perguntas duvidando da história contada e era sempre debochado pelo PANTALEÃO, enquanto a fiel esposa do mentiroso compulsivo respondia: “é verdade”. Assim, ela demonstrava dedicação, amor, e companheirismo pelo velho marido, além de dar um tom de credibilidade às fantásticas invenções do novo Barão de Münchausen.
                   Ao que tudo indica, muitas TERTAS nos querem “empurrar goela abaixo” que as declarações do cúmplice do PT seriam fantasiosas e mentirosas.
                A lógica nos induz a “medir” quais as eventuais vantagens que levariam alguém a entregar seu chefe. E a singela resposta está nos inúmeros casos onde tal fato já ocorreu.
                Ou seja: RENATO DUQUE não é o primeiro (e não será o último!) que, depois – arrependido ou ameaçado, tenho lá as minhas dúvidas – não hesita em “abrir o bico”. Mesmo que, para isso, não receba vantagem alguma!
                É óbvio que o “fantasma” do finado CELSO DANIEL alimenta estes atos. Afinal, ninguém – de sã consciência – quer virar comida para os peixes. Então, mesmo que muitos questionem a razão de por que somente agora o delator haver falado, é evidente que contar o que sabe (e de ter participado ativamente) se afirma como um “salvo conduto” para sua proteção.
                Pois, ninguém – por mais apavorado que esteja – vai calar uma pessoa que não tem mais segredos, que deu “com a língua nos dentes”... Agindo assim, o acusado ainda estaria com certeza ajudando a dar mais credibilidade às denúncias.
                Mas, voltando ao caso do RENATO DUQUE, vejo que não faltam espectadores para duvidar das acusações feitas.
                E, a pergunta que não quer calar nos encaminha a um destino único: SE NÃO SE TRATA DE DELAÇÃO PREMIADA, POR QUE O SUJEITO RESOLVEU CONTAR TUDO?
                Ora, ser condenado há mais de meio século na prisão, enquanto seu “sócio” fica fanfarreando por aí que não tem culpa, já não seria um motivo relevante? Ou alguém pode imaginar que um cúmplice arque sozinho com todo o ônus e assista seu parceiro sair livre, sem nenhuma indignação? Especialmente quando o “outro” roubou igual a ele e ainda posa de vestal?
                Quem acha que RENATO DUQUE é um novo PANTALEÃO, também imagina que nós somos a dona TERTA.
                Só que, antes de eu (e a imensa maioria pensante e lógica deste planeta) ser igual à dona TERTA, estes incrédulos se parecem mesmo ser um PEDRO BÓ.
                Pois só um idiota (ou radical fanático) não levaria a sério tantas acusações contra uma mesma pessoa. E vindas de fontes tão diferentes...
                Eu me lembro do dizia e fazia o Lula da Silva.
                E ele não mudou nada.

                Ah, quanta gente cega (e esquecida) tem por aí!

Nenhum comentário:

Postar um comentário