terça-feira, 12 de novembro de 2019

Artigo, Fábio Jacques, especial para este blog - Seremos múltiplos?


Se ninguém sabe explicar como é, me dou o direito de especular a respeito. Gosto de contestar o Princípio da Autoridade e pensar por mim mesmo.
O que é a vida? O que é o espírito? O espírito tem vida própria? Qual a interdependência do corpo com a mente? Será o cérebro um grande computador operado por alguma entidade espiritual?
Ninguém tem respostas definitivas para estas questões, e, portanto, qualquer elucubração sobre o tema permanece válida.
Eu tenho minhas próprias ideias a respeito, e desde já alerto que pouco estudei sobre psicologia e nada sobre psiquiatria. Minha ignorância é praticamente absoluta.
Desconheço a originalidade destas ideias porque nunca pesquisei a respeito, mas me parecem plausíveis e podem explicar muitas coisas até hoje, para mim, obscuras. Se alguém conhecer algum autor que tenha discorrido sobre o tema, por favor me indique.
Vamos lá.
O cérebro humano nada mais é que um processador altamente sofisticado com velocidade de processamento quase infinita e memória capaz de armazenar “zilhões” de informações. Para que funcione, o organismo tem que estar vivo e contar com “alguém” que o comande. A interdependência entre a máquina cérebro e o agente operador é total.
Agora a ideia, talvez um tanto quanto maluca: não há apenas um operador para cada cérebro e sim vários. Não falo de TDI, mas de entidades autônomas. Todos somos habitados por várias entidades. Na verdade, somos múltiplos.
Estes operadores disputam entre si a predominância pelo posto de controlador das ações o que leva a algumas situações peculiares:
Se um destes personagens for muito dominante, os demais não conseguem se manifestar. A pessoa habitada por esta entidade muito forte, sempre apresenta grande poder de decisão, não demonstra ter muita consciência porque nenhuma outra entidade consegue contrapô-la, não tem muitas dúvidas sobre o que faz ou decide fazer. Para ela não existem portas fechadas.
Quando duas ou mais entidades são igualmente dominantes, a pessoa se torna indecisa. Passa noites discutindo consigo mesma, condenando-se por atitudes tomadas e procurando se convencer de que agiu corretamente. Os conflitos de consciência se devem aos embates entre as entidades dominantes que ficam tentando desestabilizar umas às outras para tomar o controle das operações. – Eu não devia ter feito ou dito aquilo. – Agora está feito. – Mas não deveria ter feito. – Mas não dá mais para voltar atrás. – Mas devia ter pensado melhor. E assim por diante.
Quando duas ou mais forem extremamente dominantes, pode-se, eventualmente, observar a passagem do controle de uma para outra manifestando-se nos conflitos conhecidos como múltiplas personalidades. Ora a pessoa age de determinada maneira, ora age de forma completamente diferente. Melanie Goodwin é um exemplo de convivência com múltiplas entidades completamente diferentes entre si, com experiências próprias e até mesmo com idades diferentes.
Há inúmeros casos nos quais algum trauma transforma completamente a pessoa, mudando seu modo de agir ou revelando características completamente desconhecidas.
Derek Amato bateu com a cabeça no fundo de uma piscina e se tornou um grande pianista. Jason Padgett sofreu um golpe na cabeça em um assalto e se transformou em um gênio matemático que visualiza equações matemáticas e fractais em tudo o que olha. Ele tem uma habilidade única de desenhar à mão figuras fractais sofisticadíssimas.
Algumas pessoas simplesmente sofrem um “estalo” e passam a agir de forma diferente e a manifestar características até então desconhecidas.
Algumas vezes, frente a uma situação inusitada, a pessoa pode sofrer um bloqueio ficando como que paralisada em função da disputa entre duas entidades que pensam de forma completamente diferente sobre o tema em questão e que, não chegando a um acordo, paralisam as ações da pessoa.
Eventualmente alguma entidade externa pode passar a fazer parte da coletividade interior assumindo momentaneamente ou até permanentemente o controle das ações. São os casos de incorporações ou de possessões. Dependendo das características da nova entidade dominante, a pessoa pode passar a agir maligna ou benignamente. Às vezes é necessário praticar o ritual do exorcismo para expulsar a entidade estranha. “Como é teu nome, perguntou Jesus, e ele respondeu, meu nome é Legião, porque somos muitos”. Vade retro.
Quando nenhuma das entidades originais é predominante, a pessoa demonstra características de falta de vontade própria. O dominante é fraco, mas os demais são mais fracos ainda.
Em algumas situações é possível perceber a atuação das diferentes entidades. Uma pessoa presa em um elevador pode passar a discutir consigo mesma. Uma entidade diz que a pessoa tem que sair imediatamente do ambiente fechado enquanto outra lembra que ninguém fica eternamente preso em um elevador e que logo alguém o livrará desta situação. Pode até se ouvir uma dizendo: calma, fica frio, logo se resolverá este problema, ao mesmo tempo que outra fica insistindo que o problema é insolúvel e catastrófico.
Quando dramas de consciência assolam a pessoa, se a entidade que se achar com mais razão disser à outra para se calar, o problema se atenua e pode até ser resolvido. Dizer: agora está feito e não adianta querer voltar atrás, portanto, cale-se, pode acabar com a insônia e devolver à pessoa um sono reparador. Popularmente se diria que é ligar o “foda-se”.
Até mesmo os tratados de autoajuda parecem ser tentativas de consolidar a dominância de uma determinada entidade. Convença-se de que você pode, você é forte, você consegue alcançar tudo o que quiser. Você é o cara. Não se deixe levar por “aqueles” que tentam jogá-lo para baixo.
Tudo isto pode ser uma perfeita bobagem fruto apenas de uma mente imaginativa e ignorante, mas se olharmos sem paixão e com a liberdade de quem ousa contestar a autoridade sobre o assunto, pode até fazer algum sentido. E até mesmo apresentar uma explicação mais simples e razoável para inúmeros fenômenos muito discutidos e nunca solucionados.
E, finalmente, resta a pergunta: quem somos nós?
Somos a manifestação de alguma ou de várias destas entidades que são as operadoras do hardware que é o nosso cérebro e que, na sua essência, formam o conjunto daquilo que conhecemos como nós, seres humanos inteligentes, dotados de características peculiares e de vontade própria.
O autor é diretor da FJacques - Gestão através de Ideias Atratoras e autor do livro “Quando a empresa se torna Azul – O poder das grandes Ideias”.
http://www.fjacques.com.br -  mailto:fabio@fjacques.com.br
Whatsapp: 9725 6254


De: Fabio Jacques <fabiofjacques@gmail.com>
Enviada em: terça-feira, 12 de novembro de 2019 12:06
Para: POLIBIO BRAGA <polibioadolfobraga@gmail.com>
Assunto: Seremos múltiplos?

Olá Políbio, bom dia.
Em anexo um texto elucubrativo sobre um tema completamente diferente daqueles sobre os quais tenho escrito.
Estou entrando em uma seara que não é minha especialidade, sobre a qual tenho compilado ideias talvez até próprias, e que para mim fazem sentido. Posso estar dizendo uma grande bobagem ou até pode ser que não esteja dizendo nada de novo.
Gostaria que lesses e, se achares razoável, publique-a.
Deixo ao teu critério, uma vez que deves ter mais conhecimento sobre o tema do que eu.
Abraços.

10 comentários:

  1. Lendo Fabio Jacques, ocorre-me m/ir. Fernando Pessoa, que vivia em meio à varias entidades ( PERSONALIDADES ), complementares e antagônicas!!!

    ResponderExcluir
  2. Fábio, vc tem um espírito matemático.. parabéns prof Chicão Selcon consultores associados

    ResponderExcluir
  3. Achei interessante a sua abordagem sobre esse assunto, digamos assim, misterioso ou inacessível à maioria dos seres humanos.

    Muito pensei, ao longo dos anos, a respeito sobre o que somos, sem encontrar uma explicação plausível.

    Por que estamos habitando nosso corpo, de onde viemos, para onde iremos após nosso espírito, mente, pensamentos, alma ou outra definição extra-corpórea abandonar a substância química composta que chamamos de corpo?

    Qual a nossa missão?

    Por que alguns seres mal são gerados e logo são descartados, como no aborto?

    Por que outros vivem por pouco tempo, dias, semanas, meses, poucos anos, enquanto que outros duram dezenas e até pouco mais de uma centena de anos?

    Ao sermos introduzidos em uma comunidade, fomos condicionados a acreditar na existência de um ser supremo, que alguns povos chamam de Deus, outros de Alá, Olodumare, Brahma, etc., ao longo da história da civilização humana.

    Muito bem! Considerando que cada cultura de um povo chame o ser supremo com os nomes adequados às suas crenças, penso que caberiam a perguntas, ficando na concepção do cristianismo:

    “Se Deus nos criou, quem criou Deus?”
    “E quem criou o Deus, que criou o Deus que nos criou?”

    O ciclo de perguntas seria infinito, porque sempre teria uma origem de algo que foi criado.

    Ou seja, para nossa compreensão, o que resta é a total incompreensão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Realmente, são mistérios insondáveis. Simplesmente fascinantes.

      Excluir
  4. MUITO BOM! GOSTEI!
    Jacques,aproveitando suas elocubrações tive um "flash" :

    - tentar reunir essas "entidades, ver o que cada uma delas tem de bom,de util,de "INTERÉSSES" e direcionar ações com governança em função de alcançar objetivos comuns.

    Ao invés da disputa de beleza entre as entidades, de repente disperdiçando energias, tempo, concentrar energias de todas,como no EEITO ARÍETE!!

    Se os vetores das energias forem convenientemente orientados poderemos ter um resultado surpreendente,harmonia mental,grande poderio de realização e evolução pessoal.

    Os humanos saíram da caverna assim mesmo, pensando, parabéns!

    ResponderExcluir
  5. ELOCUBRAR É PRECISO
    ===================

    NEM QUE SEJA PARA MELHORARMOS AS PESSOAS E AS COISAS A NOSSA VOLTA;SAIMOS DAS CAVERNAS E ESTAMOS BRINCANDO NA LUA E EM MARTE COM OS "JIPINHOS" O QUE É UMA MARAVILHA...

    LEMBRO DAS "ELOCUBRAÇÕES" SÔBRE O ÁTOMO, PALAVRA CUJO CUJO SIGNIFICADO É "INDIVISIVEL", E AS ELOCUBRAÇÕES CONTINUARAM E AGORA PERCEBEMOS SER INFINITAMENTE DIVISIVEL.

    COM O QUE CHEGO A CONCLUSÃO DE QUE:

    "ELOCUBRAR ´É PRECISO"!

    cqd

    ResponderExcluir
  6. "A VIDA É UMA GINCANA"

    A TODO MOMENTO ESTAMOS EXECUTANDO TAREFAS, COMO NUMA GINCANA, FAZER O MELHOR NO MENOR TEMPO COM MENOR DISPENDIO DE RECURSOS E ENERGIAS.

    UM JOGO, UM GRANDE JOGO,O MAIOR JOGO DE TODOS,NO QUAL VIVENCIAMOS O SOFRIMENTO ,A ALEGRIA ,A DOR,O PRAZER.

    "VITA GAME"!

    ESTE É O NOME DO JOGO, E QUE ALGUNS NÃO PERCEBERAM, MAS PARA MIM MUDA A ÓTICA DO VIVER, JOGANDO O JOGO DA VIDA, O "VITA GAME",A GINCANA MAIS ESPETACULAR QUE EXISTE, NA ÓTICA DAS MINHAS "ENTIDADES", CLARO.

    PENA QUE NO FIM DO JOGO TODO MUNDO MORRE!

    MAS TEM QUE SER ASSIM? ENQUANTO ASSIM É, A MISSÃO É TENTAR PROLONGAR O JOGO O MAIS QUE PUDERMOS, ISSO JÁ ESTA ACONTECENDO.

    ELOCUBRANDO E ELOCUBRANDO, QUEM SABE POSSANOS MUDAR O FINAL DO JOGO?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito interessantes estes teus raciocínios. Unir os vetores das entidades para a exponencialização das capacidades da pessoa.Será que conversando com elas seria possível alcançar sucesso? Para saber, só tentando.
      Abraços

      Excluir
  7. ASSIM FIZ E CONSEGUI RESULTADOS "DO OUTRO MUNDO"

    Em muitas ocasiões.

    Considerei os objetivos, os detalhei a mim mesmo e a quem ou o que pudesse contribuir para realizar,advogando que tais objetivos eram extremamente necessários,de interesse comunm e meio que "cobrei" ação para alacançar. BINGO! muitas vezes.

    Um ingrediente foi a FÉ, a CRENÇA DE QUE ERA POSSIVEL, assim como já tinha acontecido outras vezes,isso era um "capital de fé" para dar o "enter".

    Certa feita no hospital,a beira da morte certa,sem solução de nenhum médico eu "cobrei" alguma solução a alguem ou quaisquer energias ou forças que pudessem intervir a meu favor.Alguns minutos depois, inesperadamente uma funcionaria comum veio perguntar a um médico presente como um tal remedio (FLAGIL) poderia ser usado no soro de um paciente,pegou a resposta e sumiu. Pois o tal remedio foi a inspiração para o meu caso e estou eu aqui com meus 70 teclando,jogando o jogo da vida.
    ------------------------

    EVENTOS E INTERVENÇÕES "MILAGROSAS"

    Considero um MILAGRE o "EVENTO BOLSONARO" a partir do famoso telefonema "TCHAU TCHAU QUERIDA", pessoas malignas começaram a ter contratempos e a derrocada de sua empresa o FORO DE SÃO PAULO.
    Em toda a America Latina, tomada, infestrada de comunistas e socialistas,e outra parte de ladrões das coisas públicas destes paises.QUEM APOSTARIA NISSO? pois aconteceu.

    Seriam "ENTIDADES DO COLETIVO" somando vetores para isso acontecer?

    EVENTO BOLSONARO , EVENTO FORO DE SÃO PAULO,EVENTO EVO,não seriam explicaveis pela logica racional comum, probabilidades,e podem ser um CAPITAL DE FÉ para liquidar com o time de capa pretas nomeados pelos malignos para absolvê-los.

    Haverá algum evento importante para livrar o coletivo Brasil destas entidades malignas?

    ResponderExcluir