terça-feira, 1 de novembro de 2016

Opinião do editor - Os cães ferozes foram soltos novamente.

O blog Ceticismo Político, assinado por Luciano Ayan, escreveu um romance para atacar o editor, acusado até de spin doctor do candidato Sebastião Melo. No caso de Sebastião Melo, o que o editor tem a dizer é que deve lealdade aos seus velhos amigos e companheiros, que como ele souberam lutar o bom combate contra a ditadura militar, redemocratizaram juntos a vida brasileira e permanecem fieis aos melhores princípios da liberdade política e econômica.

Luciano, que fez uma corruptela do sobrenome da autora russo-americana Ayn Rand, é alter ego do MBL. O MBL e o próprio autor do romance, apoiaram Marchezan Júnior e queixam-se de que o editor não é "imparcial". O editor nunca escreveu, em local algum, que é ou foi "imparcial", mas que sempre foi e é "independente". Foi por prezar a sua liberdade e a sua independência, que foi para a prisão várias vezes na ditadura e durante os 30 anos de chumbo da predominância do PT, sofreu por parte dele cruéis perseguições, processos judiciais, denúncias seguidas no MPF, na PF e no MPE, além de expurgos de todos os jornais, rádios e TVs onde trabalhou. Há 54 anos atrás o editor era eleito presidente da UBES (União Brasileira de Estudantes Secundaristas) no RJ e já lutava pela democracia (imagem abaixo retirada do site da UBES).

O apoio do editor ao candidato Sebastião Melo foi claro como um dia ensolarado no deserto subsaariano. Isto está registrado em comentários do Youtube e no Facebook do editor.

E respeitou quem pensou e agiu de outro modo, até mesmo familiares da sua maior intimidade.

O editor foi parceiro do MBL e de Luciano Ayan durante todo o processo de manifestações de rua e que resultou no impeachment de Dilma Roussef.

Acontece que isto acabou e o ciclo político agora é outro. O editor não presta vassalagem a nenhum Partido, não cumpriria o triste papel de protagonista de tragédias como as que vitimou Plínio Zalewski, como também não exerceria a condição de jagunço caçador de estudantes, como acontece no Paraná do governador Beto Richa.

Só o MBL e seus comparsas não entenderam isto, convencidos de que foram os salvadores da pátria e podem patrulhar quem discorda deles, conspurcando com isto os fundamentos do estado democrático de direito, no qual um dos apanágios mais caros é a liberdade de expressão, portanto de imprensa. O MBL meteu-se de pato a ganso e tenta desesperadamente permanecer à tona através de práticas anti-democráticas, inclusive comemorando vitórias que não são suas.

Os cães ferozes estão novamente soltos. Os da extrema esquerda já foram enfiados nos seus canis.

CLIQUE AQUI para examinar a catilinária dos guardiões da única verdade absoluta, a deles.

4 comentários:

  1. Boa Políbio, continua livre e independente. Assim são os grandes homens ou mulheres. Não ser capacho de ninguém é uma excelente opção.

    ResponderExcluir
  2. Polibio, no tempo da Grécia Antiga, condenaria Sócrates kkkk
    Não gosta de questionamentos. Simples.

    ResponderExcluir
  3. É isso mesmo Polibio. Conclusão certíssima.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Editor Polibio Braga por seu editorial claro e conclusivo.
    Eu também gostaria que o senhor apoiasse Marchezan , mas continuarei ser seu fiel leitor.

    ResponderExcluir