quinta-feira, 29 de março de 2018

BRDE viabilizou investimentos de R$ 4 bilhões na Região Sul em 2017


      O Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul – BRDE publica o seu balanço referente ao exercício de 2017 no Diário Oficial RS desta quinta-feira. Os dados demonstram que os R$ 2,2 bilhões que contratou em 5.137 operações de crédito, somados aos recursos dos empreendedores, viabilizaram investimentos de R$ 4,071 bilhões em grandes e pequenos negócios de todos os setores da economia na Região Sul. Este desempenho criou ou manteve 33.065 empregos diretos e indiretos no período.
      No Rio Grande do Sul, foram realizadas 1.177 contratações que totalizaram R$ 903 milhões. Estima-se que os empreendimentos financiados gerem 17.925 empregos diretos e indiretos.
      Diante da conjuntura de baixo crescimento da economia brasileira e do contexto político, do ponto de vista financeiro e patrimonial, o BRDE superou as dificuldades e obteve lucro de R$ 118 milhões, ante os R$ 117,6 milhões obtidos no ano anterior, e alcançou Patrimônio Líquido superior a R$ 2,5 bilhões, com R$ 17,2 bilhões de Ativo Total. O índice de inadimplência da sua carteira de crédito foi de 3,05%, enquanto que o Sistema Financeiro Nacional registrava 3,25%.
      No plano operacional, mesmo limitando a sua atuação ao âmbito regional, o BRDE se destacou no ranking nacional dos agentes repassadores de recursos do BNDES. O diretor-presidente do BRDE, Orlando Pessuti, ressalta que “o Banco foi o primeiro colocado em desembolsos nos estados do Sul, com 14,7% dos totais na região. Considerando as instituições financeiras de todo o Brasil, o BRDE foi o sexto no volume de operações de crédito indiretas contratadas com recursos do BNDES”.  O ambiente recessivo e o estreitamento dos recursos disponibilizados por seu principal fornecedor de funding, o BNDES, motivaram o recuo do valor contratado em relação a 2016 (R$ 3,008 bilhões).
      O BRDE também se destacou como o maior repassador nacional de recursos do Programa Inovacred, da Finep, que financia projetos de inovação. Chegou ao valor histórico de R$ 196,1 milhões, no Sul, o que equivale a 31,7% do total do país.
Impactos socioambientais
      Em sua política institucional de preservação de empregos e de geração de renda, em 2017 o BRDE firmou 220 operações de reestruturação de dívidas da ordem de R$ 182,1 milhões. Com isso, permitiu a continuidade do funcionamento de empresas com baixo grau de liquidez no curto prazo, mas avaliadas como viáveis no médio e no longo prazo.
      Com um quadro de 503 colaboradores, o BRDE está presente em 1.073 municípios do Sul, equivalente a 90% do total dos municípios, mantendo 35.366 clientes ativos. As operações do Banco também geraram ICMS incremental de R$ 359 milhões aos estados-controladores: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.
      De um total de 4.744 clientes que realizaram operações de crédito com o Banco, 79% eram micro, pequenas e médias empresas (MPMEs). O valor médio de contratação, de R$ 463 mil por cliente, demonstra o compromisso do BRDE com o fomento ao desenvolvimento econômico e social sustentável em empreendimentos de todos os portes.
Programas
      Dentre os seus programas de crédito, o destaque em 2017 foi o BRDE PCS - Produção e Consumo Sustentáveis, com R$ 482 milhões destinados a empreendimentos que contribuem para o desenvolvimento sustentável – econômico, ambiental e social.
      O Programa BRDE Municípios foi ampliado, passando a oferecer às prefeituras dos três estados da Região Sul novas modalidades de apoio, mediante linhas de crédito e assistência técnica. O programa promove o desenvolvimento institucional e a infraestrutura econômica, social e turística, urbana e rural, em municípios da região. Facilita o atendimento de demandas locais por serviços básicos e bens públicos, contribuindo para a elevação da qualidade de vida da população e para a introdução de melhores práticas de gestão e sustentabilidade.
Parcerias estratégicas
      Com a finalidade de ampliar suas fontes de recursos para garantir novos investimentos em setores produtivos dos estados do Sul, o BRDE assinou, em 2017, convênios com o Ministério do Turismo para operar com o Fundo Geral de Turismo (FUNGETUR), e com a Agência Francesa de Desenvolvimento – AFD. No caso da AFD, os recursos destinam-se a projetos voltados à produção e ao consumo sustentáveis. O contrato de financiamento no valor de € 50 milhões – cerca de R$ 200 milhões, constitui parceria inédita na história do Banco.
      No âmbito da sustentabilidade, o BRDE firmou acordo com o Ministério do Meio Ambiente e Secretarias de Meio Ambiente do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná para promover, entre os órgãos públicos, a Agenda Ambiental do Setor Público – A3P, que contempla seis eixos: racionalização do uso dos recursos naturais; destinação correta dos resíduos; licitação e compras sustentáveis; construções sustentáveis; qualidade de vida no trabalho; sensibilização e capacitação.
      Na esfera de produção cultural, o BRDE renovou o contrato com a Agência Nacional de Cinema -  ANCINE para seguir como agente financeiro do Fundo Setorial do Audiovisual – FSA por mais cinco anos. Nesse período, a previsão de repasses ao setor chega a R$ 5 bilhões.

Nenhum comentário:

Postar um comentário