quinta-feira, 6 de julho de 2017

Opinião do editor

A nota tirada pela direção da Polícia Federal para confirmar a decisão de acabar com o Grupo de Trabalho da Lava Jato, tenta justificar o injustificável, ou seja, a determinação de quebrar as pernas dos delegados federais e dos procuradores do Paraná. Ao transferir as ações para a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas, o delegado Leandro Daiello e o ministro da Justiça retiram a autonomia da Superintendência da PF no Paraná e centralizam tudo em Brasília.

A escalada contra a Lava Jato assume mais este passo, desta vez à luz do dia.O governo Temer intervém de fato na Lava Jato, coisa que Lula e Dilma quiseram fazer e não tiveram coragem de fazer para valer. A medida beneficia Temer, Lula, Dilma Aécio e toda a nomenklatura de alta plumagem do PT, PMDBm, PSDB e PP.

Leia a nota da PF:

1. Os grupos de trabalho dedicados às operações Lava Jato e Carne Fraca passam a integrar a Delegacia de Combate à Corrupção e Desvio de Verbas Públicas (DELECOR);
2. A medida visa priorizar ainda mais as investigações de maior potencial de dano ao erário, uma vez que permite o aumento do efetivo especializado no combate à corrupção e lavagem de dinheiro e facilita o intercâmbio de informações;
3. Também foi firmado o apoio de policiais da Superintendência do Espírito Santo, incluindo dois ex-integrantes da Operação Lava Jato;
4. O modelo é o mesmo adotado nas demais superintendências da PF com resultados altamente satisfatórios, como são exemplos as operações oriundas da Lava Jato deflagradas pelas unidades do Rio de Janeiro, Distrito Federal e São Paulo, entre outros;
5. O atual efetivo na Superintendência Regional no Paraná está adequado à demanda e será reforçado em caso de necessidade;

6. A Polícia Federal reafirma o compromisso público de combate à corrupção, disponibilizando toda a estrutura e logística possível para o bom desenvolvimento dos trabalhos e esclarecimento dos crimes investigados."

Nenhum comentário:

Postar um comentário