quinta-feira, 31 de dezembro de 2020

Países que começaram a vacinar

 Países que já vacinam contra o vírus chinês

país data de início

Alemanha 26.dez.2020

Arábia Saudita 17.dez.2020

Argentina 29.dez.2020

Áustria 27.dez.2020

Barhrein 16.dez.2020

Bélgica 28.dez.2020

Bielorussia 29.dez

Bulgária 27.dez.2020

Canadá 14.dez.2020

Chile 24.dez.2020

China julho (dia desconhecido)

Chipre 27.dez.2020

Costa Rica 24.dez.2020

Croácia 27.dez.2020

Dinamarca 27.dez.2020

Emirados Árabes 14.set.2020

Escócia 8.dez.2020

Eslováquia 26.dez

Eslovênia 27.dez

Espanha 27.dez

Estônia 27.dez.2020

EUA 14.dez.2020

Finlândia 27.dez

França 27.dez

Grécia 27.dez

Hungria 26.dez.2020

Inglaterra 8.dez.2020

Irlanda 29.dez

Irlanda do Norte 8.dez.2020

Islândia 29.dez

Israel 19.dez.2020

Itália 27.dez

Kuwait 24.dez.2020

Letônia 28.dez

Lituânia 27.dez.2020

Luxemburgo 28.dez.2020

Malta 27.dez.2020

México 24.dez.2020

Noruega 27.dez

Omã 27.dez.2020

País de Gales 8.dez.2020

Polônia 27.dez.2020

Portugal 27.dez.2020

Qatar 23.dez.2020

República Tcheca 27.dez

Romênia 27.dez.2020

Rússia 15.dez.2020 (a nível nacional)

Sérvia 24.dez.2020

Suécia 27.dez.2020

Suíça 23.dez.2020

dados atualizados até 30.dez.2020

fonte: veículos de comunicação dos países listados

quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Artigo, Nizan Guanaes, Folha de S. Paulo - Você aguenta ser feliz ?

Eu fiz uma cirurgia bariátrica há muitos anos, de maneira estabanada, para me livrar dos meus antigos 150 quilos. Meu pai morreu do coração aos 45 anos, e eu não podia continuar com aquele peso. O médico diz que você vai poder comer de tudo. O problema é que você passa a beber de tudo também.

Eu quase virei alcoólatra. Como, aliás, acontece com muitas pessoas que fazem bariátrica sem se preparar antes e sem supervisão depois. E foi para cuidar dos meus excessos — de cigarros, bebidas, cafés, refrigerantes e remédios para dormir -  que eu, graças a Deus, conheci o médico psiquiatra Arthur Guerra. Ele transformou a minha vida não me entupindo de mais remédios, mas tirando esses remédios e me entupindo de esportes.

Guerra me botou para fazer triatlos e maratonas e me fez descobrir um mundo que acorda às 5 da manhã e dorme exausto e feliz às 10 da noite.

Mas, de tudo o que Arthur Guerra me ensinou, nada é mais brilhante do que a pergunta dele que eu coloquei em cima da minha mesa de trabalho e a que tento responder todos os dias: “Nizan, você aguenta ser feliz?”. Esta, querido leitor e querida leitora, é a pergunta que dou de presente de Ano Novo depois de um ano de tantas tristezas, mas também superações. Você aguenta ser feliz?

A pessoa luta para alcançar determinados objetivos na vida e, se e quando consegue atingi-los, quer mais e mais. A gente sonha com uma meta e, quando chega lá, começa a sofrer atrás de outra mais distante. Pedimos aos céus o que não temos, em vez de agradecermos o que já temos. E, quando atingimos o que tanto queríamos, aí queremos neuroticamente um novo objetivo. Ou seja, estamos sempre deixando para ser feliz na próxima conquista. Isso pode ser (e é) motivador, mas muitas vezes é enlouquecedor também.

Então meu ponto aqui é que a felicidade, como tanta coisa nessa vida, é uma questão de disciplina.

O dalai-lama diz que a felicidade é genética ou treinada. E de fato tem gente que é feliz por natureza. Para nós, a grande maioria, ela é uma conquista. É como se fosse uma outra carreira, interna: administrador de si mesmo.

E essa pessoa insaciável retratada nesta coluna está, em maior ou menor grau, dentro de todos nós. Os felizes não a escutam muito. Os infelizes são dominados por ela.

Esse comportamento nos leva a fazer duas coisas que são absolutamente inúteis: tentar corrigir erros de coisas que ficaram no passado e postergar a felicidade para conquistas que enxergamos no futuro. Como passar 2021 tentando corrigir os fracassos de 2020 ou adiando a felicidade para 2022.

Por isso, a pergunta é necessária. Será que você aguenta ser feliz? Até porque as melhores coisas da vida não têm preço: amor, família, amigos, fé, respiração.

Ser feliz é quase uma dieta, uma alimentação balanceada da alma. Que mistura bens materiais e, principalmente, imateriais.

Essa é uma reflexão para você, pessoa física, mas que pode ajudar muito a pessoa jurídica. Por isso Harvard tem tratado tanto da administração da pessoa ao tratar da administração da empresa.

O que desejo a você, leitor, é o que eu me desejo em 2021 e será o meu desafio diário: que você lute para ser as coisas que queira ser, mas não despreze o que é conquistado, o que já é. E que viva 2021, e não 2020 ou 2022.

Até porque o ano que começa será, tem que ser, um ano de cura, de vacina, de virada e de vida. 2020 foi um ano de grande tristeza. De muitas perdas. De muitas e duras lições.

Ficamos desesperados e muito tristes, e essa tristeza era inevitável. Mas a vida precisa da felicidade, e a felicidade precisa da vida.


*Feliz ANO NOVO!!!...*


Carta aberta

O ex-governador Tarso Genro, que é o candidato a candidato mais visível do PT ao Senado (2022), publica, hoje, carta aberta ao governador de São Paulo, João Doria, para incitá-lo a derrubar o presidente Jair Bolsonaro. 

O líder lulopetista não propõe nenhuma ilegalidade, mas defende que João Doria reúna seus amigos da plutocracia, da mídia corporativa e da velha política, tudo para forçar politicamente a Câmara dos Deputados a dar início a processo de impeachment contra Bolsonaro.

O discurso é o mesmo da presidente nacional do PT, Gleisi Hofmann, que exige isto para apoiar o líder do MDB, Baleia Rossi, na disputa pela presidência da Câmara. Só presidentes da Câmara podem dar início ao processo.

Na carta aberta, Tarso Genro alinha três razões principais, todas exasperadamente perfunctórias, para que o governador entre em ação: 1) Porque da mesma forma que a vanguarda do atraso, Doria coloca a saúde em primeiro lugar, em detrimento da economia. 2) Porque Doria vem sendo atacado de maneira "sórdida" (calças apertadas) pelo bolsonarismo. 3) Porque o presidente o insulta através de vídeos.

Tarso Genro, como se sabe, como o PT e Lula, tornou-se irrelevante politicamente.

CLIQUE AQUI para ler a carta aberta, mas o editor sugere ter à mão um bom pacote de Engov, de preferência com sabor tangerina. 

Porto Alegre já tem lei que implanta o Sistema de Avaliação Municipal da Educação Básica

- Este texto é da jornalista Luiza Lindenbaun, prefeitura de Porto Alegre. 

O prefeito Nelson Marchezan Júnior sancionou a lei que institui o Sistema de Avaliação Municipal da Educação Básica (Sameb-POA). Publicada em edição extra do Diário Oficial de Porto Alegre (Dopa) nesta terça-feira, 29, a lei nº 12.796 prevê a realização da Avaliação da Educação Infantil, da Prova Porto Alegre (voltada para o ensino fundamental), da Avaliação Municipal de Educação Básica e demais avaliações oficiais instituídas pelo Ministério da Educação (MEC).


O monitoramento e a avaliação do aprendizado serão orientados por processos científicos, dando a gestores e professores subsídios para identificarem as dificuldades de aprendizagem e estabelecerem metas para a melhoria do ensino.


As redes públicas municipais (estatal e comunitária) terão participação obrigatória, e as redes estadual e privada poderão aderir. O Sameb-POA será coordenado e executado pela Secretaria Municipal de Educação (Smed) e deverá atender às diretrizes pedagógicas vigentes e garantir a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) correspondente à educação infantil e aos anos iniciais e finais do ensino fundamental. A criação do sistema está prevista na lei nº 11.858/2015, que estabeleceu o Plano Municipal de Educação (PME) de Porto Alegre.


“As políticas educacionais devem se beneficiar dos avanços alcançados pelos instrumentos de avaliação ao longo dos anos. O monitoramento constante permite a tomada de decisões baseadas em evidências, orientando as práticas docentes tanto no dia a dia quanto a médio e longo prazos”, explica o secretário de Educação, Adriano Naves de Brito.


Gestão das escolas – A aplicação sistemática de avaliações também está prevista na lei 12.659, sancionada em janeiro deste ano e que altera as regras das eleições para diretores e da gestão das escolas da rede municipal de ensino. A legislação coloca a aprendizagem no centro das decisões, incentiva a participação dos pais na escola e fortalece o papel do diretor como líder da comunidade escolar. Nas escolas de ensino fundamental, os diretores deverão apresentar à comunidade escolar o resultado das avaliações externas e, caso a média da instituição seja menor que 7, o período de administração do diretor poderá ser abreviado – o que também pode ocorrer se o resultado não for pelo menos 2% maior que o da avaliação da proficiência imediatamente anterior – por meio de referendo pelo colégio eleitoral. Se o mandato do diretor não for referendado pela maioria simples do colégio eleitoral, ou se por duas avaliações oficiais anuais consecutivas realizadas pela Smed o resultado não for alcançado, haverá novas eleições.  

terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Manaus vive novo estado crítico

  Somente no domingo, último dia com dados disponibilizados pelo serviço funerário da prefeitura, foram 49 enterros, dos quais 15 foram de vítimas do coronavírus. Até setembro, a média diária de sepultamentos na cidade era de 30.

A capital do Amazonas, que foi uma das primeiras cidades brasileiras a enfrentar colapso nos serviços de saúde por causa da pandemia, teve no último domingo  o maior número de hospitalizações num único dia desde maio: 88. De acordo com o governador, Wilson Lima (PSC), já são 7 dos 11 hospitais particulares da cidade com lotação máxima nas vagas de UTI (unidade de terapia intensiva).

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde, o total de vagas em UTI exclusivas para pacientes com vírus chinês é atualmente de 206 em todo o Estado. Somando também os leitos clínicos, o número de vagas a pessoas infectadas pelo coronavírus chega a 806.

É muito pouco. Manaus tem 1,7 milhão de habitantes. Porto Alegre, 1,5 milhão de habitantes, tem 816 leitos de UTIs e 350 deles estão ocupados por infectados pelo vírus chinês. 

O Amazonas registrou mais de 195 mil casos de covid-19 desde o início da pandemia. Desses, 79.512 foram diagnosticados em Manaus, o que corresponde a 40% do total. Morreram 3.328 pessoas vítimas da doença na cidade e 5.206 em todo o Estado, que é uma das unidades da Federação com maior taxa de mortes por milhão de habitantes: 1.237. A média do Brasil é de 905 mortes por milhão.


Ex-executiva da farmacêutica Merck morre misteriosamente

 No último dia 8 de dezembro, a ex-executiva de vendas da empresa farmacêutica Merck e fundadora do learntherisk.org, um site dedicado a educar as pessoas sobre os riscos associados às vacinas, Brandy Vaughan, foi encontrada morta.


De acordo com o Children’s Health Defense, Vaughan teria morrido de “complicações da vesícula biliar”, embora a fonte do relatório não tenha sido citada, nem compartilhado a causa específica das complicações.


Logo após saber de sua morte, uma amiga de Vaughn, Erin Elizabeth, compartilhou screenshots de uma postagem no Facebook. Na publicação, em dezembro de 2019, Vaughan garantiu aos leitores que não era suicida e não tomava nenhuma droga que a levasse a morrer de repente.


“A postagem que eu gostaria de não ter que escrever. Mas, dadas algumas tragédias nos últimos dois anos, sinto que é absolutamente necessário publicar esses dez fatos. Por favor, capture uma imagem para o registro”, escreveu Vaughan.


“Tenho uma grande missão nesta vida. Mesmo quando eles tornam tudo muito difícil e assustador, eu nunca tiraria minha própria vida. Ponto final”, continuou Vaughan. “Em outras palavras, não estou em nada que possa me matar inesperada ou repentinamente”.


“Se algo acontecesse comigo, seria um crime e você sabe exatamente quem e por que – dado meu trabalho e missão nesta vida”, afirmou.


Elizabeth também compartilhou uma captura de tela de um texto que recebeu de Vaughan, no qual ela expressou preocupação em ser envenenada e, aparentemente, fez referência à morte do Dr. Ben Johnson, em janeiro de 2019.


Vaughan, que trabalhava como representante de vendas de produtos farmacêuticos da Merck, explicou como começou como ativista expondo os perigos das vacinas e da indústria farmacêutica em um vídeo compartilhado em 2015.


“Quando descobri que a Merck havia falsificado os dados de segurança e o Vioxx, na verdade, tinha o dobro de ataques cardíacos e derrames [para] pessoas que o tomavam, realmente me fez perceber que havia muita corrupção nos bastidores”, disse Vaughan. “Só porque uma vacina está no mercado, não significa que seja segura.”


“Quanto mais me aprofundava nisso, percebia que as vacinas não são para a saúde pública. É realmente sobre o lucro da empresa farmacêutica. Basicamente, é jogar roleta russa com nossos filhos”, continuou Vaughan. “Fiquei muito motivada para entrar mais nessa luta quando percebi os projetos de lei de vacinação obrigatória que estavam varrendo o país.”


Vaughan fundou a Learn The Risk, uma organização sem fins lucrativos, em resposta a uma das primeiras leis de vacinação obrigatória na Califórnia (SB277), de acordo com seu site. O SB277, que foi sancionado em 2015, “proibia os pais de citarem suas crenças pessoais como motivo para não vacinar seus filhos”.


Vaughan começou a ser intimidada quando voltou de uma manifestação de protesto contra SB277, em Sacramento, explicou em um vídeo compartilhado em 2015.

Artigo, Adão Paiani - A teologia das trevas

     A editoria de Opinião do jornal Folha de São Paulo de segunda-feira (28) traz artigo da pastora Lusmarina Campos Garcia, que se intitula teóloga e pesquisadora de Direito na UFRJ, defendendo o aborto. 

Lusmarina, até onde se sabe, exerceu seu “ministério pastoral” (seja lá o que isso queira representar para alguém que tenta justificar, teologicamente,a interrupção covarde e brutal de uma vida) junto auma tradicional denominação religiosa luterana, fundada no Rio Grande do Sul pelos imigrantes alemãesainda no século XIX.   

Em 2018, quando a participação de Lusmarina em audiência pública no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre a proposta da descriminalização do aborto até a 12ª semana de gestação causou surpresa, escândalo e indignação entre os fiéis luteranos; a instituição divulgou notaafirmando não ter sido consultada ou informada da participaçãodela no evento; que seu pensamento não refletia o posicionamento eclesial sobre o tema; e que a mesma estaria licenciada de suas funções pastorais, a pedido, para estudos de pós-graduação. 

Na verdade, as posições da religiosarepresentam a visão de mundo da denominada Teologia da Missão Integral, versão luterana da Teologia da Libertação; associada a um feminismo radical; ambas em franca contradição com a verdadeira teologia cristã.

Mas voltando ao artigo;neleLusmarinadefende o aborto como “direito humano das mulheres”, esquecendo que o mesmo encontra-se em oposição ao direito à vida de outro ser humano; indefeso e que não pode reagir ante a brutalidade a que é submetido. 

A teóloga, em seu texto, expressaa torcida para que o Senado argentino decida transformar em lei, em votação marcada para esta terça-feira (29), o projeto de Interrupção Voluntária da Gravidez que foi aprovado no dia 11 de dezembro pela Câmara dos Deputados da Argentina.

Segundo Lusmarina, a decisão irá“influir na mudança da realidade das mulheres não só de lá, mas da América Latina”, e será “um passo fundamental para a recuperação da dignidade das mulheres e a afirmação da sua autonomia em sociedades marcadas por estruturas patriarcalmente definidas”.

Tudo isso, é claro, banhado no sangue de inocentes indefesos, e ao custo de irreparáveis danos físicos e emocionais nas mulheres levadas a abortar; o que é irrelevante para a doutrina que defende tais práticas.Detalhe: o projeto abortista argentinoprevê que as mulheres e “outras identidades com capacidade de gerar” possam interromper sua gestação até a 14ª semana.  

É sabido que, na 14ª semana de gestação, o bebê já está completamente formado, sendo capaz de movimentar-se e sentir; as unhas estão começando a crescer nos dedos das mãos e dos pés; a boca pode abrir e fechar, passando a fazer movimentos de engolir e chupar. 

Na 14ª semana, os músculos faciais já se encontram desenvolvidos para as primeiras expressões; os olhos se moveram para o lugar certo na parte superior do rosto, as orelhas se moveram do pescoço para os lados da cabeça, as mandíbulas já estão completas, e o palato começa a se fechar; sendo que o esôfago, traqueia, laringe e cordas vocais estão com sua conformação normal.

Mas esses, certamente, são detalhes de menor importância para aqueles que acreditam possauma vida ser gerada não apenas por mulheres, mas por outras “identidades de gênero”, conforme está no projeto que deverá ser votado pelo Senado do país vizinho; e cuja eventual aprovação deverá justificar medida semelhante no Brasil. 

As posições defendidas no artigo de Lusmarina exigem um claro repúdio de todos aqueles que não admitem que a moral, a ética e a doutrina cristã sejam sequestradas por uma ideologia nefasta e criminosa, servindo para justificar condutas que desconstroem os mais elementares princípios de humanidade que todos, independente da fé que professem, devem preservar e defender.

O aborto, praticado como método contraceptivo e como expressão de uma alegada afirmação feminina na sociedade; é um ato desumano, cruel, vil, torpe e incompatível com uma sociedade minimamente civilizada. 

Quanto aos que o defendem, esses um dia terão de prestar contas de seus atos; senão aqui, na Eternidade; apesar de queessa é uma preocupação que os defensores da “Teologia das Trevas”não têm, pois para isso é preciso ter fé na capacidade do ser humano em dar o melhor de si pelo seu semelhante; na humanidade e na importância e valor de cada vida. 

Essa fé,defensores do que propõe o artigo da religiosa abortista, se em algum momento de suas miseráveis existências experimentaram, hoje não vivenciam mais; dominados pela arrogância de um pretenso saber, por uma ideologia que desumaniza e cega; e imersos na mais abissal escuridão de suas almas. 


*Adão Paiani é advogado em Brasília/


segunda-feira, 28 de dezembro de 2020

Planos de Saúde terão reajuste forte a partir do mês que vem

 Os planos de saúde ficarão mais caros a partir de janeiro de 2021. O aumento se deve à suspensão do reajuste em 2020 por causa da pandemia. Os boletos deverão trazer as cobranças de valores que deixaram de ser pagos neste ano, de forma parcelada em até 12 vezes, além da mensalidade. A informação é do Globo.

O Brasil tem 47,2 milhões de usuários de planos de saúde, segundo a ANS. Para 20 milhões, a correção do valor chegará em janeiro. Desses, 5,3 milhões trocaram de faixa de etária e tiveram o aumento no plano referente à mudança de idade suspenso de setembro a dezembro deste ano.

No caso dos planos familiares ou individuais, o percentual máximo de reajuste (para os que foram contratados a partir de 1999 e os antigos adaptados) é de 8,14%.

 Eis os tipos de contrato que tiveram o reajuste suspenso em 2020:

planos individuais;

planos coletivos;

planos empresariais com até 29 usuários.

Os contratos que tiveram reajustes suspensos de setembro a dezembro terão a recomposição desses 4 meses aplicada a partir de janeiro de 2021, em 12 parcelas iguais. No caso dos planos individuais, a ANS adiou a divulgação do percentual máximo de correção que deveria seria aplicado a partir da mensalidade de maio.

Com isso, não houve reajuste em 2020, sendo necessário recompor 8 meses, não apenas 4, como nos demais planos. A diferença desses 8 meses sem reajuste será cobrada a partir de janeiro, também diluída em 12 parcelas iguais.

domingo, 27 de dezembro de 2020

Vacina que cura vírus chinês

 Cientistas britânicos testam uma nova droga que poderia impedir quem pegou o coronavírus de desenvolver a covid-19, doença causada pelo vírus. O remédio, conhecido como AZD7442, envolveria uma combinação de anticorpos de longa ação.


A notícia foi publicada pelo jornal britânico The Guardian. A reportagem está em inglês.


Em vez de anticorpos produzidos pelo organismo para combater a infecção, a droga usa anticorpos monoclonais criados em laboratório. Seria capaz de prover imunidade instantânea contra a doença. Poderia ser ministrada como tratamento emergencial para conter surtos da doença em hospitais e asilos, por exemplo.


Ainda, seria uma forma de conter o número de mortes e complicações causadas pela covid-19 enquanto não há vacinas para imunizar toda a população.


Quem desenvolve a droga é a AstraZeneca, mesma empresa que pesquisa a vacina contra o coronavírus comprada pelo governo federal do Brasil. Também estão envolvidos no projeto os UCLH (Hospitais da Universidade College Londres, em tradução livre).


Os documentos sobre o ensaio clínico enviado aos EUA, diz The Guardian, mostram que é investigada “a eficácia do AZD7442 para profilaxia pós-exposição da covid-19 em adultos”. Esse tratamento impede que o vírus se acople às células humanas.


“A proteína da espora do Sars-CoV-2 contém o RBD (domínio de receptor-obrigatório) do vírus, que possibilita ao vírus unir-se aos receptores em células humanas. Mirando a essa região da proteína da espora do vírus, anticorpos podem impedir o vírus de se acoplar em células humanas, e assim poderia bloquear a infecção”, detalha o documento.


Se tiver a eficácia comprovada, o remédio deve ser tomado até o 8º dia da exposição ao coronavírus. Ajudaria a impedir o desenvolvimento da doença por até 12 meses. Os participantes dos testes têm recebido duas doses da droga. Os estudos receberam o nome de “Storm Chaser” (Caçador de Tempestades, em tradução livre).


Seria possível ter a droga até março ou abril de 2021, se aprovado pelas agências reguladoras de medicamentos depois de ter os estudos revisados. Os testes são feitos em UCLH, outros hospitais britânicos e uma rede de 100 outros lugares pelo mundo.


Os UCLH ainda fazem um teste paralelo com a mesma droga. A ideia é descobrir se o remédio protege pessoas com o sistema imune comprometido, como é o caso de quem faz quimioterapia. Esse estudo recebeu o nome de “Provent”. Tanto esse quanto o Storm Chaser estão na fase 3, a última dos testes de medicamentos.


Os 2 ensaios são efetuados no novo centro de pesquisas em vacinas dos UCLH, financiado pelo braço de pesquisas do NHS (Nacional Health Service, equivalente do SUS no Reino Unido).


Só no Brasil o coronavírus já matou ao menos 190.488, segundo o Ministério da Saúde. Além do número de pessoas que perdem a vida, o vírus também causa estrago na economia mundial.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2020

Bolsonaro assina decreto que regulamenta Marco Legal do Saneamento Básico

Cinco meses após a sanção do novo Marco Legal do Saneamento Básico, o presidente Jair Bolsonaro editou hoje (24) decreto para regulamentar os repasses a governos locais para apoiar licitações.


O decreto define as regras para que a União envie recursos e ofereça apoio técnico para que estados e municípios se adaptem às novas regras do setor de saneamento. O texto também estabelece uma série de atividades a serem executadas pelo governo federal para facilitar a transição dos governos locais ao novo modelo.


O novo Marco Legal do Saneamento Básico torna regra a realização de licitações para contratação de companhias de água e esgoto. Pelo novo modelo, a iniciativa privada passará a disputar as concorrências em igualdade de condições com as estatais locais.


Como no Brasil, a responsabilidade pelo saneamento cabe aos municípios ou a consórcios de municípios, o novo modelo prevê que a União forneça apoio técnico e financeiro aos governos locais para a formulação dos processos de licitação.


Segundo o decreto, os governos locais precisam cumprir critérios para receber a ajuda técnica e os repasses da União, como a obediência a normas da Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico (ANA) e o comprometimento com a regionalização do serviço de saneamento.

Major-Brigadeiro Jaime Rodrigues Sanchez - O cavalo tomou o freio nos dentes

Não satisfeitos com a intervenção nos assuntos dos demais Poderes e com a manipulação da Constituição Federal, a Suprema Corte agora desandou a dar prazos absurdos e aleatórios para o cumprimento de tarefas pelo Executivo, como se fosse para alunos gazeteiros de colégio.

Há muito a Suprema Casa da Mãe Joana tomou o freio da Nação nos dentes e hoje é uma locomotiva desembestada, levando os outros poderes de roldão rumo ao precipício, sem qualquer reação das autoridades dominadas.

O Legislativo, porque tem o rabo preso e o Executivo pelo espírito da caserna que predomina nos colaboradores mais próximos do Presidente e lhes impinge um excesso de zelo com uma Constituição Federal desmoralizada.

Já no início do mandato presidencial, em março de 2019, começaram os primeiros balões de ensaio para inibir e testar as iniciativas do Comandante Supremo das Forças Armadas.

O ministro Marco Aurélio Mello afirmou que “os 55 anos do golpe militar de 1964 não devem ser comemorados, como ordenou o presidente Jair Bolsonaro.”

No entanto, nada foi feito ou dito por Suas Excelências quando, em 2017, a Câmara dos Deputados celebrou e cantou o hino do partido comunista para comemorar os cem anos da Revolução Russa, e o presidente da Casa, Rodrigo Maia, ressaltou a importância de registrar esse marco histórico do século 20.

Contrastando com o atual, um outro STF, democrático divulgou, em 31 de março de 1964, uma nota à imprensa com a seguinte mensagem do seu presidente Ribeiro da Costa: “O desafio feito à democracia foi respondido vigorosamente. Sua recuperação tornou-se legítima através do movimento realizado pelas Forças Armadas, já estando restabelecido o poder do governo pela forma constitucional”.

Com isso, Marco Aurélio “Collor” Mendes de Faria Mello, ungido como ministro por mero nepotismo, deu o primeiro passo para uma série de atos e declarações que passariam a desafiar a autoridade do Presidente da República e testar a reação e o grau de passividade do chefe do Executivo.

Como nada foi feito, o ápice da audácia foi atingido quando o decano Celso de Mello determinou o confisco do celular do presidente e ameaçou levar os generais para depor debaixo de vara.

Fora as graves advertências do General Heleno, que quase lhe renderam uma ação judicial, seguimos nos esgoelando nas redes sociais, esperando em vão provocar alguma reação institucional.

Esse foi o sinal definitivo para os tiranos da toga enlameada se certificarem de que o leão é manso e passarem a implementar movimentos mais ousados.

A partir daí, foram dezenas de pequenas e grandes incitações encaminhadas pela OAB, por outra instituições ainda aparelhadas e pelos partidos satélite do falido PT, sempre acolhidas pelo STF, para atravancar as ações do Executivo e, ao mesmo tempo, criar argumentos para a procrastinação dos prazos para julgar o que realmente interessa ao País.

Só como exemplo, num levantamento que circula nas redes sociais, consta que o decano Celso de Mello levava em média 680 dias para publicar um Acórdão de processo concluído e por ele relatado.

Segundo a Gazeta do Povo, “o STF julgou apenas 4 processos, desde 2015, referentes à Lava Jato. Desses casos, um terminou em absolvição e outros dois ainda não foram finalizados, pois ainda cabe recursos. Em apenas uma das ações o Supremo mandou executar a pena de prisão imposta no julgamento”. Tudo isso dia respeito apenas ao baixo clero. São esses os caraduras que se arvoram a determinar prazos exíguos ao Executivo.

Cada um dos ministros relatores, encontra-se comodamente sentado há décadas sobre dezenas de processos contra Renan Calheiros, Jáder Barbalho, Fernando Collor e muitos outros chefões da máfia do Covil de Ali Babá, que continuam sua militância no congresso, como se nada houvesse acontecido, concorrendo a cargos de direção e elegendo filhos e netos.

Enquanto isso, os Vassalos de toga seguem os planos dos mestres de inviabilizar o Brasil antes de 2022, impondo prazos e condições estapafúrdios ao governo, amparados no seu notável saber jurídico e vasta experiência como administradores públicos.

Alexandre, “o pequeno” deu prazo de dez dias para o presidente Jair Bolsonaro prestar informações sobre o retorno de Alexandre Ramagem para o cargo de diretor-geral da Abin;

A “disléxica”, Carmen Lúcia, deu 24 horas para que a ABIN e o GSI prestassem informações sobre possíveis documentos por eles produzidos;

Gilmar Mendes, “o libertador”, deu cinco dias de prazo para que o juiz Marcelo Bretas se manifestar sobre a operação que visava advogados, entre eles Cristiano Zanin, que defende o ex-presidente Lula;

Barroso, uma incógnita que pretende aparecer como defensor da moralidade no Brasil, deu 48 horas para o governo explicar como seriam implementadas barreiras sanitárias em terras indígenas do Alto do Rio Negro;

Lewandowski, o “patrono da Anta”, após dar 48 horas para governo informar datas do plano de vacinação, para uma vacina não comprovada, liberou a compra de vacinas por governadores e prefeitos, caso a ANVISA não cumpra prazo de 72 horas para avaliar pedidos emergenciais ou se o plano nacional for descumprido.

A Constituição atribui ao Sistema Único de Saúde, nos artigos 198 a 200, a coordenação e a execução das políticas para proteção e promoção da saúde no Brasil.

A lei determina ainda que compete à União, por meio da ANVISA, normatizar, controlar e fiscalizar produtos, substâncias e serviços de interesse para a saúde; acompanhar e coordenar as ações estaduais, distrital e municipais de vigilância sanitária; bem como atuar em circunstâncias especiais de risco à saúde.

Parece que não aprenderam com os erros e as roubalheira nos estados e municípios, graças à autonomia dada pela Suprema Corte para a compra de testes e equipamentos sem licitação, à revelia do Governo Federal.

Diante disso tudo, a responsabilidade sobre as consequências de um eventual prejuízo à saúde do cidadão, advindo da aplicação de qualquer vacina não confirmada pela Agência, assim como todo o prejuízo causado pelas compras superfaturaras citadas anteriormente deveriam recair totalmente sobre esse grupo de usurpadores de poder, não fossem eles inimputáveis como entidades divinas.

Se continuarmos assistindo passivamente os desmandos de um grupo eticamente desqualificado, que pouco pratica a justiça, que é o que lhes cabe, mas arvora-se de detentor da onisciência, estaremos fadados a chegar a 2022 pior do que terminamos 2018.

BRASIL ACIMA DE TUDO, DEUS ACIMA DE TODOS.

quinta-feira, 24 de dezembro de 2020

A partir do ano que vem oWhatsApp não funcionará em aparelhos com iOS e Android

A partir de 2021, vários smartphones serão adicionados à lista de modelos antigos que não terão mais acesso ao popular aplicativo de mensagens. 

A atualização do software é uma boa notícia para muitos, mas ao mesmo tempo a renovação deixa de fora os proprietários de certos equipamentos que não conseguem acompanhar essas novidades. São terminais com vários anos de experiência, que não suportam mais certas ferramentas.

O WhatsApp não foge à regra. O mensageiro do Facebook incorpora alterações regularmente e também é comum que alguns smartphones fiquem de fora da festa. Agora é conhecida a lista de telefones celulares que não poderão usar o aplicativo de mensagens mais popular de 2021. A lista inclui modelos relativamente antigos, tanto com Apple iOS quanto com Android.

As novidades que o WhatsApp prepara para nova versão

O aplicativo de mensagens mais popular globalmente é atualizado regularmente, oferecendo novos recursos e aprimoramentos para seus mais de 2 bilhões de usuários. Uma das mudanças que chega em breve é o suporte para vários dispositivos. Especificamente, espera-se que o WhatsApp possa ser usado em quatro computadores simultaneamente , como visto nas edições beta da ferramenta.

Agora só é possível usar o aplicativo em um dispositivo principal e “expandir” a experiência com o WhatsApp Web ou a versão do aplicativo para computadores desktop. No entanto, não é possível usar a ferramenta em dois telefones em uníssono. Isso vai mudar em breve.

Além disso, o WhatsApp testa uma nova função que permitirá a exclusão automática de imagens, vídeos e GIFs enviados. Chamada de “Expiring Media” (ou “Expiration Media”) a opção apareceu na versão beta 2.20.201.1 do WhatsApp para Android, e são esperadas notícias de sua possível chegada à edição para todo o público.

Outra novidade vista nas versões de teste é o “silenciar para sempre” em grupos. Especificamente, é uma opção de silenciar suas notificações por tempo indeterminado, lembrando neste momento que atualmente só é possível fazê-lo por 8 horas, uma semana ou um ano.

Renato Sant'Ana - As articulações da toga...

Os ministros Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, do STF (Supremo Tribunal Federal), informaram o seu presidente, Luiz Fux, que seguiriam despachando mesmo durante o recesso (a partir de 20/12/20) e, igualmente, em janeiro, período de férias.

A inédita decisão de laborar durante o recesso tem um efeito concreto e inelutável: diminui poderes de Luiz Fux. (Mas será o único?)

É que, com todo mundo ausente (recesso e férias coletivas), o presidente da casa (hoje, Fux) fica de plantão e tem a tarefa de analisar pedidos de urgência, resolvendo-os em decisão monocrática.

Aliás, há muito que esse funcionamento do STF é motivo de polêmica. Muitas ações são ajuizadas nesse período com previsão de resultado em razão do perfil do plantonista (advogados sabem avaliar as chances).

A possibilidade de o réu escolher o seu julgador, qualquer instância que seja, é um vício judicial que não pode ser desconsiderado.

Fato é que, neste momento, eventual pedido de urgência relacionado a processo conduzido por Alexandre de Moraes, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello ou Ricardo Lewandowski não vai cair em mãos de Luiz Fux.

O filósofo Pangloss diria que isso é bom. Afinal, vem muito bem uma desconcentração de poder e, igualmente, que os quatro esforçados se disponham a "colocar em ordem o estoque processual dos gabinetes", razão alegada por um "ministro anônimo" segundo o Portal Poder 360.

Porém, sob esse verniz de bonomia, esconde-se uma realidade nada edificante. É o que informam Estadão, CNN e outros, para os quais o que há é um jogo de poder, uma demonstração de força e a determinação de perseguir propósitos jamais publicizados.

Gilmar Mendes, Lewandowski e Moraes "sentiram-se traídos" quando o colegiado do STF rejeitou a tese da reeleição de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre (presidentes da Câmara e do Senado). E se diz que o voto de Luiz Fux foi decisivo, embora haja tido o mesmo peso dos demais.

Gilmar, na qualidade de relator do caso, só teria resolvido pautar o julgamento da reeleição porque tinha a certeza de que seu voto contaria com o apoio da maioria dos ministros, informa a Folha de S. Paulo.

Já o agastamento de Marco Aurélio Mello tem outra origem. Em decisão liminar, ele concedeu a soltura de André de Oliveira Macedo, o André do Rap, traficante, um dos chefes do PCC (Primeiro Comando da Capital).

O "garantista" Marco Aurélio Mello agarrou-se a detalhes processuais para soltar um dos bandidos mais perigosos do país.

E Luiz Fux, que, conforme as regras regimentais do STF, teve a tarefa de analisar o caso, teve o peito de suspender a liminar do Dr. Mello.

A propósito, a abnegação dos quatro foi elogiada por Rodrigo Maia e Renan Calheiros. Convenhamos, é o tipo de elogio que recomenda mal...

Mas o que ninguém acredita mesmo é que haja sido por tédio que o quarteto garantista renunciou às suas seis semanas de ócio remunerado.

 

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo.  

E-mail sentinela.rs@uol.com.br


5G em Porto Alegre

 Desde ontem, Porto Alegre está habilitada a receber antenas de sinal 5G nas placas de rua. 

A cidade será pioneira, no país, na difusão do sinal da quinta geração da internet. 

Um termo aditivo de contrato foi assinado entre a prefeitura e o Grupo Imobi para exploração de receita alternativa ao contrato de concessão dos toponímicos, mediante a instalação de estações transmissoras de radiocomunicação (ETRs) de pequeno porte ou small cells, como são chamadas. Com a autorização, as empresas de telefonia já podem contar com os conjuntos do mobiliário urbano para instalação da nova tecnologia e também expansão do sinal 4G. De toda renda gerada para utilização do espaço para a instalação dessas antenas, 15% entrarão para os cofres do município.

O investimento é 100% privado, mas também em geração de renda para a cidade, através das parcerias público-privadas.

No total, Porto Alegre terá disponível para as empresas de telefonia 42 mil pontos em que as antenas poderão ser instaladas. "Pode-se dizer que Porto Alegre é a primeira cidade 100% preparada para a tecnologia 5G”, dizMarcelo Gazen, secretário de Infraestrutura e Mobilidade Urbana.

Já no início do próximo ano, a instalação das primeiras antenas nas placas de rua de Porto Alegre”, comemora Daniel Costa, sócio-diretor do Grupo Imobi.

Vencedor do edital de concessão dos toponímicos de Porto Alegre, o Grupo Imobi se tornou responsável pela instalação e manutenção do mobiliário pelos próximos 20 anos. Até o momento, já são mais de 2.600 conjuntos de placas instalados pela empresa.

 5G em Porto Alegre -  Com a criação da chamada Lei das Antenas (Nº 838/2018), a Capital gaúcha se transformou em uma referência nacional no licenciamento de ETRs, abrindo caminho para a tecnologia 5G. A partir da adoção do modelo de autolicenciamento, foi possível reduzir o prazo de tramitação de dois anos para apenas um dia, acabando com a demanda represada e permitindo a expansão da estrutura de antenas. Não por acaso, Porto Alegre conquistou em 2019 e em 2020, entre todas das capitais brasileiras, o primeiro lugar no ranking Cidades Amigas da Internet, da Associação Brasileira de Telecomunicações.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Sai a quarta escola charter de Porto Alegre

 O prefeito Nelson Marchezan Júnior anunciou nesta terça-feira, 22, a ampliação da oferta de educação básica comunitária na cidade. 

A escola charter, com metodologia inovadora, terá gestão em parceria com a Organização da Sociedade Civil (OSC) Associação Beneficente Nossa Senhora da Assunção (Abensa). Esta será a primeira experiência com a Pedagogia Waldorf em sistema público não estatal no Brasil. A entidade sem fins lucrativos foi selecionada por edital para assumir a gestão da escola que será instalada no prédio da Escola Estadual Plácido de Castro, no bairro Higienópolis. A proposta pedagógica será baseada na Pedagogia Waldorf, para alunos da educação infantil e do ensino fundamental. O trabalho educacional deverá ser de, no mínimo, nove horas diárias, em jornada semanal de cinco dias da semana.Unesco considera a metodologia Waldorf  como "a pedagogia do novo milênio".

A capital gaúcha é pioneira no Brasil na criação de escolas charter que oferecem também o ensino fundamental. Marchezan agradeceu as entidades envolvidas pela parceria na transformação da educação da cidade.

Esta é a quarta escola comunitária de educação básica de Porto Alegre. 

Metodologia - A Pedagogia Waldorf é uma abordagem pedagógica baseada na filosofia da educação do filósofo austríaco Rudolf Steiner, fundador da antroposofia. Com mais de cem anos, a Pedagogia Waldorf foi considerada pela Unesco, "a pedagogia do novo milênio". De maneira holística, essa proposta educacional busca o desenvolvimento físico, espiritual, intelectual e artístico do estudante. O desenvolvimento de indivíduos livres e moralmente responsáveis é o grande objetivo.

Na prática, os alunos passam de três a quatro semanas em sala de aula sendo apresentados a uma linguagem específica, como Língua Portuguesa ou Matemática, por exemplo. A aprendizagem ocorre por meio de imagens em que os estudantes são conduzidos a uma grande descoberta, como em uma viagem de exploração. Dessa maneira, a proposta está fundamentada na observação e respeito aos ritmos humanos e naturais, para que cada um possa desenvolver as suas habilidades.

Modelo comunitário - A gestão Marchezan investe nas escolas charter como a melhor forma de ampliar e qualificar a oferta de educação pública não estatal. Na educação infantil, são 207 instituições de ensino. A primeira parceria para o ensino fundamental é a Pequena Casa da Criança, no bairro Partenon, com 370 alunos, seguida da Madre Raffo, com 119 alunos na Vila Nova. A metodologia Lumiar foi adotada na Escola Comunitária de Educação Básica Aldeia Lumiar, na Tristeza, com 145 alunos. Esta foi a segunda escola pública a adotar o modelo Lumiar no Brasil.

segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

Vendas de Ivermectina disparam 63,2% no interior do Rio Grande do Sul

 Relatório aponta que regiões buscaram muito mais o medicamento do que a Grande Porto Alegre 

Em novembro, as vendas da Ivermectina, da classe de medicamentos antiparasitários e anti-helmínticos, apresentaram aumento de vendas de 63,2% nos municípios do interior do Rio Grande do Sul, mas de apenas 16,4% na Grande Porto Alegre, de acordo com dados do levantamento realizado pela Linx, líder e especialista em tecnologia para o varejo, em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV IBRE). 

Nacionalmente, a venda dos medicamentos aumentou 22,3%. 

De março a julho, a corrida às farmácias brasileiras foi intensa para comprar o medicamento, que mesmo sem comprovação científica é considerado uma opção para tratar a Covid-19. Em junho, as vendas subiram 235% em relação ao mês de maio, e em julho, 54%. Em agosto, houve uma queda brusca de 78,5% nas vendas nacionalmente, o que pode ter sido reflexo da proibição da Anvisa para venda do medicamento sem receita médica. Em setembro, no mesmo período em que houve relaxamento na medida de controle de vendas do medicamento, as vendas cresceram 55,5% em relação à agosto na Grande Porto Alegre, e 61,6% em outros municípios do estado; e voltaram a cair em outubro, o que pode ter sido ocasionado por uma escassez do produto em estoque (54,8% na região metropolitana da Capital e 61,6% nos demais municípios). 

Rio Grande do Sul está entre as regiões com maior ticket médio em farmácias 

Seguindo a tendência nacional, o Rio Grande do Sul apresenta aumento do ticket médio em farmácias em novembro em relação ao ano passado, figurando na 3ª colocação entre os maiores do País, atrás do Mato Grosso do Sul e Rondônia, respectivamente. Na Grande Porto Alegre, ticket médio em novembro de 2020 foi 28,7% maior que o de novembro de 2019, atingindo valor acima de R$ 55,00, enquanto nos outros municípios do Rio Grande do Sul o ticket médio de novembro de 2020 foi 26,9% maior que o de 2019 para o mesmo período, acima de R$ 60,00. 

No estado, os medicamentos mais vendidos no mês de novembro foram os antidepressivos (14,5% do faturamento dentre os dez medicamentos mais expressivos na Grande Porto Alegre e 12,4% nas demais), seguidos por antiepiléticos, estatinas e antirreumáticos, na região da Capital. Já nacionalmente, a classe de medicamentos antirreumáticos, como o Cetoprofeno e a Nimesulida, ocupou o primeiro lugar com 14,2% de representatividade no faturamento dentre as dez classes de maior destaque. A segunda posição ficou com os analgésicos e antipiréticos, como Dipirona sódica e Paracetamol, representando 12,9% do faturamento e com 10,9%, os contraceptivos hormonais, na terceira posição. 

Os dados foram obtidos a partir da análise de mais de 3,2 milhões de produtos farmacêuticos e mais de 1,4 milhões de notas de compra, comparando os meses de novembro de 2018, 2019 e 2020. 

Sobre a Linx 

A Linx é uma empresa brasileira especialista em tecnologia para o varejo. Líder no mercado de software de gestão, com 45,6% de market share do mercado varejista, conforme atesta o IDC. Toda a expertise da Linx na jornada de compra é transformada em insights fundamentais para atingir o que os varejistas mais esperam: fidelizar seus consumidores e atingir resultados concretos e relevantes. Com capital aberto na B3 desde 2013, a Linx também se tornou a primeira empresa brasileira de software com capital aberto na NYSE, em 2019. A empresa possui mais de 3,5 mil colaboradores distribuídos entre sua sede em São Paulo, 15 filiais pelo Brasil e 5 países da América. Para saber mais, acesse https://www.linx.com.br/imprensa. 

Com voto da OAB, CNBB e CUT, Conselho aprova direito à visita íntima para menor infrator

Esta reportagem é do site Focus.

O mesmo documento garante também a formação de casais, bem como a sua permanência no mesmo alojamento "sendo levado em conta o direito ao exercício da sexualidade, da afetividade e da convivência”, segundo o art. 23 da resolução aprovada

O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) votou favoravelmente para a resolução que permite a visita íntima para o menor infrator, em reunião remota realizada da última quinta-feira. No caso, o documento autoriza que menor a partir de 12 anos de idade tenha relações sexuais dentro das dependências das unidades socioeducativas. O placar foi de 14 votos a favor e 9 contra, tendo como instituições apoiadoras da resolução: OAB, Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais ONGs. Representantes do Governo Federal no Conanda votou contra essa autorização.


De acordo com o art. 41 da Resolução diz que, “Deverá ser garantido o direito à visita íntima para as adolescentes, independentemente de sua orientação sexual ou identidade e expressão de gênero, nos termos do artigo 68, da Lei nº 12.594, de 18 de janeiro de 2012”. O mesmo documento garante também a formação de casais, bem como a sua permanência no mesmo alojamento “sendo levado em conta o direito ao exercício da sexualidade, da afetividade e da convivência”, com reza o art. 23.


Na prática, o novo entendimento do Conselho que regulamenta a proteção das crianças e adolescentes no País dá carta branca para a realização de ato sexual contra adolescente tanto por outro, como também por adulto.


Em protesto, o Ministério a Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) emitiu nota pública contra a aprovação da nova resolução do Conanda. Veja o trecho: “Ora, como exemplo das consequências desse ato está o fato de não haver controle sobre a veracidade da declaração na ‘formação de casais entre as adolescentes’, o que pode expor outras socioeducandas a situações de insegurança, desrespeito e gravíssimas violações de direitos humanos. Como seria, exemplificativamente, no caso de uma adolescente/jovem de 18 anos de idade que declarasse, através da coerção ou intimidação, formar casal com outra adolescente de 12 ou 13 anos de idade sem sê-la, de forma a fraudar o processo e influir na decisão dos gestores socioeducativos, e, destarte, ganhar acesso ao alojamento, onde a adolescente/jovem poderia ter planejado cometer atos de desrespeito e abuso aos demais socioeducandos. (…) Com relação à faixa etária dos adolescentes/jovens atendidos pelas unidades socioeducativas voltadas à restrição e privação de liberdade, o SINASE é composto por uma ampla faixa etária que, muito embora tenha a preponderância de adolescentes/jovens entre 16 e 18 anos, é composto, também, por menores de 14 anos, idade em que a presunção de violência caracterizadora do estupro de vulnerável tem caráter absoluto, visto não se tratar de presunção de culpabilidade do agente, mas de afirmação da incapacidade absoluta do menor de até 14 anos para consentir na prática sexual”.


O placar foi de 14 votos a favor e 9 contra, tendo como instituições apoiadoras da resolução a OAB, Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e demais ONGs. Representantes do Governo Federal no Conanda votou contra essa autorização.

domingo, 20 de dezembro de 2020

Nota dos advogados

Os advogados do jornalista Oswaldo Eustáquio assinaram uma nota à imprensa neste sábado e a transmitiram à profissionais da comunicação através das redes sociais.


O jornalista foi preso nesta sexta-feira por ordem do ministro Alexandre de Moraes, no inquérito 4828 do Supremo Tribunal Federal (STF), também chamado de “inquérito das manifestações antidemocráticas“.


Nota à Imprensa

A defesa técnica de Oswaldo Eustáquio, ante a decretação da perda do benefício da “prisão domiciliar c/monitoramento”, ocorrida na tarde desta sexta-feira (18/12/2020), por decisão do Sr. Ministro Alexandre de Moraes, pondera:


1. A decisão partiu de premissas equivocadas;


2. A autorização legal, expedida pela autoridade competente ao monitoramento de todos portadores de dispositivos eletrônicos no âmbito do Distrito Federal (CIME), foi concedida às 10 horas da manhã do dia 15 de dezembro de 2020. Desta forma, não há violação das medidas impostas pelo Ministro Alexandre de Moraes na PET 8.961;


3. Em sua decisão, o Ministro descreve ocasiões em que a bateria da tornozeleira descarregou e foi imediatamente recarregada, tanto que em todas as referidas 17 citações na decisão (que transcreveu o aviso de que a bateria estava com pouca carga), não expõe que todos estes avisos foram cumpridos e arquivados, conforme documento juntado pela defesa. Todas as referidas 17 ocorrências estão arquivadas e nenhuma delas se refere “a saída do local sem autorização, ou sair do perímetro de distanciamento de sua residência”;


4. Quanto a aproximação a menos de 1 km da praça dos três poderes, Oswaldo estava a 2 km da zona de restrição. Com efeito, não violou as medidas impostas;


5. Entre mais argumentos técnicos, a defesa do Jornalista Oswaldo Eustáquio protocolizou, na tarde deste sábado (19/12/2020), pedido para que a prisão preventiva seja revogada ou, alternativamente restaurada a prisão domiciliar anteriormente concedida, provando os equívocos que não podem prejudicar a pessoa aprisionada;


O pedido deverá ser analisado pela Presidência do STF, pelo atual período de recesso.


É a nota.


Brasília, 19 de dezembro de 2020.


Ricardo Freire Vasconcellos

OAB/DF 25.786


Paulo Goyaz

OAB/DF 5.214


Elias Mattar Assad

OAB/PR 9857

Artigo, Marcus Vinicius Gravina - Calhordas

- Advogado


Eles são como moscas varejeiras, facilmente identificáveis. São atraídas pelo oportunismo ao depositarem seus ovos em carniças ou matéria orgânica em decomposição que multiplicam seus ganhos ou vantagens. No caso da Covid o interesse é pelo volume da compra das vacinas, para render propinas inigualáveis aos seus compradores. 


Foi assim nas obras dos estádios da Copa, continuou sendo nos financiamentos para a construção de hospitais e UTIs no início da pandemia e agora será na comercialização das vacinas. Os olhos vermelhos, característicos das moscas varejeiras, brilham nas faces dos eminentes calhordas brasileiros, nas suas entrevistas palacianas em cenários iluminados que ofuscam, humilham e enganam o povo, com repetidas reaparições na mídia. 


O STF, com olhar amigo e complacente com o governo de São Paulo, para isso se associou ao liberar o direito de compra aos Estados e Municípios, atropelando a União em sua competência mais expressiva: o exercício dos critérios de oportunidade e conveniência dos atos da administração pública. Este acobertamento, ainda será com a franquia à aquisição ilimitada de lotes de vacinas e livre de licitação. 


A lógica deveria ser a de quem libera assumir o compromisso de fiscalizar e responder pela destinação correta das milhões de vacinas adquiridas.  O STF irá se omitir quando tiver que julgar os desvios criminosos dos recursos financeiros destinados à saúde e de enriquecimentos ilícitos dos barões que assinarão os contratos das vacinas de todas as procedências.  Esperem e veremos.


Por trás da discussão da obrigatoriedade do uso da vacina e de eventuais penalidades aos cidadãos resistentes a elas, há algo mais a ser comentado. Certamente, haverá exagero na aquisição de vacinas que acabarão estocadas ou haverá desperdícios, isso se não forem doadas aos países do Foro de São Paulo.  Isto terá de ser explicado se perderem a validade ou deixarem de ser aplicadas.  Entenderam porquê o governador de São Paulo quer a obrigatoriedade da vacina. Para não ter de responder pelas sobras.   


Talvez tenhamos notícias de incêndios ocasionais ou criminosos, sabotagens, panes nos resfriadores das vacinas, depósitos invadidos, roubados ou destruídos (lembrem-se dos laboratórios de pesquisas e das plantações) tudo servirá para justificar e salvar governadores e prefeitos de ações populares ou de improbidade administrativas, por abuso ou erros grosseiros de planejamento das compras e outras circunstâncias de descaso com gastos de dinheiro público.  


O governador de São Paulo é o mais afoito em querer se comprometer com gastos, enrolado, demagogicamente, na bandeira do “Salvar Vidas”, espécie de salvo-conduto para compras sem prestação de contas.  Pretende que a maior compra de vacinas seja do fornecedor indicado por ele, não importando que sejam mais caras que as de outros fabricantes.  Quem irá nos proteger do assalto anunciado por famigerados espertalhões, que em nome do “salvar vidas”, terão encontrado mais uma maneira de melhorar a vida deles?

A realidade é mais eloquente que a demagogia

Por Renato Sant'Ana

 

Existe um tipo humano que age na presunção da própria superioridade moral e se sente dispensado de ter respeito quando, em sua opinião, os outros são moralmente inferiores. Só que, às vezes, esse tipo acaba levando o troco: sim, "A banca paga e a banca recebe..."

O socialista Guilherme Boulos, com sua calculada agressividade, candidato do PSOL derrotado na disputa pela prefeitura de São Paulo, teve de bancar a ironia do deputado Kim Kataguiri (DEM-SP).

Ocorre que Boulos está pedindo doações para "pagar contas pendentes de campanha". E Kataguiri não deixou passar:

"Usando dinheiro público ele ainda conseguiu ficar devendo. Imagina o que ia fazer com a prefeitura?".

Ao ser o candidato do PSOL, Boulos foi escalado como ponta de lança de um programa partidário que visa à "superação da ordem capitalista" e à construção de uma "sociedade radicalmente diferente".

PSOL, PT, PCdoB e congêneres são explícitos em seus programas: têm por meta implantar uma ditadura socialista no Brasil. Está tudo escrito.

O plano desses partidos, todos de corte revolucionário, é usar os mecanismos da democracia para chegar ao poder e, quando conseguem, implantam um Estado autoritário e atrasado: a tragédia da Venezuela e o que está ocorrendo na Argentina são os exemplos mais próximos.

Os socialistas chamam isso de "fazer a revolução por dentro".

Desde sempre e com toda razão, Kataguiri criticou a candidatura Boulos, que (de olho no Brasil!) planejava submeter São Paulo a um programa revolucionário a ser entregue à sanha dos ditos "movimentos sociais".

Agora Boulos está numa enrascada: há "contas pendentes de campanha" e a maioria de seus eleitores não trabalha nem tem renda além da mesada do papai. Será que algum milionário excêntrico vai sair em seu socorro?

Ora, a psicopatia ideológica é mesmo curiosa: apesar de ser notório inimigo da propriedade privada e do empreendedorismo, e de combater o enriquecimento (dos outros!), Boulos poderá ser, como o foi na campanha, ajudado por gente rica com motivação hermética...

Em 2020, embora rotulados como maiores inimigos do socialismo, alguns ricos ajudaram a financiar extremistas do naipe de Guilherme Boulos.

Entre os colaboradores estão Marília Furtado de Andrade (herdeira de Gabriel Donato de Andrade, um dos fundadores da empreiteira Andrade Gutierrez), Arminio Fraga (homem de confiança de George Soros no Brasil e ex-presidente do Banco Central no governo FHC), Beatriz Sawaia Bracher (da família do banqueiro Fernão Bracher, fundador do BBA e ex-presidente do Banco Central) e Walther Moreira Salles Junior e João Moreira Salles (membros do Conselho de Administração no Grupo Itaú Unibanco).

Terão eles se deixado engrupir pelo discurso populista? Serão míopes de não enxergar o lobo sob a pele do cordeiro? Ou terão outras motivações?

Em 2018, falando a "companheiros" sobre o ministro Gilmar Mendes (do STF), o então deputado petista Wadih Damous assim se referiu: "O Gilmar hoje é nosso aliado, amanhã volta a ser o nosso inimigo, mas hoje ele é nosso aliado."

Poucas vezes se viu assim de modo tão explícito o relativismo moral, o cinismo e a truculência da esquerda confessional.

Não é crível que os tais colaboradores sejam ingênuos, que desconheçam a natureza do socialismo e que esperem lealdade dos revolucionários.

O eleitorado rejeitou Boulos. E repeliu o populismo de uma esquerda habituada a insuflar o ressentimento e o desânimo para, depois, oferecer soluções mágicas que, em lugar algum, jamais deram certo: a destroçada Argentina de hoje é um grito para o Brasil não afundar no mesmo abismo.

Pois que reflexionem os adultos, isto é, os que têm responsabilidade: o que ganhariam os tais ricos com a argentinização do Brasil?

 

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo. 

E-mail sentinela.rs@uol.com.br

sábado, 19 de dezembro de 2020

Aécio

 O ex-governador de Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) foi denunciado nesta sexta-feira, 18, pelo Ministério Público de Minas Gerais (MPMG) por peculato, corrupção e lavagem de dinheiro na construção da Cidade Administrativa, a sede do governo do estado. A obra custou R$ 1,3 bilhão. Outras 15 pessoas também foram denunciadas. Os nomes não foram divulgados pelo MP.


Aécio, hoje deputado federal, já havia sido denunciado em maio pela Polícia Federal por corrupção ativa e passiva, desvio de recursos públicos e falsidade ideológica em investigação envolvendo a obra. O esquema teria ocorrido entre 2007 e 2010, período em que o tucano era governador de Minas Gerais.As investigações do Ministério Público de Minas Gerais tiveram a participação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). O MP afirma que "restou demonstrado que, a convite do então governador de Minas Gerais, nove empresas de engenharia se reuniram e entraram em conluio para fraudar a licitação e repartir ilicitamente os contratos para a execução das obras da Cidade Administrativa".A denúncia contra o governador Aécio Neves acontece uma semana após a posse do novo chefe do Ministério Público de Minas Gerais, Jarbas Soares. O procurador ocupou o mesmo cargo em outras duas ocasiões, entre 2005 e 2006 e entre 2007 e 2008. Nas duas vezes em que ocupou o cargo a nomeação foi feita pelo então governador Aécio Neves. Na primeira, Jarbas ficou em terceiro lugar na lista tríplice, montada a partir da votação de integrantes do MP. Ainda assim, foi colocado no cargo por Aécio.


A promotoria diz ainda que os gastos com a obra foram acima do que realmente deveriam ser. "Os valores contratados, em razão da absoluta inexistência de competição na licitação, foram superiores aos valores orçados e superiores aos valores de mercado. Além do sobrepreço do valor do contrato e da fraude à licitação, a porcentagem de 3% dos valores pagos às empresas contratadas foi entregue ao então governador, por meio do diretor da CODEMIG (Companhia de Desenvolvimento de Minas Gerais), como propina".As investigações mostraram ainda, conforme o MP, "que parte da propina foi paga por meio de contratos fictícios e, ainda, por valores em dinheiro entregues a terceiros, em evidente conduta de ocultação e lavagem de dinheiro". A promotoria diz que, conforme apurado no inquérito "conduzido pela Polícia Federal, os prejuízos sofridos pelo Estado de Minas Gerais superam o valor de R$ 50 milhões".Denúncia é 'insustentável', diz defesa A assessoria de comunicação do deputado divulgou nota afirmando que os advogados do parlamentar classificam a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais como "insustentável". "A defesa do deputado Aécio Neves lamenta a precipitação e o absurdo da denúncia apresentada pelo Ministério Público".O texto diz ainda que "a obra citada, concluída há mais de 10 anos, foi realizada de forma exemplar, com os preços apresentados na licitação considerados abaixo dos de mercado pelo próprio MP à época e considerada correta por todos os órgãos de controle como TJ e TCE. O edital foi aprovado pela AGE e submetido previamente ao MP. Por isso, a denúncia é insustentável. A defesa confia que a Justiça irá demonstrar a injustiça e o absurdo da falsa acusação".

sexta-feira, 18 de dezembro de 2020

Artigo, J.R. Guzzo. Gazeta do Povo - A OMS serve a interesses políticos e corporativos. Apenas a eles.

A OMS foi aparelhada para servir a interesses políticos e corporativos que pouco têm a ver com a saúde mundial. Na foto, o diretor da OMS, Tedros Adhanom.| Foto: Fabrice Coffrinia/AFP

Ouça este conteúdo

Lembram-se da OMS, a Organização Mundial da Saúde, que ainda no começo da tragédia trazida pela Covid-19 era tida oficialmente pelo Supremo Tribunal Federal, pelo presidente da Câmara dos Deputados e pelo resto do bonde da oposição como a última palavra sobre o assunto? Era Deus no céu e a OMS na Terra. O STF chegou, num dos seus extremos de ignorância disfarçada em “governança”, a tornar a OMS uma espécie de marco legal no Brasil: suas decisões sobre a epidemia passaram praticamente a ter força de lei. Os demais, sem pensar cinco minutos no que estavam fazendo, se ajoelharam e passaram a rezar para essa nova autoridade suprema.


Não ocorreu a ninguém, na ocasião, que a OMS, um dos mais notórios cabides internacionais de emprego do mundo, era uma entidade bichada. Seu presidente, pescado numa ditadura da África, não era nem sequer um médico. A organização funcionava, e continua funcionando, como uma repartição pública a serviço do governo da China e do seu Partido Comunista. Havia, já há muito tempo, uma nuvem de suspeitas de corrupção em cima dos seus procedimentos.


Mas nada disso foi levado em conta. “Temos de seguir a orientação da OMS”, decidiu a elite que manda no Brasil. Acreditaram que “OMS” e “ciência” significavam a mesma coisa. Diante de qualquer dúvida, era aplicada uma resposta automática: “negacionismo”.


Estamos vendo, agora, o tamanho deste disparate. Segundo acabam de revelar os jornais The Guardian e Financial Times, de Londres, ambos devotos convictos da ideia de que a humanidade deve ser governada por comitês globalizados de especialistas, a OMS conspirou com o Ministério da Saúde da Itália para retirar de seu site oficial um relatório que revelava a conduta desastrosa das autoridades italianas nos primeiros momentos da crise.


O relatório, que descrevia a resposta “caótica” à Covid na Itália – o primeiro país da Europa a ser atingido maciçamente pelo vírus – e que foi assinado por 11 cientistas, ficou apenas 24 horas no ar. Foi logo retirado pelos dirigentes da OMS, que também pressionaram o autor do documento a não prestar depoimento no inquérito aberto para apurar atos de negligência na gestão da Covid – responsáveis por estimadas 10 mil mortes na fase inicial da epidemia na Itália.


Como acontece com a grande maioria dos organismos sustentados pela ONU (ou melhor: por dinheiro de imposto, inclusive do Brasil), a OMS foi aparelhada para servir a interesses políticos e corporativos que pouco têm a ver com a saúde mundial. É um dos pousos preferidos de médicos de Terceiro Mundo que obedecem ao que os seus governos mandam fazer, têm a alma de burocratas e vivem encantados pela ideia de passar a existência num emprego público que oferece salário em dólar, benefícios cinco estrelas e aposentadoria integral.


É essa a organização que os nossos campeões do “distanciamento social” elegeram como guia superior. Não é realmente uma surpresa, quando se pensa um pouco mais no assunto. A OMS, no fundo, é o tipo de coisa que tem tudo a ver com o STF, o Congresso Nacional e o resto da tropa



Vendas de imóveis em Porto Alegre

         A taxa de velocidade de vendas (relação das vendas sobre as ofertas) de imóveis novos em Porto Alegre foi de 7,4% em novembro último, resultado inferior ao mês imediatamente anterior, uma vez que naquele  mês a taxa foi de 8,9%, conforme apurou o Panorama do Mercado Imobiliário - Porto Alegre, uma pesquisa elaborada mensalmente pelo Sinduscon-RS, em parceria com a Alphaplan – Inteligência em Pesquisas e a Órulo. 

         Em novembro foram vendidas 532 unidades com um VGV (Valor Geral de Vendas) de  R$ 455 milhões. Com 405 imóveis, as unidades verticais representaram 76% do total vendidos, com os Stúdios impulsionando as vendas no período representando 35% do total, seguidos dos apartamentos de três dormitórios (32%) e de dois dormitórios (22%).

         Em novembro último foi registrado o lançamento de 708 unidades com um VGV de R$ 703 milhões, contra 150 unidades com um VGV de R$ 116 milhões em comparação com outubro de 2020.

         Em novembro foi registrado um estoque de 7.002 unidades e 353 empreendimentos, com um total de R$ 5.364 milhões em VGV, sendo o valor médio por metro quadrado de R$ 10.884. Nesse universo, o residencial vertical participa com 71%, o comercial com 12%, a Casa Verde Amarela com 12% e as unidades horizontais com 5%.

         Quanto ao estágio da obra, 44% das vendas do mês foram de imóveis em lançamentos, 33% em construção e 22% prontos.

         Por fim, 66% das vendas foram concentradas em cinco bairros no mês de novembro. São eles: Três Figueiras representando 19% do total das vendas (75 unidades), seguido dos bairros Rio Branco com 16% (63 unidades), Jardim Botânico com 15% (60 unidades),  Petrópolis com 11% (46 unidades) e Jardim Lindóia com 5% (22 unidades).


quinta-feira, 17 de dezembro de 2020

Foton

 A Foton recebeu ontem nas instalações da GEFCO, em Rio Grande, RS, uma comitiva formada pelo prefeito eleito de Rio Grande, Fábio Branco, o superintendente do Porto do Rio Grande, Fernando Estima, além de Rodrigo Velho,  gerente comercial do TECON, principal terminal de contêineres do Rio Grande do Sul, que opera as principais linhas marítimas que ligam o Brasil ao mundo. Também estiveram presentes na recepção Claudia da Senhora e Marcio Hiltl representando a Sagres, empresa que atua no segmento de navegação, com agenciamentos marítimos e operações portuárias. Márcio Vita, CEO  da Foton e Leandro Gedanken, Diretor de Engenharia e Pós-Venda da Foton, recepcionaram o grupo juntamente com Alex Feijolo, diretor comercial da GEFCO e Gustavo Bazzano, diretor de desenvolvimento de negócios da empresa.

De acordo com Márcio Vita, o Porto de Rio Grande é a porta de entrada ao Brasil dos novos caminhões da família Aumark S, recentemente lançados no País, e a visita às instalações da empresa demonstra o interesse positivo sobre os negócios da marca e suas perspectivas em curto prazo. Ao chegarem no porto, os veículos passam pelo processo de PDI – Pre-Delivery Inspection - nas instalações da GEFCO, em Rio Grande, para liberação posterior às concessionárias de todo o Brasil.

Para Márcio Vita “esse foi mais um momento que vai marcar a trajetória de sucesso da Foton no Brasil. As vendas dessa nova geração de caminhões começaram há uma semana e já temos pedidos em carteira. Isso prova que estamos trilhando o caminho certo”.

Sobre a FOTON

A Foton Caminhões, presente no Brasil desde 2010, é responsável pela produção, importação e distribuição dos caminhões da marca Foton no País. Além disso, responde pelo fornecimento das autopeças e por todos os serviços de pós-venda, incluindo as revisões e manutenções.

Na China, a Foton Motor Group, fundada em 1996, no distrito de Changping, Pequim, possui joint-ventures firmadas com companhias importantes, como a Cummins, ZF e a Daimler, sendo apontada como uma das maiores e mais valiosas companhias chinesas.

Atualmente a Foton vende cerca de 600 mil veículos por ano globalmente, 90% deste volume de veículos comerciais, com exportações para mais de 100 países e um volume que passa das 60 mil unidades. No mundo a empresa conta com 40 mil colaboradores, duas mil concessionárias e, no ano passado, o faturamento foi de US$ 7,5 bilhões. A filial brasileira é a quinta unidade industrial da Foton fora da China. A marca já conta com fábricas na Tailândia, Vietnã, Quênia e Argélia em construção.

Para mais informações, acesse: www.fotonmotors.com.br


Skyglass Canela

  A Skyglass Canela, RS, primeira plataforma de aço e vidro da América Latina, começou a receber o público nesta quinta-feira após o processo de soft opening. Foi um investimento de R$ 30 milhões. Com capacidade para receber três mil pessoas diariamente, o parque funcionará diariamente das 9h às 17h30 e reunirá em sua infraestrutura praça de alimentação, lojas, estacionamento, playground e o inédito Memorial do Ferro de Passar. Trata-se de uma plataforma de aço e vidro com 68 metros de comprimento. Maior do mundo, a passarela avança 35 metros sobre o Vale da Ferradura, oferecendo uma vista a 360 metros do Rio Caí. Além de caminhar sobre o vidro, o visitante poderá andar num monotrilho. O brinquedo inédito, que recebeu o nome de Abusado, oferece cadeiras suspensas com 10 lugares.



Entrada no parque: R$ 40

Plataforma: R$ 60

Abusado: R$ 90

Combo 1 – entrada + plataforma: R$ 90

Combo 2 – entrada + Abusado: R$ 120

Combo 3 – entrada + plataforma + Abusado: R$ 170


Em todas as opções, os ingressos dão direito a visitar o Memorial do Ferro de Passar. Pessoas acima de 60 anos, crianças de 6 a 12 anos e estudantes pagam meia entrada. Exceto no Abusado, que não oferece opção de meio ingresso. Vendas exclusivamente na bilheteria do parque. Em breve, os ingressos serão vendidos também no e-commerce da Skyglass com descontos exclusivos.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2020

Nota de apoio

 Nota de Apoio ao Secretário de Assuntos de Soberania e Cidadania (SASC) e Vice-Presidente da Associação dos Diplomatas Brasileiros (ADB/Sindical) 

A ADB Sindical e os seus 1600 integrantes tomaram conhecimento ao final da tarde de ontem (15) da rejeição, por parte do Senado Federal, da indicação do Embaixador Fabio Mendes Marzano para ocupar o cargo de Representante Permanente da Missão do Brasil junto à Organização das Nações Unidas (ONU), em Genebra. 

Ao reconhecer e respeitar a soberania e o empenho do Senado Federal na realização das sabatinas, por um dever de justiça, a ADB Sindical não pode, na mesma medida, se furtar a destacar a relevância da atuação do diplomata Fábio Marzano para a carreira diplomática brasileira e, consequentemente, para o Brasil. 

Ao manifestar seu total e irrestrito apoio ao Secretário de Assuntos de Soberania e Cidadania (SASC) do Ministério das Relações Exteriores (MRE), Embaixador Fábio Mendes Marzano, a ADB/Sindical sublinha o gesto de cuidado e profissionalismo do Embaixador que não quis desrespeitar os senadores presentes à sabatina e ignorar a tradição diplomática brasileira. Teria negligenciado ambos, caso respondesse a temas não pertinentes à sua atual e futura competência. 

No MRE as designações de Embaixadores para representações no exterior respeitam delimitações funcionais e hierárquicas. Um diplomata opina e se manifesta sobre os temas sobre os quais tem responsabilidade, na qualidade de representante, negociador e profissional capacitado para colher e difundir informações da mais alta qualidade. É nesse espírito que - durante os meses que precedem as sabatinas - os embaixadores estudam com muito afinco as matérias de que se ocuparão no exterior. É com essa deferência que se apresentam diante dos integrantes da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional, do Senado Federal. 

Lamentamos que os senadores não tenham tido a oportunidade de conhecer melhor o diplomata, cuja indicação recusaram. O Embaixador Marzano destacou-se, recentemente, na criação e coordenação do Gabinete Consular de Crise (G-CON), responsável por todo o exaustivo processo de assistência e repatriação a brasileiros moradores e viajantes afetados pela pandemia do novo coronavírus no exterior. Mais de 40 mil nacionais foram repatriados com a decisiva atuação de Marzano na Secretaria de Assuntos de Soberania Nacional e Cidadania do Itamaraty. Sua exitosa atuação foi o resultado de longa experiência adquirida em 32 anos de carreira, nas Embaixadas do Brasil em Madri, Lima, Caracas, Washington, na Delegação do Brasil junto à Unesco e nas chefias de cargos estratégicos que ocupou em Brasília. 

Na condição de entidade representativa da classe, a ADB/Sindical reafirma a alta relevância das atividades da diplomacia brasileira e reitera a crença na busca constante pelo diálogo e pela reafirmação dos valores das democracias contemporâneas compartilhados com o Senado Federal. 

Embaixadora Maria Celina de Azevedo Rodrigues 

Presidente 


Plano Mansueto

O Senado aprovou nesta terça-feira, por 55 votos a 1, o Projeto de Lei Complementar 101/20, que reestrutura o financiamento de dívidas dos Estados com a União. O texto, também conhecido como “Plano Mansueto” agora vai à sanção presidencial. O estoque das dívidas está estimado em R$ 630 bilhões.

O RS é tremendamente beneficiado pela nova lei.

Com a proposta, prefeitos e governadores podem ampliar empréstimos, desde que cumpram algumas das contrapartidas previstas, como redução de incentivos fiscais, realização de privatizações e criação de regime de previdência complementar. As privatizações ficaram mais flexíveis a partir do texto aprovado. Em vez de vender a totalidade das empresas, governadores poderão decidir o modelo de negócio, sendo aberta a possibilidade de sociedade em que o Estado permanece com o controle das companhias.

O projeto também estipula que Estados em situação mais severa poderão aderir ao Regime de Recuperação Fiscal por 9 anos. Na prática, eles não precisam pagar a dívida com a União nesse intervalo, mas também precisam adotar contrapartidas para restaurar o equilíbrio fiscal até o final do prazo.O Plano Mansueto também permite que Estados que não respeitaram o teto de gastos em 2018 e 2019 mantenham a negociação da dívida feita em 2016. Onze Estados não cumpriram os termos estabelecidos em 2016, e teriam de pagar multa a partir de janeiro, bem como retomar pagamentos maiores.

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Leonid Streliaev lança livro de texto e fotos sobre o Natal Luz, Gramado, RS

Será lançado na próxima quinta feira dia 17/12 na Vila de Natal em Gramado, o livro que mostra a trajetória iluminada do Natal Luz.


A publicação com encadernamento de luxo, capa dura e 156 páginas, é o resultado de uma cuidadosa pesquisa efetuada nos arquivos dos fotógrafos Cleiton Thiele e Leonid Streliaev. Das 65.000 fotografias examinadas com cuidado, foram selecionadas 330 cenas que retratam o amor e o carinho da comunidade gramadense com este evento único.


Com o patrocínio exclusivo do Mundo a Vapor, o livro além de seu aspecto estético, é um verdadeiro documento que registra os eventos que compõem o Natal Luz e suas mudanças ocorridas durante todos estes anos.


Com o prefácio do escritor Romeo Ernesto Riegel, Presidente da Academia Gramadense de Letras e Artes e edição de Leonid Streliaev, a obra é um registro fundamental deste que é considerado o maior evento natalino do mundo.


SERVIÇO:

Livro Natal Luz de Gramado

Patrocinador exclusivo Mundo a Vapor

Capa dura, 156 páginas, 28X28cm.

Fotos Cleiton Thiele e Leonid Streliaev

Executado por Leonid Streliaev-Edições Especiais

Mais informações: Rita Leidens / rita@leonid.com.br / (54)9.9943.6740

Brasil desembolsou quase R$ 500 bilhões em ações de enfrentamento ao Covid-19, segundo levantamento do Ipea

Números foram apresentados durante a entrega do Prêmio ABDE-BID, realizado na última quinta-feira 

O governo federal desembolsou, até o dia 23 de setembro, R$ 413,3 bilhões para ações de enfrentamento ao Covid-19. Mais da metade foi destinado para o auxílio emergencial a pessoas em situação de vulnerabilidade: R$ 217,4 bilhões. O auxílio financeiro aos estados, municípios e Distrito Federal somou outros R$ 74,39 bilhões. Os números foram apresentados pelo diretor de Estudos e Políticas Macroeconômicas do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), José Ronaldo Souza, durante solenidade de entrega do Prêmio ABDE-BID, realizado nesta quinta-feira (10), de forma virtual. 

Os demais gastos da União no combate ao coronavírus referem-se às despesas adicionais do Ministério da Saúde e demais pastas (R$ 35,97 bilhões); benefício emergencial de manutenção de emprego e renda (R$ 24,94 bilhões); cota dos Fundos Garantidores de Operações de Crédito (R$ 42,90 bilhões); concessão de financiamento para pagamento de folha salarial (R$17 bilhões); transferência para a Conta de Desenvolvimento Energético (R$ 900 milhões); e ampliação do Bolsa Família (R$ 370 milhões). 

Diante do aumento de gastos da União, o Ipea calcula um déficit primário de 12% do Produto Interno Bruto (PIB) até setembro. A dívida pública também disparou e em agosto atingiu quase 90% do PIB. Por fim, o investimento líquido atingiu o menor patamar desde o início da série história, em 1947, e pela primeira vez ficou negativo. Ou seja, os investimentos não têm sido suficientes sequer para evitar a depreciação do estoque de capital fixo já instalado. 

"A transferência de renda e para os estados e municípios foram os principais pontos de gastos relacionados à Covid. O auxílio emergencial contribuiu para uma resposta rápida da economia e para evitar um problema social mais grave", afirma Souza. 

O presidente da Associação Brasileira de Desenvolvimento (ABDE), Sergio Gusmão Suchodolski, sinalizou que a ABDE trabalha para apoiar o país a buscar mais recursos por meio de parcerias com organismos internacionais. "É um grande desafio que temos pela frente. As instituições financeiras de desenvolvimento estão trabalhando para alavancar o volume de investimentos para projetos de desenvolvimento no Brasil e auxiliar o país nessa retomada da economia", diz. 

Para o representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, é necessário somar esforços para apoiar o país no momento de necessidade. "O BID mobilizou quase US$ 2 bilhões, tendo como alvo mais de 70 mil pequenas e médias em presas. O objetivo é ajudar o empreendedor e toda a cadeia a atravessar um dos momentos mais complexos da história". 


Hospital Moinhos de Vento realiza tratamento inovador para obesidade com procedimento ambulatorial

Gastroplastia por endoscopia surge como nova opção de tratamento para a obesidade

 

Um tratamento inovador para a obesidade vem ganhando espaço: a gastroplastia endoscópica. É um procedimento menos invasivo, com recuperação mais rápida e que pode ser feito em nível ambulatorial. A intervenção reduz a cavidade do estômago por meio de uma “costura” nas paredes internas do órgão, produzindo sensação de saciedade e a consequente redução do consumo de alimentos. O procedimento não tem cortes e vem despertando interesse dos pacientes.

 O médico Nelson Coelho, especialista em Endoscopia Digestiva do Hospital Moinhos de Vento, explica que essa modalidade de tratamento é indicada para pacientes com obesidade tipo I — com índice de massa corporal abaixo de 30 (calculado dividindo o peso, em quilograma, pelo quadrado da altura em metro) — ou com IMC acima de 30, mas que não podem submeter-se à cirurgia. “Trata-se de uma nova opção para quem tem riscos cirúrgicos para realizar a cirurgia bariátrica convencional. As condições de elegibilidade para essa técnica devem ser avaliadas em conjunto, pelo médico especialista e pela equipe multidisciplinar”, pontua o médico Artur Seabra, chefe do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital Moinhos de Vento.

O procedimento foi realizado no Hospital Moinhos de Vento pela primeira vez há cerca de dois meses, e a paciente apresenta uma boa evolução. A advogada Viviane Siqueira da Silva conta que perdeu 10 quilos em 40 dias. “Eu estava com 92 quilos, tinha gordura no pâncreas e no fígado, três hérnias da coluna por causa do peso e sofria com refluxo. Pesquisei sobre os tratamentos porque não posso e nem gostaria de fazer cirurgia. Foi simples, sem dor e agora sigo com acompanhamento do médico, da psicóloga e da nutricionista. Estou me sentindo muito bem”, relata.

 

Novo estilo de vida

Viviane tentou diversos tratamentos desde os 10 anos de idade. O histórico familiar era uma das preocupações, pois o pai é obeso e cardíaco e a mãe morreu em decorrência de um câncer no pâncreas. Agora pretende perder mais 14 quilos, de forma gradual. “Sinto muitas diferenças. Eu tomava remédios para dormir e agora não preciso mais. A mudança de hábitos, alimentação e rotina de exercícios, me faz sentir muito bem com melhora da minha qualidade de vida”, comemora.

Viviane criou um perfil no Instagram para compartilhar a sua experiência. A advogada ressalta que essa é uma prática comum entre os pacientes que optam pela gastroplastia no Brasil. “Como é tudo novo, formamos essa rede de apoio. Também me convidaram para um grupo no WhatsApp, com pessoas de todo o Brasil, onde trocamos informações, nos ajudamos e divulgamos essa nova opção de tratamento”, conclui.

 

Obesidade

O médico Nelson Coelho destaca que a obesidade é uma doença crônica, porém, tratável em quase todos os casos. “A medicina oferece diversas opções de tratamento, com dietas, exercícios físicos, medicamentos e, quando indicado, procedimentos endoscópicos ou cirúrgicos. O que não podemos é deixar o sobrepeso e os estágios iniciais evoluírem para condições mais graves”, alerta. O especialista acrescenta que esta é uma alternativa à cirurgia da obesidade.

A população de obesos no Brasil vem aumentando rapidamente e dobrou nos últimos 15 anos. A última Pesquisa Nacional de Saúde, realizada pelo IBGE no ano passado, revelou sobrepeso — peso acima do saudável para a idade ou tamanho — em mais da metade dos adultos entre 25 e 39 anos. Desse universo, quase um terço dos brasileiros se enquadra em algum grau de obesidade. O Rio Grande do Sul é o estado brasileiro com o maior percentual de obesos.

 

Grupo de risco

Os dados servem de alerta, e o problema é de saúde pública. A obesidade é um fator de risco para doenças cardíacas, AVC,diabetes e câncer, entre outros. Neste ano, mais um problema: pessoas obesas estão entre as principais vítimas da COVID-19, com altos índices de internação em UTI e de mortalidade.

Pesquisas publicadas na revista especializada Obesity Research & Clinical Practice, apontam que a probabilidade de uma pessoa com obesidade desenvolver a forma grave da doença é tão alta quanto a de um idoso. Isso independe da idade, do sexo, da etnia e da existência de comorbidades como diabetes, hipertensão, doença cardíaca ou pulmonar. Os autores concluíram que, além de favorecer a progressão rápida da doença e aumentar o risco de internação em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), a mortalidade entre os pacientes com essas características que necessitam internação fica em torno de 10%.

Vacina chinesa e Doria

 

É falso que reportagem do jornal norte-americano The Washington Post tenha afirmado que o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), recebeu propina do laboratório chinês Sinovac, como aponta um vídeo publicado no YouTube.

Receba a newsletter do Poder360

O autor da gravação cita a publicação como fonte, mas a matéria jornalística aborda apenas pagamentos ilegais admitidos por um dirigente da farmacêutica a um ex-oficial da agência regulatória de medicamentos da China, entre 2002 e 2011. Não há menção a valores indevidos pagos em outros países, tampouco ao governador Doria.

O autor também sugere que a China seria “dona” de 32 partidos políticos no Brasil, mas a legislação brasileira atual impede as legendas partidárias de receber recursos de organizações ou governos estrangeiros.

O autor do vídeo é o youtuber Enzo Leonardo Suzin Momenti, que publica conteúdos favoráveis ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O Comprova tentou contato com ele por e-mai


O anúncio de que a China está próxima de lançar uma vacina contra a COVID-19 deixou o mundo esperançoso. Mas uma nuvem negra paira sobre a fabricante do imunizante, o laboratório Sinovac Biotech. A empresa, inclusive, trouxe ao mundo as vacinas contra a SARS (2003) e a gripe suína (2009).


De acordo com jornal The Washington Post, Yin Weidong, CEO da empresa, admitiu ter repassado mais de US$ 83 mil em propina para um funcionário da agência reguladora da China entre os anos de 2002 a 2011.


Abaixo, trechos da reportagem do The Washington Post


“A fabricante chinesa da vacina para o coronavírus, Sinovac Biotech, é boa em colocar seus produtos no mercado. Foi a primeira a iniciar os testes clínicos de uma vacina contra a SARS em 2003 e a primeira a trazer uma vacina contra a gripe suína aos consumidores em 2009.


De acordo com registros em tribunal, seu CEO estava subornando o regulador de drogas da China para aprovações de vacinas durante aquele tempo.


A Sinovac agora busca fornecer sua vacina contra o coronavírus para países como Brasil, Turquia e Indonésia . Embora a corrupção e a fraca transparência tenham atormentado por muito tempo a indústria farmacêutica da China, raramente a confiabilidade de um único fornecedor de medicamentos do país teve tanta importância para o resto do mundo.


A empresa é uma das duas pioneiras da vacina contra o coronavírus na China, com seus testes clínicos no mesmo estágio final que os da Moderna e da Pfizer-BioNTech. Internamente, a vacina da Sinovac está em segundo lugar, com os imunizantes da estatal Sinopharm. Outra vacina chinesa, desenvolvida pela CanSino e um instituto de pesquisa militar, foi aprovada para uso emergencial pelos militares da China.


Autoridades do Brasil e da Indonésia – as nações mais populosas da América Latina e do Sudeste Asiático – afirmam que coronavac pode ser aprovado nas próximas semanas. No Brasil, o governador de São Paulo, João Doria , considerou a vacina mais segura que o país já testou.


A empresa chinesa ainda não divulgou os dados de eficácia, tornando incerto se sua vacina pode proteger os receptores com tanto sucesso quanto as vacinas da Moderna e Pfizer, que foram mais de 90% eficazes nas análises preliminares.


Sinovac reconhece suborno


A Sinovac reconheceu o caso de suborno envolvendo seu CEO, dizendo em documentos regulatórios que ele cooperou com os promotores e não foi acusado. Yin Weidong disse em depoimento que não poderia recusar pedidos de dinheiro de um oficial regulador.


A companhia não se envolveu em escândalos de segurança e não há evidências de que qualquer uma das vacinas aprovadas em casos de suborno fosse com defeito. Mas alguns especialistas médicos dizem que o escrutínio extra das alegações da Sinovac sobre medicamentos é justificado, dado seu histórico de flexibilidade moral.


“O fato de a empresa ter um histórico de suborno lança uma longa sombra de dúvida sobre suas alegações de dados não publicados e não revisados ​​por pares sobre sua vacina”, disse Arthur Caplan, diretor da divisão de ética médica do New York University Langone Medical Center. “Mesmo em uma praga, uma empresa com um histórico moralmente duvidoso deve ser tratada com grande cautela em relação às suas reivindicações.”


Embora a história de suborno da Sinovac tenha levantado preocupações entre os investidores da empresa listada na Nasdaq, apenas nos últimos meses seu histórico adquiriu tais implicações globais. Os governos estão pesando os riscos de novas vacinas de empresas como a Sinovac contra a certeza de mais mortes se a pandemia continuar.


Uma revisão de registros públicos e testemunhos de ensaios pelo The Washington Post reflete que a ascensão da Sinovac às primeiras fileiras da indústria de vacinas da China ocorreu com a ajuda de projetos prioritários de Pequim e propinas a funcionários que ajudaram nas revisões regulatórias e acordos de vendas. Vários detalhes dos processos judiciais não foram relatados anteriormente, em parte por causa da mídia censurada da China.


No testemunho do tribunal de 2016, Yin Weidong, admitiu ter dado mais de US $ 83 mil em subornos de 2002 a 2011 para um oficial regulador supervisionando as análises de vacinas, Yin Hongzhang, e sua esposa. Yin Hongzhang confessou em troca expedir as certificações de vacinas de Sinovac.


Esses anos corresponderam ao período de ruptura de Sinovac, quando a startup de biotecnologia fundada em 2001 foi escolhida a dedo por funcionários de Pequim para liderar o desenvolvimento de vacinas para SARS, gripe aviária e gripe suína.


Yin Hongzhang, que compartilha o sobrenome com o CEO da Sinovac, mas não é parente, foi condenado em 2017 a uma década de prisão por aceitar subornos da Sinovac e de sete outras empresas. Yin Weidong da Sinovac, agora com 56 anos, não foi acusado e continua a supervisionar a campanha de vacinação contra o coronavírus da empresa este ano.


Para a companhia chinesa, esse caso não foi único: pelo menos 20 funcionários do governo e administradores de hospitais em cinco províncias admitidos em tribunal por aceitarem subornos de funcionários da Sinovac entre 2008 e 2016″.


A matéria completa pode ser conferida no site do The Washington Post: https://wapo.st/3qAPpx9.

domingo, 13 de dezembro de 2020

Não se deixe enganar - Saiba quais são os sintomas, como se prevenir e quais os medicamentos a usar no tratamento precoce

 ◉ Os sintomas aparecem a partir do *3º* dia depois do contágio(sintomas de virose).


➙ *1ª fase:*

◉ Dor no corpo

◉ Dor nos Olhos

◉ Dor de cabeça

◉ Vômito

◉ Diarréia

◉ Coriza ou congestão nasal

◉ Moleza

◉ Ardor nos Olhos

◉ Ardor ao urinar

◉ Sensação febril

◉ Garganta arranhada


➙ Importantíssimo contar os dias de sintomas: *1º*, *2º*,  *3º*.


➙ *Medicação:*

*Azitromicina*-tomar *1* por dia a partir do *3º* dia - para diminuir o contágio, diminuir os sintomas e prevenir pneumonia .

Também pode-se usar - para ser mais rápido na cura - o *Ivermectina* ou *Anitta*. 

◉ É necessário agir antes da febre aparecer.

◉ *Não* esperar a febre chegar para tomar o *antibiótico* .

◉ Atenção! É muito importante a ingestão de *bastante líquido*, em especial a água purificada. Beba bastante água para não deixar a garganta seca e para ajudar a limpar os pulmões.

*_______________________*

➙ *2ª fase:* (do *4º* ao *8º* dia) *inflamatória*.


◉ Perda do paladar e/ou olfato

◉ Cansaço aos mínimos esforços

◉ Dor no tórax(caixa torácica)

◉ Aperto no peito

◉ Dor na região lombar(na região dos Rins)

*_______________________*

➙ O vírus ataca as terminações nervosas.

◉ A diferença entre _cansaço_ e _falta de ar_:

• __Falta de ar é quando a pessoa está sentada - sem fazer nenhum esforço - e lhe falta ar; • _Cansaço_ é quando a pessoa se movimenta pra fazer algo simples e se sente cansada.

*_______________________*

➙ Precisa-se de muita hidratação e *vitamina C*. 

*_______________________*

➙ O *Covid-19* se liga ao Oxigênio, portanto, a qualidade do sangue fica ruim, com menos oxigênio.

Se você tiver com tosse, tome algum Xarope para tosse [recomendo o *Acetilcisteína* Xarope e envelope] .

*_______________________*

➙ *3ª fase - cura:*

◉ No *9º* dia entra na _fase de cura, que pode ir até o *14º*dia(convalescência)


◉ É importante não atrasar o tratamento, quanto mais cedo, melhor!

*_______________________*

➙ Boa sorte a todos!

Guarde estas recomendações, prevenir nunca é demais!

*_______________________*

➙ Conselho de _hospitais de isolamento que podemos fazer em casa...

◉ Medicamentos que são tomados em _hospitais de isolamento:

• Vitamina C-1000

• Vitamina E (E)

• De 10:00am às 11:00am, sente-se ao Sol por 15 a 20 minutos • Refeição de Ovo uma vez • Descansar e dormir - no mínimo - de 7 a 8 horas • Beber 1 litro e meio de água, diariamente • Todas as refeições devem ser quentes (não frias). Isto é tudo o que fazemos nos hospitais para fortalecer o _sistema imunológico_.

*_______________________*



➙ Como saber que você está com o *Covid-19*?!

◉ Comichão na garganta

◉ Garganta seca.  

◉ Tosse seca

◉ Alta temperatura

◉ Falta de ar

◉ Perda do olfato e paladar