sábado, 30 de janeiro de 2016

Denúncias contra Lula causam assombro e paralisam seus habituais defensores

Ricardo Noblat

O PT recebeu com um silêncio ensurdecedor as mais novas denúncia que envolve Lula com atos suspeitos registrados no âmbito da Lava-Jato ou em decorrência dela. Salvo Rui Falcão, presidente do partido, e o deputado Paulo Teixeira (SP), ninguém mais de peso do PT se apressou em defender seu líder máximo, ex-adversário dos 300 picaretas homiziados no Congresso.

Foi Lula, quando deputado federal nos anos 80 do século passado, que apontou o Congresso como reduto de 300 políticos corruptos. Ou que usavam a política com o intuito primordial de enriquecer. Nas últimas 72 horas, o ex-presidente viu a Lava-Jato bater à porta do condomínio Solares, no Guarujá, interessada na história do tríplex 164-A, reformado de graça pela construtora OAS para abrigar a família de Lula.

Mal refeito da surpresa, Lula leu na Folha de S. Paulo que a construtora Odebrecht pagou todas as despesas com a reforma do sítio em Atibaia que costuma hospedá-lo quase todo o fim de semana. O sítio pertence a dois sócios de Fabinho, o filho mais velho de Lula. Fabinho é sócio deles em uma bem-sucedida empresa de jogos eletrônicos. OAS e Odebrecht estão metidas na roubalheira na Petrobras.

Deixou de ser novidade a intimação de Lula para depor à Polícia Federal. Ele já o fez quase meia dúzia de vezes. Nunca antes em sua vida, porém, Lula fora convocado para depor na condição de investigado. Pois de “informante”, ele passou a investigado no caso do tríplex. O que Lula antecipou a respeito é pouco ou nada convincente. Disse que Marisa, sua mulher, comprou uma cota de um apartamento no valor de R$ 47 mil.


E que, anos depois, desistiu do negócio e recebeu o dinheiro de volta. Só que entre a compra e a devolução do dinheiro, a OAS gastou na reforma do apartamento quase R$ 800 mil. Há inúmeras testemunhas de visitas de Lula e de dona Marisa ao apartamento em reforma, e também depois que ele ficou pronto. A OAS teria amargado o prejuízo com a reforma e devolvido ainda os R$ 47 mil? Não faz sentido. Até hoje, Lula jamais apresentou documentos que comprovassem o que diz. Se o tivesse feito, e a ser verdade o que conta, o assunto já estaria morto. Não salpicaria de lama sua biografia.

3 comentários:

  1. Polibio,
    Quando do triste episódio da tentativa de dialogo entre o chefe da civil do governo da Yeda e o vice, o nefando Paulo Feijó que, cinicamente, gravou a conversa, num programa na TVCOM, ancorado pelo Lasier Martins, o secretário, na introdução da sua participação no programa apela aos demais presentes para que entendesse o seu gesto como uma tentativa de pacificar o governo, e cita, como exemplos, gestos semelhantes do então presidente Lula, ele é "debochadamente" interpelado pelo petista presidente da Assembléia Legislativa de então, não me recordo do nome do cínico, afirmando: "dobre a língua ao falar do presidente Lula. O Lula não faz esses tipos de acordos. Tinha total razão do petista: o diálogo, NADA REPUBLICANO, do ex presidente não era com iguais, mas com fornecedores, com a OAS, com a Oldebrech. Meu Deus, a Venezuela é aqui!

    ResponderExcluir
  2. QUE INJUSTIÇA! Estão acusando o "homem mais honesto", o auto denominado "santo", probo e inatacável baluarte da honestidadce de mais uma maracutaia... Deve ser INVENÇÃO da oposição, perseguição ou GOLPE...
    A lama está subindo, chegando cada vez mais perto das barbas do Sapo Barbudo. Está cada vez mais difícil defender o "Santo Lula"... A coisa tá tão feia que se confessar amigo, eleitor ou simpatizante destes PTralhas "inocentes" é prova de burrice ou fanática cegueira.
    Enquanto isso, o Brasil inteiro se arrasta capengando, atolado no lodoçal em que virou a economia e a porcalhona política NACIONAL !

    ResponderExcluir