terça-feira, 13 de setembro de 2016

Artigo, Glauco Fonseca - Qual foi a chantagem que Lula sofreu no caso Celso Daniel ?

“A Moro, Valério diz que Lula foi chantageado. Perguntado sobre detalhes, operador reage:‘O senhor não pode garantir minha vida’, disse ao juiz, em Curitiba.”

 Na primeira palavra proferida, em tom ardiloso e escorregadio, já se percebe um sujeito que não sabe fazer outra coisa além de falcatruas. O tom de voz macio e obsequioso de Marcos Valério respondendo às perguntas feitas pelo Juiz Sérgio Moro era a demonstração cabal do perfil aliado ao petismo durante o mensalão, que se seguiu por outros crimes subsequentes, desaguando no Petrolão. Valério contou com detalhes as reuniões que teve com Delúbio, Sílvio Pereira com o dono do Banco Shahim, com o falecido deputado José Janene (que era sujo, mas não tanto a ponto de querer fazer parte da chantagem feita por Ronan Maria Pinto, o Sombra, contra Lula, José Dirceu e o seminarista Gilbertinho Carvalho). Os políticos estavam sendo ameaçados por Ronan Pinto, que pediu 6 milhões de dólares pelo silêncio dele quanto ao envolvimento do trio no assassinato do prefeito de Santo André, Celso Daniel, em 2002.
Valério dá detalhes de hotéis, salas e chega a dar número do quarto ocupado habitualmente por Paulo Okamotto, que eclode na imundície como representante de Lula. A capacidade de contar e recontar os fatos com o nível de detalhes e a segurança de Valério é fatal para o ex-presidente. Valério, contudo, relutou em confirmar as motivações e o mando da morte, dizendo que só poderia dar mais detalhes em liberdade...
Resta saber se precisamos de Marcos Valério para termos o desfecho desta história macabra e insepulta de 14 anos.

Valério tem medo de falar, porque sabe do que os petistas são capazes. E são capazes...

Um comentário:

  1. Minha nossa Senhora, a que ponto chegamos! Precisa mais? Não basta à República petista ser varrida da história, por seus hediondos crimes, cujo maior é montar o esquema de cooptação de poder para ficarem "donos do Brasil" ad infinutum, além de virarem lixo inorgânico, precisam adubar as cadeias do sistema penitenciário. Corja!

    ResponderExcluir