terça-feira, 3 de maio de 2016

Artigo, Macelo Aiquel - O espelho da irresponsabilidade

     Para quem ainda tinha alguma dúvida sobre o tamanho da irresponsabilidade da presidente Dilma;do seu PT;e daqueles que a apoiaram recentemente;os últimos sinais de fumaça que emanam da Capital Federal esclarecem até o mais cego dos militantes.
      Depois de “brincar” de seriedade, cercada de gente da estirpe de José Eduardo Cardozo; Jacques Wagner; Ricardo Berzoini; e do mais honesto ser vivo deste país, o falastrão do LILS (os poucos “companheiros” que ainda estão em liberdade), a nossa presidente guerrilheira mostra a sua verdadeira índole.
      Imitando o repugnante Fernando Collor (não me esqueço das suas caminhadas vestindo camisetas com mensagens, enquanto o “circo” pegava fogo), a ANTA sai a passear de bicicleta como se nada estivesse acontecendo na República das Bananas que ela – e o seu PT – ajudaram a afundar.
      Entupida de calmantes (que ela nunca precisou ingerir enquanto assaltava bancos, casas e quartéis, junto com o bando de terroristas de que fazia parte), ela agora surge com uma missão bem óbvia: entregar um país naufragado no mais completo caos.
      Caos financeiro, moral, ético, institucional, e econômico!
      Para tal, esta obtusa senhora (que, quando não lê um discurso pronto, horroriza até os muitoignorantes) utiliza os poucos dias restantes do seu (DES)governo para fomentar o incremento do endividamento das contas públicas.
      Numa ação de irresponsabilidade total. Mas não inédita:
      Há alguns anos, aqui mesmo em Porto Alegre, quando perderam o comando da Prefeitura Municipal (os petralhas locais também alimentaram o sonho de poder eterno, assim como o PT nacional nos quis impor na marra), os “éticos e decentes” membros do Partido da Trapaça, fizeram exatamente igual. Ou seja, agiramtal qual àquela criança mimada que, dona da bola é expulsa do jogo, e não deixa os outros jogarem mais.
      E não é por pura birra que o PT faz isso!
      É uma obra costurada com planejamento cirúrgico (com tons de maquiavelismo), visando estraçalhar os planos de quem os sucederá, com o único propósito de retornarem, depois,como salvadores da pátria.
      Bem do tipo: “...se era ruim conosco, será bem pior com eles...”.
      O estilo Maduro (o caricato e incapaz líder bolivariano da Venezuela) deixou seguidores nas figuras dos irresponsáveis que pouco se importam com o Brasil e com os brasileiros.
      Aquele discurso mentiroso e enganador a favor do trabalhador restou sepultado pelos atos derradeiros de quem deseja a pior situação para todos.
      Só ruim, não basta:
      QUANTO PIOR, MELHOR!... é o lema destes irresponsáveis.
      Mas, mesmo assim, diante dos absurdos que a presidente tem cometido ao apagar das luzes do seu projeto bolivariano de poder a qualquer custo, não se escuta, da boca de deputados então considerados independentes e sérios, uma só palavra de arrependimento por terem apoiado a guerrilheira no processo de impeachment.
      Onde estarão, agora, estes “coerentes” parlamentares?
      Ora, a resposta é evidente: estão chafurdando na lama que ajudaram a criar. Como perfeitas vestais da moralidade, fazem de conta que não é com eles.
      Porém, são igualmente irresponsáveis!
      Pois, falta-lhes o decoro necessário para representar com dignidade os milhares de votos que um dia receberam. E que, se a Justiça Divina não tardar, nunca mais ganharão.
      Porque, plagiando o genial Abraham Lincoln, “você pode enganar uma pessoa o tempo todo, algumas por algum tempo, mas não poderá enganar a todos o tempo todo”.

      Que esta DOLOSA irresponsabilidade seja exemplarmente punida!

Nenhum comentário:

Postar um comentário