quarta-feira, 28 de junho de 2017

Marcelo Aiquel - Os rotos falando dos esfarrapados

OS ROTOS FALANDO DOS ESFARRAPADOS

         Eu realmente tenho me impressionado muito (negativamente, é óbvio) com a avalanche de pessoas que começaram – sim, começaram, de uma hora para outra – a vestirem o “manto” da decência e se tornaram – também de uma hora para outra – as vestais da seriedade.
         Gente que votou no Temer (ele que era o vice na chapa da ANTA, e foi escolhido por estes agora críticos ferrenhos do governo), gente que deu seu aval ao PMDB corrupto – ou ele não era assim, antes? – e hoje brada pela sua renúncia geral.
         Com que moral?
         Ah, com a mesma falsa moral do senhor Procurador Geral da República?
         Ele, que há poucos meses atrás, “fez vistas grossas” a outra gravação envolvendo a então presidente Dilma. Por que esta “seletividade” de moral?
Ah, dirão os hipócritas, mas aquela gravação era ilegal. E esta (feita capciosamente e com mais de 290 interrupções – segundo a PF), vale?        Vocês notaram como – assim, também de repente - todos viraram juristas conceituados, grandes estudiosos, e catedráticos no assunto?
         Todos não! Para não cometer injustiças, digo que algumas figurinhas carimbadas (aqueles que não podem ver um microfone que já saem dando palestras) como o senador Randolfe (o que era do PSOL até poucos dias), o deputado Molon (filhote do PT), o deputado Chico Alencar (outro remanescente do PT), isto sem falar na “tropa de choque” do petismo, os grandes mestres em pregar moral de cuecas, que são – digamos – bastante coerentes. Consigo mesmo. E só!
         E assim vamos atravessando esta grave crise (que uma emissora global – só preocupada em se salvar – chama de gravíssima. Ah, agora a vergonheira toda “virou” gravíssima...) onde as pessoas decentes somente querem justiça para todos os culpados, sejam quem sejam.
         Afinal, são as pessoas que, por caráter e formação, não tem um bandido de estimação.
         Enquanto isso, temos que ter paciência para escutar este “chalalá” imbecil dos rotos criticando os esfarrapados.
         Para encerrar, vou RE-RE-RE-REPETIR: Eu não votei no Temer!
         Entenderam? Ou será que terei de “desenhar”?


         Marcelo Aiquel – advogado (28/06/2017)

Nenhum comentário:

Postar um comentário