quarta-feira, 5 de julho de 2017

IBGE diz que PIB continuará mostrando contração no segundo trimestre

A despeito do crescimento da produção industrial em maio, os primeiros indicadores já conhecidos para junho sugerem devolução quase que integral dessa alta. Os índices de confiança, na mesma direção, apontam para queda da produção e elevação dos estoques, na passagem de maio para junho. A produção industrial avançou 0,8% entre abril para maio, segundo os dados da Pesquisa Industrial Mensal (PIM) divulgada ontem pelo IBGE. Na comparação interanual, a produção industrial subiu 4,0%, com expansão de 0,5% no ano. Entretanto, nos últimos doze meses, a queda acumulada chegou a 2,4%. O crescimento em maio se deu de forma disseminada, com 17 dos 24 setores pesquisados contribuindo positivamente no período, enquanto as três categorias de uso registraram aumento da produção. A produção de bens de capital cresceu 3,5%, enquanto a produção de bens de consumo avançou 1,3% entre abril e maio. Destacamos que o crescimento de 6,7% dos bens de consumo duráveis, refletindo o aumento da produção de veículos no mês, de 12,9%. Acreditamos, por outro lado, que a produção de automóveis em junho deve ter devolvido quase que totalmente essa expansão. A fabricação de bens semiduráveis e não duráveis também registrou alta no período, de 0,7%. Para 2017, projetamos uma melhora gradual da produção industrial. Para tanto, a retomada do consumo das famílias e a redução da taxa de juros deverão favorecer o desempenho da atividade industrial ao longo do ano. Por fim, apesar do desempenho positivo da produção industrial em maio, continuamos projetando uma contração do PIB no segundo trimestre, de 0,3%.

Nenhum comentário:

Postar um comentário