quinta-feira, 11 de maio de 2017

O PIOR CEGO....

O PIOR CEGO....

                Diz o velho ditado popular: “O pior cego é aquele que não quer ver”.
                A interpretação deste adágio é única. Ou seja: ANTES CEGO DE VERDADE DO QUE CEGO POR VONTADE PRÓPRIA.
                Lembrei-me disso ao assistir a “louvação” de um grupelho de idiotas que, somados a militantes pagos, formou a pequena plateia (não eram mais de cinco (5) mil pessoas – público digno de um “clássico” entre Santo André x Boa Esporte Clube, pela série B, ou C) para aplaudir ao ridículo e repetitivo discurso do ex-presidente Lula da Silva, ontem em Curitiba, após o energúmeno haver tentado parecer seguro e confiante diante do juiz Sérgio Moro.
                Que o ser mais honesto do país (quiçá do planeta) iria mentir, descarada e arrogantemente, ninguém tinha a menor dúvida.
                Agora, acreditar (e ainda por cima festejar) nas justificativas mentirosas do sujeito já passa a ser um caso patológico. E que requer profundo tratamento psiquiátrico. NO MÍNIMO! 
                Sem contar a total falta de respeito do depoente em acusar a sua própria mulher, já falecida, de ser a responsável de alguns fatos contra si imputados. Isso depois dele mesmo, com a sua CARA DE PAU fantástica, ter demonstrado indignação contra aqueles que (segundo a sua distorcida e parcial visão) não souberam respeitar a sua “galega”.
                Opção lógica e primária, pois, morto não fala.
                Falando em respeito à esposa, por onde andará a então fiel escudeira – a “bela e elegante companheira” – Rosemary Póvoa de Noronha?
                Enfim, o CIRCO esteve completo!
                E não faltou sequer o palhaço para alegrar a plateia.
                Plateia que, além dos muitos cegos, estava repleta de políticos aproveitadores, que não titubearam em comparecer “para prestigiar” (me engana que eu gosto...) o acusado, em plena quarta-feira, dia útil no Brasil.
                Ah, que maravilha de espetáculo!

                Marcelo Aiquel – advogado (11/05/2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário