domingo, 9 de julho de 2017

Artigo, Luís Milman - Aquecimento global e transcendência pagã

Artigo, Luís Milman - Aquecimento global e transcendência pagã

A linguagem apocalíptica usada pela mídia para falar de aquecimento global já vem impregnada de ideologia esquerdista vulgar e de farsa politicamente correta. Primeiro, porque não há base evidencial para sustentar que está havendo um aquecimento global. Segundo, porque mudanças climáticas ocorrem sem que haja intervenção humana, devido a fenômenos meteorológicos como o El Nino, a mudança de temperatura dos oceanos, a atividade vulcânica e a radiação solar (principalmente), que pode se intensificar ou não dependendo da posição da Terra em relação ao Sol. A emissão de CO2 da indústria é irrelevante para qualquer mudança de clima e, além disso, o CO2 não só é absorvido no ecossistema, como é vital para a sua funcionalidade.

Donald Trump está certíssimo em sua rejeição à ideologia aquecimentista perniciosa propalada pela ONU e por ONGS trapaceiras e milionárias, que querem combater o modelo de produção industrial por meio desta mentira. Nenhum país pode pautar sua política industrial pelo medo do aquecimento do planeta. Esta é uma agenda de controle transnacional, que propositalmente induz a pensar que há uma coincidência entre questões ambientais e o tal do aquecimento global. Uma coisa nada tem a ver com a outra. Preservar o ambiente da poluição está ao alcance do homem. Mas evitar que o planeta se aqueça ou se resfrie não. O argumento do aquecimento global substituiu a doutrina marxista e se expressa como forma de uma transcenência pagã, como o definiu Theodore Dalrymple, no livro A nova Síndrome de Vichy. Ele se apresenta como nova forma de transcendêcia pela política, depois que o marxismo caiu em descrétido. É bem sintomático que os manifestantes violentos de Hamburgo contra os membros do G20, lançavam coquetéis molotov em protesto contra o capitalismo que está destruindo o planeta, segundo eles, devido a emissão de CO2 na atmofera. A causa do meio ambiente é fundamental para a reorientação do ódio. O cataclismo que nos ameaça, segundo essa ideologia, é de algum modo ainda associado às contradições do capitalismo, mas dessa vez não mais se invoca a luta de classes para superá-las, mas a luta pela preservação do meio ambiente. Os extremistas do aquecimento global alegam que somete uma transformação radical nas matrizes energéticas implementariam as mudanças necessárias para livrar o planeta da destruição. Eles posam de salvadores da raça humana, da mesma forma que os leninistas se apresentavam como sabendo o que era bom para o proletariado -e assim para a humanidade- , conferindo a si mesmos um papel providencial. Os ambientalistas também sabem o que é bom para a humanidade e a causa da luta contra o aquecimento do planeta agrupa o mito segundo o qual há uma ciência que o ampara -e isto é um mito, porque, na verdade,  a ciência do clima não dá suporte a crença aquecimentista, que se sustenta em previsões catastróficas de uma falsa ciência, assim como os cânones a transcendência pagã cientificista do marxismo sustentaram-se, por décadas, em uma falsa sociologia e, os do nazismo, em uma falsa biologia. Há muitas pessoas dispostas a entregarem-se a uma luta contra o aquecimento global e promoverem distúrbios para o bem da humanidade. Para elas, o significado da vida foi rearticulado pelo combate à civilização industrial, a mesma que promoveu o maior bem estar que a humanidade já vivenciou.   

2 comentários:

  1. Não leio ZH tampouco assisto a GLOBO. Se esse comentarista ainda escreve para a ZH, fica provada a persistência de sinais vitais naquele pobre pasquim.

    ResponderExcluir
  2. Parabéns ao jornalista Luís Milman pela coragem de descortinar uma falsa premissa levantada pelos que desejam formar um governo único no mundo. A Unidade Européia - o primogênito da Nova Ordem Mundial - começa a pagar um preço altíssimo pela adoção dessa mentira globalista que, na verdade, intenta garrotear a economia e submergir com a soberania das nações independentes.
    Com a decisão de Trump de estancar a sangria de parte das economias norte-americanas que eram despejadas na sede da ONU e da UE - esta em Bruxelas (por obra do Bobobama) - o globalismo começa a ruir.
    A DESINFORMAÇÃO é o foco dos comunistas.

    ResponderExcluir