sexta-feira, 20 de maio de 2016

Artigo, Paulo Timm - A dívida do RS

DÍVIDA DO RIO GRANDE DO SUL

Esses PERITOS CONTADORES e ANALISTAS FICAIS e suas incríveis tabelas....!!!

Nas contas da Previdência só veem déficit, quando eu vejo enigmas.

Agora, espoucam notícias sobre a Dívida dos Estados, mostrando o RS como o que está em pior situação, ferindo a Lei de Responsabilidade Fiscal ao ter compromissos superiores a duas vezes a sua Receita. Inúmeros gráficos na TV Globo mostrando o Estado com campeão dos gastos. Uma irresponsabilidade política e fiscal dos gaúchos!

Uma coisa não dizem: Que o RS tem uma má performance na arrecadação do ICMS, comparativamente a outros Estados, fruto da falta de atenção e providências de sucessivas administrações.

Outra, que não falam: um Estado que investiu muito em educação, saúde e segurança no passado, obedecendo imperativos do bom governo, terão, necessariamente, uma folha de aposentados mais pesada no futuro do que aqueles que não o fizeram. No RS este futuro chegou e não há nenhuma compensação da União.

Por último, ninguém fala que a "monstruosa" dívida do RS é equivalente ao que o Estado transfere, anualmente, à UNIÃO, pela arrecadação federal em seu território. Destes recursos transferidos liquidamente, uma parte fica para a União, outra vai para os Fundos de Participação de Estados e dos Municípios, vindo, no caso dos Estados "mais pobres" a compor grande parte, muitas vezes superior a 50%, de suas Receitas (consideradas próprias).

Lá, alimentarão a oligarquia política que usa o Estado como mecanismo de dominação política, refletindo-se, ademais, no papel dominante que acabam tendo no Congresso (e Administração) Federal, mercê dos critérios que os beneficiam no cálculo de representantes.

Ou seja, um dos problemas de Estados como o RS, malgrado os maus governos, está no Pacto Federativo, que o espolia fiscalmente para alimentar o coronelismo vigente em áreas com menor nível de desenvolvimento. Daí os "Renãs, "Collors" etc.


Entenderam...? Ou vamos ter que reeditar a Revolução de 30 para explicar tudo melhor...?

Nenhum comentário:

Postar um comentário