quarta-feira, 31 de agosto de 2022

Artigo, Renato Sant'Ana - Armadilha doce e realidade amarga

Entre uma verdade amarga e uma mentira doce, o que é que os patetas preferem? A resposta interessa aos enganadores da política, o que inclui candidatos e marqueteiros que vivem da patetice dos outros.

É de se ver o ilusionismo do Lula. Disse que o povo tem de voltar a comer picanha e tomar cerveja. Tudo para plantar a ideia de que ele é o pai da abundância - uma doce mentira. Ele finge não saber - ou talvez não saiba mesmo - que, para ter renda e comprar picanha e cerveja, "o povo" necessita de emprego, o que não existe sem crescimento econômico. E está visto que o crescimento econômico é incompatível com o socialismo que Lula, declaradamente, quer impor ao Brasil.

Foi assim a sua entrevista ao Jornal Nacional, favorecido por William Bonner e Renata Vasconcellos, os entrevistadores, que, se fossem sérios, questionariam a inconsistência de um discurso vazio de ideias, quando Lula deu várias pistas de que pretende fazer com o Brasil o mesmo que o chavismo fez com a Venezuela, e o peronismo com a Argentina, dois países que passaram de ricos a miseráveis por efeito da mesma ideologia.

Mas o intuito da Globo é desinformar o brasileiro médio, que tem pouca memória e tende a acreditar nas doces mentiras de qualquer falastrão. Quantas armadilhas a Globo ainda reserva para este período eleitoral?

 

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo.

E-mail: sentinela.rs@outlook.com


Alexandre de Moraes atende lulopetistas

 Na representação que fez ao ministro Alexandre de Moraes para investigações sobre o grupo de 8 empresários, o delgado Flávio Alvarez não pediu a quebra do sigilo bancário e o bloqueio das contas.ç

O pedido atendido de pronto pelo ministro foi do coordenador da campanha de Lula, o senador Randolfe Rodrigues. O ministro Alexandre de Moraes é o relator da investigação no Supremo Tribunal Federal (STF). Randolfe sugeriu a tomada de depoimentos, o afastamento dos sigilos bancário e de mensagens, o bloqueio de contas e as prisões preventivas. Com exceção das prisões, todas as medidas foram autorizadas por Moraes. O ministro do STF também determinou a suspensão dos perfis dos empresários no Facebook, Instagram, Twitter, TikTok e YouTube.

Os deputados Gleisi Hoffmann (PR), Reginaldo Lopes (MG) e Alencar Santana (SP), do PT, fizeram coro pelas prisões e pela quebra dos sigilos telefônico e telemático dos empresários, mas não mencionaram o bloqueio das contas ou o levantamento do sigilo bancário. As deputadas Fernanda Melchionna (RS), Sâmia Bomfim (SP) e Vivi Reis (PA), do PSOL, acionaram o STF cobrando investigação, mas não chegaram a propor medidas específicas. Elas pediram ao ministro que tomasse "as providências cabíveis".

O gabinete de Moraes recebeu ainda notícias-crime de associações de magistrados e do Ministério Público do Trabalho pedindo que os empresários fossem intimados a prestar depoimento e seus celulares fossem apreendidos. As entidades também não mencionam sanções de ordem financeira ao grupo.

A PF representou apenas pela apreensão dos celulares e pelo afastamento do sigilo das mensagens.

terça-feira, 30 de agosto de 2022

Lula não é inocente

 Dos 11 casos mais conhecidos contra Lula, em 6 as acusações prescreveram, foram suspensas, arquivadas ou encerradas de vez por erros processuais, mas 5 continuam ativas.

Livre há 2 anos, 9 meses, e 21 dias, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) segue com 5 processos trancados e/ou suspensos na Justiça. Mesmo dizendo que foi “absolvido de tudo”, o petista foi considerado inocente em só 3 dos 11 processos mais conhecidos. O petista foi absolvido por suposta obstrução de Justiça envolvendo o silêncio de Nestor Cerveró, por organização criminosa no caso do “Quadrilhão do PT” e na operação Zelotes, que denunciou o petista por corrupção passiva pela suposta aprovação de Medida Provisória em troca de contrapartidas ao PT.

Os casos do terreno e das doações ao Instituto Lula, que teriam usado repasses da Odebrecht, foram suspensos por Ricardo Lewandowski. O ministro do Supremo Tribunal Federal também paralisou o trâmite da ação que apurava a compra de 36 caças suecos pelo governo Dilma Rousseff (PT). O processo acusava Lula de tráfico de influência, lavagem de dinheiro e organização criminosa.  Os processos em que Lula era acusado de receber R$ 1 milhão para intermediar discussões entre o governo de Guiné Equatorial e o grupo brasileiro ARG foi trancado pelo TRF-3. Já o caso que mirava suposto tráfico de influência.Já o caso que mirava suposto tráfico de influência do petista para aumentar a linha de crédito da Odebrecht junto ao BNDES foi retirado de pauta pela Justiça do DF. Esses casos voltaram à estaca zero e deveriam, em tese, ter as investigações retomadas. Entretanto, não há tempo hábil para os processos avançarem até uma denúncia pelo Ministério Público. Por causa da idade de Lula, os casos serão prescritos. A prescrição se dá quando o Estado perde o prazo para investigar e julgar um crime. O cálculo do tempo é feito de acordo com  tipo de delito. No caso do petista, por ter mais de 70 anos, o ...

 As duas únicas condenações de Lula, nos casos conhecidos como “tríplex de Guarujá” e “sítio em Atibaia”, foram anuladas. O ministro Edson Fachin, do STF, entendeu que as ações deveriam tramitar em Brasília, e não em Curitiba, e mandou recomeçar do zero. Quando os processos foram reiniciados, o do tríplex estava prescrito e o do sítio foi negado pela Justiça por falta de provas e por prescrição dos crimes.

Cristália lança lágrima artificial inovadora para tratar a Síndrome do Olho Seco

 Cristália lança lágrima artificial inovadora para tratar a Síndrome do Olho Seco

Lunera chega ao mercado com tripla combinação em frasco multidose, para proporcionar maior hidratação e conforto para o paciente

O Cristália, um dos principais complexos industriais farmacêuticos brasileiros e líder no mercado hospitalar na América Latina, acaba de lançar uma solução inovadora para tratar os Olhos Secos por meio da Latinofarma, sua divisão dedicada à oftalmologia: o colírio lubrificante e hidratante ocular Lunera. 

Anunciada para a classe médica em um evento virtual para mais de 2600 médicos oftalmologistas (parcela significativa da oftalmologia brasileira), a nova lágrima artificial é semelhante à lágrima natural, não possui conservantes e é indicada para pacientes que apresentam diferentes graus da doença.

 

A nova fórmula combina três dos principais agentes do conforto ocular: ácido hialurônico, carmelose sódica e glicerol. A carmelose sódica, combina-se com as próprias lágrimas do paciente para proporcionar melhora da irritação, ardor e secura ocular. O glicerol age como osmoprotetor, compatível com a capacidade osmótica de atrair água que penetra na célula e permite reestabelecer o volume e as funções fisiológicas do epitélio. Já o ácido hialurônico é um importante lubrificante para diversos distúrbios da superfície ocular, especialmente naqueles com olho seco.

“O Lunera é uma lágrima artificial sem conservantes que associa o alto poder de lubrificação em um frasco inovador, seguro e fácil de usar com diferenciais para o paciente, como o alto peso molecular do ácido hialurônico. Mas a maior inovação vem do fato de ser a primeira combinação tripla, sem conservante, em frasco multidose para o Olho Seco”, afirma Ricardo Pacheco, Presidente do Grupo Cristália.

Por ser uma doença crônica, a síndrome do olho seco deve ser tratada continuamente, seguindo orientação do oftalmologista. O tratamento tem várias abordagens, passando pelo uso de antioxidantes, anti-inflamatórios, luz pulsada, ordenha eletrônica nas glândulas que secretam gordura no olho, mas, em geral, o tratamento passa pela utilização constante de lágrimas artificiais, que agem para manter a superfície ocular hidratada.

Sobre o Olho Seco 

Olho Seco é uma doença multifatorial crônica caracterizada pela diminuição da produção da lágrima ou deficiência em alguns de seus componentes, ou seja, pouca quantidade e/ou má qualidade da lágrima.

Conforme a Associação dos Portadores de Olho Seco (APOS), cerca de 24% da população brasileira sofre com a síndrome do olho seco, resultando em vermelhidão dos olhos, coceira, sensação de ardência, visão embaçada, entre outros sintomas. A exposição aos aparelhos eletrônicos em excesso provoca o ressecamento da superfície ocular, piscamos até 60%. Outros fatores como idade avançada, menopausa, ar-condicionado, lentes de contato e alguns medicamentos são fatores de risco também para o desenvolvimento do Olho Seco.

As lágrimas artificiais têm um papel muito importante: hidratar a superfície ocular e evitar que a área fique seca, protegendo os olhos da ação de agentes externos, como bactérias e partículas de poeira. Assim, quando o olho fica seco, significa pode haver algum problema na produção do filme lacrimal, o que pode causar não só ardência e sensação de areia nos olhos, como problemas mais graves na visão.

Sobre a Latinofarma

Incorporada em janeiro de 2018, a Latinofarma é a divisão dedicada à Oftalmologia do Grupo Cristália. O portfólio conta com cerca de 30 produtos em aproximadamente 40 apresentações, entre eles: lágrimas artificiais, anti-inflamatórios e associações, atendendo às diferentes necessidades de prescrição do médico e do cirurgião oftalmologista.

Sobre o Cristália: 

Fundado há 50 anos, o Laboratório Cristália é um Complexo Industrial Farmacêutico, Farmoquímico, Biotecnológico, de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação 100% brasileiro. É pioneiro na realização da cadeia completa de um medicamento, desde a concepção da molécula até o produto final.  Possui 124 patentes em nível mundial, sendo recordista nacional. Em anestesia, e produção de IFAs é líder de mercado na América Latina.

O Grupo Cristália conta com cerca de 5.600 colaboradores, considerando as empresas coligadas, como os Laboratórios BioChimico e IMA. Para mais informações, visite o site: www.cristalia.com.br


Artigo, Renato Sant'Ana - O que parece óbvio numa farsa bem montada

Em 1989, a Globo entrou de corpo inteiro na campanha eleitoral para eleger Fernando Collor. E jogou como ninguém com câmeras e luzes...

Ainda há quem se lembre da imagem de Ulisses Guimarães, uma das vítimas das câmeras globais, mostrado como um idoso alquebrado para contrastar com o perfil de um Fernando Collor editado como bonitão de 41 anos, atlético, inteligente, honesto e autoconfiante. Deu no que deu...

Há no mínimo 40 anos, a Globo trata o brasileiro como idiota útil. E foi assim na entrevista de Lula no Jornal Nacional: ele falou como se estivesse no "horário eleitoral gratuito". Um deboche! Lula falou de combater a corrupção como se não fosse ele réu em vários processos por corrupção. Tudo sem ser confrontado pelos entrevistadores.

Aliás, depois, no debate da Bandeirantes, Lula afirmou que nenhum governo investigou a corrupção como o dele. Se enganou! Na real, nenhum governo, como o dele, deu tanto trabalho à investigação da polícia.

A Globo quer desinformar a população. É fácil! A maioria tem memória curta. Não questiona o que vê. Raciocina a partir das emoções causadas pela telinha. E acaba achando óbvio o que é só uma mentira da Globo! Mas quantos eleitores ainda caem nessa armadilha? Veremos.

 

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo.

E-mail: sentinela.rs@outlook.com

Bolsonaro foi quem mais repercutiu nas redes sociais depois do debate na TV

 O primeiro debate presidencial, realizado no último domingo, nos estúdios da Band, em São Paulo, deixou o presidente Jair Bolsonaro (PL) como o candidato com mais interações associadas ao seu nome nas redes. As informações são da VoxRadar, empresa especializada em análise de dados provenientes das redes sociais, encomendadas pela startup de comunicação corporativa O Pauteiro.

 Entre 21h e 23h59 do domingo, Bolsonaro somou 3,7 milhões de interações em torno do seu nome, entre postagens, likes, reações, comentários e compartilhamentos no Facebook, Instagram e Twitter. 

 O petista fechou a noite do domingo com 2,7 milhões de interações ao todo. 

 Simone Tebet (MDB) e Ciro Gomes (PDT) registraram números similares. Tebet, que bateu de frente com Bolsonaro em alguns momentos, teve mais interações no Twitter, com quase 1 milhão, enquanto Ciro chegou próximo das 900 mil. Soraya Thronicke (União), com 310 mil, e Felipe D'ávila (NOVO), com 174 mil interações, também tiveram no Twitter a rede com mais interações, porém registraram percentuais muito distintos na sentimentalização das postagens realizadas. Enquanto 80% das citações ao candidato do NOVO foram neutras, 57% das menções à senadora, que assim como Tebet teve momentos de antagonismo com Bolsonaro, foram negativas.

Sobre O Pauteiro

Fundada em 2019 por Fábio Brandt (Novo Selo) e Samuel Figueiredo (F7 Comunicação), a startup O Pauteiro vem consolidando sua atuação ao longo dos anos como ferramenta de divulgação de pautas corporativas e institucionais para dezenas de entidades e empresas de reconhecida relevância nacional, como Conselho Federal da OAB, Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB), Associação dos Delegados da Polícia Federal (ADPF), Associação dos Peritos da Federal (APCF), Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais (Arpen-Brasil), além de grandes grupos empresariais como BAT Brasil e startups como a Buser. Saiba mais em: www.opauteiro.com.br

 

Sobre a Vox Radar

A Vox Radar é a ferramenta de Social Listening mais completa do mercado brasileiro. Atua com índices e algoritmos próprios, desenvolvidos para qualificar o sentimento e assuntos das publicações com a maior acurácia do mercado, permitindo assim que seja possível compreender, em tempo real, o sentimento dos usuários das redes sociais no Brasil. Saiba mais em: www.voxradar.com.br



segunda-feira, 29 de agosto de 2022

Lula diz que foi absolvido, mas segue com problemas na Justiça, segundo Poder360

O ex-presidente acumula vitórias nos tribunais superiores desde que o STF (Supremo Tribunal Federal) declarou a parcialidade do ex-juiz Sergio Moro na vara de Curitiba. No entanto, dos 11 casos mais conhecidos contra Lula, em 8 as acusações prescreveram, foram suspensas, arquivadas ou encerradas de vez por erros processuais....


Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, realiza a primeira neurocirurgia robótica da América Latina

A cirurgia de coluna lombar foi realizada com o uso de navegador cirúrgico e braço robótico da Brainlab, empresa alemã pioneira global em tecnologia médica orientada por software. O equipamento foi aprovado em maio pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).


O Hospital Moinhos de Vento, de Porto Alegre, realizou no dia 10 de agosto a primeira neurocirurgia robótica da América Latina. O procedimento foi conduzido em um paciente que sofria de dor na coluna lombar com irradiação para os membros inferiores e não obteve sucesso com tratamentos clínicos prévios. O homem de 65 anos foi operado pela equipe dos neurocirurgiões Arthur Pereira Filho e Nelson Pereira Filho.

 O procedimento foi uma artrodese de coluna lombar, que consiste no implante de parafusos pediculares com o objetivo de estabilizar duas ou mais vértebras instáveis da coluna. Para isso, a equipe utilizou uma tecnologia inovadora: o braço robótico Cirq, da Brainlab, empresa alemã especialista em cirurgia assistida por computador. O equipamento é o único aprovado para uso pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e funciona em conjunto com o sistema de navegação cirúrgica Curve, do mesmo fabricante.

O navegador permite que o cirurgião faça um planejamento pré-operatório do procedimento, incluindo as incisões necessárias e as trajetórias  dos implantes para maximizar o desfecho cirúrgico. Intraoperatoriamente, o braço robótico aumenta a precisão do procedimento, garantindo a execução milimétrica das trajetórias previamente planejadas. “Antes da cirurgia começar, é possível definir com precisão as dimensões e o posicionamento dos parafusos que serão implantados no paciente”, explica o médico Arthur Pereira Filho.

 

Artrodese da coluna lombar

Conhecido por artrodese da coluna lombar, o procedimento visa corrigir fraturas por traumas ou enfermidades (osteoporose ou doenças oncológicas), além de anomalias provocadas por tumores, doenças degenerativas da coluna (desgate articular, hérnia de disco), doenças congênitas (como a escoliose), entre outras. O implante pode ser realizado por meio de três tipos de cirurgia: convencional, navegada e robótica. 

No procedimento tradicional, o cirurgião usa imagens de raios-X  para direcionar o parafuso no local implante. A precisão desta técnica depende da habilidade do cirurgião em perceber o posicionamento do pedículo e da qualidade das imagens intraoperatórias. Deformidades cifóticas, variações anatômicas e densidade óssea são alguns desafios enfrentados pelos cirurgiões ao implantar parafusos pediculares, podendo levar a significativos índices de parafusos mal posicionados2. 

A cirurgia navegada é um procedimento baseado em tecnologia que permite a reconstrução tridimensional da coluna2. Em um  equipamento, conhecido por neuronavegador, são inseridas imagens de tomografia computadorizada do paciente. Após processar as imagens, o  navegador indica na tela do computador a posição exata para o implante dos parafusos. Em tempo real, o cirurgião acompanha este processo e faz o procedimento. 

O sistema de braço robótico aumenta a precisão dos procedimentos cirúrgicos. Inspirado na biomecânica do braço humano, o Cirq atua como um assistente, podendo ser posicionado de forma flexível por meio de sete articulações ou “graus de liberdade”. Com apenas 11 quilos, funciona fixado à mesa cirúrgica. Após uma rápida configuração, o Cirq recebe os dados do neuronavegador e localiza automaticamente a posição planejada.  Assim, alinha a trajetória e guia o cirurgião para fazer a incisão, perfurar o osso e implantar o parafuso no ponto calculado com uma precisão milimétrica.


Neurocirurgia robótica

Em todo o mundo, a navegação assistida por computador e os sistemas de orientação robótica são cada vez mais utilizados em cirurgias da coluna. Estudos relatam que a colocação de parafusos pediculares assistida por robô alcança maior precisão, menor exposição à radiação e menos complicações.

“Há cerca de 15 anos, o Hospital Moinhos de Vento utiliza o neuronavegador em cirurgias. No entanto, é a primeira vez que uma equipe cirúrgica usa também um braço robótico”, afirma Dr. Arthur. O Cirq foi aprovado pela Food and Drug Administration (FDA), a agência regulatória dos Estados Unidos, em 2019. Naquele país foram registradas 3,6 milhões de cirurgias de coluna entre 2001 e 2010, com prevalência crescente a cada ano4.  

Vários estudos já comprovaram a eficácia do sistema robótico da Brainlab. Em 2021, médicos da Universidade de Marburg, na Alemanha, elaboraram um estudo publicado no Journal of Clinical Medicine, mostrando os resultados de 13 cirurgias para implante de 70 parafusos com o braço robótico Cirq em 12 pacientes, com idade média de 67,4 anos, que tinham enfermidades diversas - espondilodiscite, metástases, fratura osteoporótica e estenose do canal vertebral. O tempo médio de implante de cada parafuso variou entre 6 a 8 minutos. Os autores consideraram que não houve nenhum déficit perioperatório – período compreendido entre a decisão de fazer a cirurgia até a alta hospitalar do paciente3. 

 

Pioneirismo e inovação

O CEO do Hospital Moinhos de Vento, Mohamed Parrini, ressaltou que a visita recente à Alemanha teve justamente o propósito de conhecer novas tecnologias utilizadas em instituições hospitalares e esse equipamento foi conhecido durante a viagem. “A medicina cada vez mais conta com esses avanços que refletem diretamente em melhores tratamentos e resultados aos pacientes. A instituição está alinhada com essa nova realidade e tem investido em equipamentos de última geração com o propósito de cuidar das pessoas”, ressaltou.

Vinicius Dessoy Maciel, presidente da Brainlab para a América Latina, afirma que, além de ser o único hospital a ter utilizado essa tecnologia no país até o momento, o Moinhos de Vento é uma instituição de saúde que reúne condições técnicas e humanas extremamente favoráveis para a sua adoção na rotina cirúrgica.  

De acordo com o relatório “Cirurgia da Coluna - Tendências e Oportunidades Globais”1, elaborado pela consultoria norte-americana LSI,  em 2017 foram realizadas 5,2 milhões de cirurgias de coluna em todo o mundo. De lá para cá, os consultores estimam que a intervenção aumentou 7,9% ao ano, devendo chegar a 7,6 milhões até o final de 2022, o que tornaria a cirurgia de coluna um dos procedimentos cirúrgicos de mais rápido crescimento. 

“O Hospital Moinhos de Vento já é pioneiro na cirurgia robótica,  e este é mais um marco para a instituição em termos de inovação e tecnologia para benefício dos pacientes. Esse será um novo passo para colocar em prática um sonho da direção e da equipe médica que é de fazer um centro robótico que engloba procedimentos em várias especialidades”, afirma Arthur Pereira Filho.

O braço robótico Cirq amplia o parque tecnológico do Hospital Moinhos de Vento. O Núcleo de Cirurgia Robótica da instituição já conta com soluções robóticas como o Rosa Knee e o Da Vinci, que mostram a excelência para a realização de procedimentos, além da segurança e precisão para a equipe médica e para o paciente.

 

Mais R$ 7,6 milhões para a Neurologia

O Hospital Moinhos de Vento investiu R$ 7,6 milhões na compra dos equipamentos ZEISS KINEVO 900 e sistema de navegação Brainlab Curve. As novas ferramentas proporcionam melhores resultados, pois permitem maior controle do cirurgião, com uma micro-inspeção da área e visualização por realidade aumentada.

O sistema de visualização conta com mais de 100 novos recursos e os equipamentos serão utilizados principalmente em cirurgias de tumores do sistema nervoso, mas também em casos de aneurismas cerebrais, malformações arteriovenosas, biópsias cerebrais, artrodese da coluna vertebral e quaisquer outros procedimentos que requeiram manipulações microcirúrgicas ou localização precisa de estruturas anatômicas.

Para a chefe do Serviço de Neurologia e Neurocirurgia do Hospital Moinhos de Vento, Sheila Martins, a nova tecnologia é muito importante para oferecer a melhor experiência aos pacientes e também para garantir ferramentas de ponta aos especialistas. “Estamos trabalhando para disponibilizar o que há de melhor em termos de inovação e recursos aos médicos. Não deixamos nada a desejar na comparação com os melhores centros de saúde do mundo. A instituição conta com profissionais de excelência e eles têm a oportunidade de oferecer aos seus pacientes os melhores desfechos, segurança e qualidade na realização dos procedimentos”, pontua a neurologista.

O investimento em novas tecnologias no Hospital Moinhos de Vento é um processo constante. Recentemente foram aplicados outros R$ 10 milhões em novos sistemas e aparelhos de endoscopia, do modelo Eluxeo, que conta com tecnologia de Inteligência Artificial CAD EYE. No último ano, também foram investidos mais de R$ 14 milhões em equipamentos de ressonância magnética de última geração.

 

Sobre o Hospital Moinhos de Vento

Desde sua fundação em 1927, o Hospital Moinhos de Vento tem como propósito cuidar de pessoas e colaborar com o desenvolvimento do país, promovendo uma medicina de excelência, na vanguarda dos melhores modelos de saúde internacionais. Único hospital brasileiro afiliado à Johns Hopkins Medicine International, é um dos seis de excelência do Brasil, segundo o Ministério da Saúde. Também foi considerado um dos melhores hospitais do Brasil pelas revistas Newsweek e América Economia.


Sobre a Brainlab

A Brainlab cria soluções médicas voltadas para software que digitalizam, automatizam e otimizam os fluxos de trabalho clínicos. Atendendo médicos, profissionais da saúde e pacientes em mais de 6000 hospitais em 121 países, estamos transformando os serviços de saúde para melhorar a vida de pacientes em toda parte. Empregamos mais de 2000 pessoas em 25 países no mundo todo. 

 

Sobre a ZEISS

A ZEISS é uma empresa internacional líder em tecnologia do setor de óptica e optoeletrônica. Para seus clientes, a empresa desenvolve, produz e distribui soluções altamente inovadoras em metrologia industrial e controle de qualidade, microscopia para ciências da vida e pesquisa de materiais e soluções em tecnologia médica para diagnóstico e tratamento em oftalmologia e microcirurgia. A ZEISS também é referência mundial em litografia óptica, usada pelo setor de chips na fabricação de componentes semicondutores. Além disso, oferece lentes para óculos, câmeras e binóculos. Com mais de 35 mil colaboradores, a ZEISS está presente em 50 países.

 

Referências

1. Cirurgia da Coluna - Tendências e Oportunidades Globais, LSI, disponível em https://www.lifesciencemarketresearch.com/market-reports/spine-surgery-global-trends-opportunities-procedure-volumes-analysis-2018#:~:text=In%202017%2C%20the%20number%20of,number%20of%20orthopedic%20surgery%20procedures

2. Vinícius de Paula Guedes , Elisangela Ferrretti Manffra , Luiz Roberto Aguiar. Image-guided surgery in the spine: Neuronavigation vs. Fluoroscopy. Coluna/Columna. 2015;14(3):181-5. Disponível em https://www.scielo.br/j/coluna/a/sy7Ld6m6X7CdXj9vF4gbkvN/?lang=en 

3. Mirza Pojskić  and al. Experiência Intraoperatória Inicial com Colocação de Parafuso Pedicular Assistido por Robô com Alinhamento Robótico Cirq ® : Uma Avaliação dos Primeiros 70 Parafusos. J Clin Med. 2021 dezembro; 10(24): 5725. Disponível em https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC8703981/ 

Goz V., Weinreb JH, McCarthy I., Schwab F., Lafage V., Errico TJ Complicações perioperatórias e mortalidade após fusões espinhais: Análise de tendências e fatores de risco. Coluna. 2013; 38 :1970-1976. doi: 10.1097/BRS.0b013e3182a62527. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/23928714/

*Conteúdo produzido em parceria com Forma RP & GPeS.



domingo, 28 de agosto de 2022

Empregos e segurança alimentar em jogo, por Francisco Turra, Correio do Povo

 Em dias de Expointer, uma data importante é celebrada. Neste domingo, 28 de agosto, é o Dia do Avicultor, no qual exaltamos aquele que é o alicerce de uma das atividades econômicas mais importantes para o país. O produtor de carne de frango gaúcho e brasileiro – que se dedica à produção de alimentos seguros, saudáveis e acessíveis – merece o reconhecimento. Mesmo que o tema não tenha a devida repercussão, para além das linhas setoriais, é crucial enaltecer e reproduzir, à sociedade e aos candidatos aos cargos do Executivo, a excelência do trabalho dos avicultores brasileiros. Com eficiência e dedicação, esses heróis do campo são referência mundial em qualidade, sustentabilidade e produtividade. 


Graças a eles, também, temos status sanitário de zona livre de Influenza Aviária. Tantos atributos nos levaram ao posto de líder mundial em exportações, gerando divisas que, em 2022, devem ultrapassar a barreira de US$ 10 bilhões ao país. Levamos a marca dos produtos avícolas brasileiros para 150 nações pelo mundo. Importante resgatar nesta data outro aspecto muito importante. Nossos avicultores apoiam a segurança alimentar global, mas sem descuidar do Brasil. Quase 70% das 14,5 milhões de toneladas de carne de frango este ano ficarão nas gôndolas brasileiras. A prioridade sempre será o nosso consumidor. 


São esses produtores, que, ao lado das agroindústrias, atuam como motor econômico e social e devem estar no centro das atenções dos gestores públicos, ocupantes de cargos no próximo mandato. Com o milho e o farelo de soja em altas históricas, a produção tem enfrentado desafios severos, com impactos inflacionários que, infelizmente, alcançam o cidadão. Há alternativas em curso, como o Projeto Duas Safras, união histórica no Rio Grande do Sul, entre as cadeias de proteínas e de insumos. Presidente, governadores e parlamentares devem compreender a necessidade de estimular a produção de cereais de inverno e de milho em novas áreas do nosso Estado. É estratégico para a preservação de empregos e da segurança alimentar, para gaúchos e brasileiros.


*Ex-ministro da Agricultura e presidente do Conselho Consultivo da ABPA

sábado, 27 de agosto de 2022

Análise, Erik Figueiredo, presidente do Ipea - É mentira que 33 milhões de brasileiros passam fome no Brasil

Vejo que vários meios de comunicação voltaram a discutir o dado da Vigisan, que alega à existência de 33 milhões de pessoas passando fome. Vamos retomar nossa análise de uma forma mais sintética dessa vez. 

Já relatei o comportamento, no mínimo, esquisito do indicador de Insegurança Alimentar produzido pela Vigisan. Ele se descola de seu determinante histórico, a extrema pobreza, no pós 2018. Até 2018 a diferença entre eles era de 2 p.p. e passando para 14 p.p no pós 2018.

Vamos prestar atenção no que acontece entre 2018 e 2020: a insegurança alimentar da Penssan cresceu 3,2 pontos, enquanto a extrema pobreza cai caiu 1 ponto percentual. Vamos pensar sobre o aconteceu nesse período, em específico, durante a pandemia de Covid19.

Em 2020 foram gastos quase R$ 300 bilhões com o pagamento do auxílio emergencial (valor 7 vezes superior ao gasto com programa Bolsa Família na época), atendendo mais de 68 milhões de brasileiros (1/3 da população do país).

Se focarmos apenas nos beneficiários do programa social da época, o Bolsa Família, esse gasto propiciou um aumento na renda média recebida por essas famílias de mais de 480%, passando de um ticket médio de R$ 189 para R$ 908, o que pode ser atestado pelos dados da PNAD Covid.

E nesse ponto não estou considerando outras ações com impactos sociais, tais como, os gastos com o Benefício Emergencial (Bem), que garantiu os rendimentos e o emprego de mais de 11 milhões de trabalhadores só em 2020.

Em resumo, a redução da extrema pobreza e o ganho de renda propiciado pelo auxílio emergencial não são compatíveis com o aumento da insegurança alimentar.


Mas as inconsistências não param por aí.

Vejamos o que aconteceu em 2021, usando as informações contidas no próprio relatório divulgado: 

Em 2021 os dados da Vigisan apontam um crescimento de 6 p.p. no Insegurança alimentar, se deslocando ainda mais dos indicadores de extrema pobreza. Chama ainda mais atenção os argumentos que sustentam o crescimento da insegurança alimentar nesse período específico.

Arrecadação da Receita Federal ultrapassa R$ 202,5 bilhões em julho

 A Receita Federal arrecadou R$ 202,588 bilhões no mês de julho de 2022, valor que representa acréscimo real de 7,47% na comparação com julho de 2021. No acumulado de janeiro a julho deste ano, o total arrecadado ficou próximo a R$ 1,3 trilhão, o que representa um acréscimo de 10,44%. Trata-se da maior arrecadação de tributos federais dos últimos 27 anos.


O resultado da arrecadação de julho foi divulgado hoje (26) pelo Ministério da Economia. As variações consideram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação do período.


No caso das Receitas Administradas pela Receita Federal, o valor arrecadado em julho de 2022 ficou próximo a R$ 181,27 bilhões, “representando um acréscimo real (IPCA) de 5,21%”, diz o documento. No período acumulado (janeiro a julho de 2022), o total arrecadado chegou a R$ 1,2 trilhão, registrando acréscimo real de 8,42%.


“O acréscimo observado no período pode ser explicado, principalmente, pelo crescimento dos recolhimentos de IRPJ [ Imposto de Renda de Pessoa Jurídica] e CSLL [Contribuição Social Sobre o Lucro Líquido ]”, informou o ministério.

Não queremos a chinesada por aqui, quebrando nossas empresas, diz Paulo Guedes

- Este material foi publicado pelo site R7 de hoje.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou nesta sexta-feira (26), durante evento da Cotrijal, em Passo Fundo (RS), que não quer a "chinesada" entrando no país para quebrar a indústria nacional. Segundo Guedes, o plano da equipe econômica é acabar com o IPI (Imposto sobre Produtos Industrializados) para tornar o setor mais competitivo.


"Não queremos a chinesada entrando aqui quebrando nossas fábricas. Queremos uma coisa moderada. Baixei o IPI em 35%. Vamos acabar com o IPI. O IPI é um imposto de desindustrialização em massa. Está destruindo o Brasil há 40 anos. É ridículo, é patético, está errado. É um imposto pago antes de ter renda", disse o ministro da Economia.



Segundo Guedes, o governo está comprometido em reduzir os impostos, abrir a economia e gerar mais empregos. Além disso, o chefe da equipe econômica voltou a se comprometer a manter o Auxílio Brasil em R$ 600. "Vamos manter o Auxílio Brasil em R$ 600 com a aprovação da reforma tributária, tributando dividendos. Se ganharmos a eleição, aprovaremos a tributação de dividendos no dia seguinte no Senado", disse.


Juros

No mesmo evento, o ministro da Economia afirmou que os juros no Brasil estão altos até demais e devem começar a cair no próximo ano. Para combater a inflação, o Banco Central (BC) elevou a Selic para 13,75% ao ano. "O Brasil já está com tudo no lugar. O Brasil está com o juro até alto demais. O ano que vem vai descer. O fiscal está zerado e já temos um pequeno superávit. Nenhum deles está assim. Um único país do mundo está como a gente, que é Singapura, uma cidade-Estado. Honramos o compromisso assumido com as gerações futuras", comentou.


Segundo Guedes, o Brasil está crescendo e gerando emprego, mas ainda tem gargalos que afetam a competitividade. O ministro citou como exemplo o minério de ferro, que é produzido no Brasil e exportado para a China e volta como aço mais barato do que o produzido pelas indústrias brasileiras. "A logística no Brasil é inadequada e fere a competitividade. Além disso, o excesso de impostos faz o aço chinês ser 30% mais barato que o brasileiro", disse.




O chefe da equipe econômica ainda afirmou que não há um armadilha fiscal no Brasil e que a bomba dos precatórios foi desarmada. "A indústria de precatório assaltava a viúva, que é o Tesouro. Resolvemos esse problema", comentou.


sexta-feira, 26 de agosto de 2022

Planejamento para garantir autonomia na velhice

Além de não ser mais sinônimo de caminho para o fim como consumidor ativo, a aposentadoria também não indica mais que as pessoas estão encerrando a vida profissional. Muito pelo contrário. Com a Reforma da Previdência, por exemplo, a idade mínima para aposentadoria chegará aos 65 anos para homens (em 2029) e 62 anos para mulheres (em 2031).

Márcia Sena lembra que um dos reflexos do alongamento da vida das pessoas é justamente a manutenção das atividades profissionais. Mesmo atualmente, boa parte das pessoas continuam trabalhando mesmo após receberem o benefício do INSS. Dentre os motivos para isso está o fato de que muitas vezes o dinheiro é insuficiente para manter um padrão de vida desejado.

“Por isso é essencial que as pessoas realizem um planejamento para envelhecer com antecedência. É preciso se programar para usufruir bem do dinheiro na velhice e ter condições de ter um suporte para manter a autonomia”, diz.

A especialista em envelhecimento ressalta que o aumento dos anos de atividade faz com que muitas pessoas invistam em outras profissões ou até em negócios próprios para ampliar a renda. Nos Estados Unidos – já que o fenômeno do aumento de expectativa de vida é praticamente global – existem profissionais específicos que realizam consultoria financeira para quem quer chegar na terceira idade com boas reservas.

A pesquisa How Well Do Retirees Assess The Risks They Face In Retirement?, ou “Como os aposentados avaliam os riscos que enfrentam na aposentadoria?”, realizada pelo Centro de Pesquisa de Aposentadoria da Boston College, aponta questões que devem ser levadas em consideração para quem quer ser financeiramente independente depois dos 60 anos:

É preciso avaliar os riscos de saúde: ou seja, se planejar para gastos emergenciais por causa de problemas médicos;

É preciso avaliar os custos políticos: a mudança de governos acaba muitas vezes alterando também a direção de benefícios sociais como a Previdência Pública. Por causa disso, é essencial estar atento aos rumos das políticas sociais;

É preciso avaliar a própria longevidade: muitas vezes, as pessoas agem com expectativas muito baixas em relação a própria longevidade. Por isso, o indicado é sempre realizar um planejamento esperando uma vida mais longa;

É preciso avaliar o mercado: as decisões políticas, por exemplo, acabam afetando o mercado, gerando eventos em cadeia que desvalorizam (ou valorizam) a moeda. Para quem está pensando a longo prazo, é importante entender a volatilidade da economia para saber quais os investimentos mais adequados, prazos, riscos e etc.

É preciso avaliar questões familiares: além de pensar na própria condição, quem se planeja para ter uma aposentadoria tranquila precisa colocar na equação o risco familiar. Saber que está exposto a questões como morte na família, divórcios, desemprego ou doença de filhos, pais e cônjuges pode ser um diferencial na hora de elaborar um plano.

“Ponderar todas essas coisas pode garantir aos 60+ não apenas uma boa condição financeira, mas consequentemente uma boa saúde e bem-estar físico e emocional”, finaliza Márcia Sena.

 

Sobre Márcia Sena

É fundadora e CEO da Senior Concierge e especialista em qualidade de vida na terceira idade. Tem MBA em Administração na Marquette University (EUA) e experiência em várias áreas da indústria farmacêutica.

Criou a Senior Concierge a partir de uma experiência pessoal de dificuldade de conciliar seu trabalho como executiva e cuidar dos pais que estão envelhecendo. Se especializou nas necessidades e desafios da terceira idade e desenvolveu serviços com foco na manutenção da autonomia dos idosos no seu local de convívio, oferecendo resolução de problemas de mobilidade, bem-estar, tarefas domésticas do dia a dia e segurança.

Sobre a Senior Concierge

É uma empresa com um novo jeito de dar suporte aos 60+, com um modelo de atenção integrada e centrada nas reais necessidades dos adultos maiores. Uma resposta dos novos tempos para um modelo que se esgotou, que é o modelo curativo baseado nas doenças, praticado por outras empresas de home care. Com a proposta de garantir um envelhecimento prazeroso, proporcionando qualidade de vida e bem-estar aos familiares.



quinta-feira, 25 de agosto de 2022

Relação dos 100 delegados

Delegados de Polícia Federal, aposentados, de Grupo Privado de WhatsApp. 


1 - Amaury Galdino

2- José Dinarte de Castro Silveira 

3- Ademir Alves

4- Sidney de Carvalho Guimarães

5- João Fernando Bonczynski

6- Cesar Rebouças

7- Márcio Valério de Sousa

8-Rubem Paulo de C.  Patury Filho

9 - Dagoberto Albernaz Garcia

10 - Antônio Flávio Toscano Moura

11 - Onézimo Sousa 

12 - José Guedes Bernardi 

13 - Sebastião Roberto Dimas

14 - Flávio Araújo Borges

15 - Kercio Silva Pinto

16 - Antonio Carlos Monteiro

17-Augustinho José Câmara Simões

18- Luiza Cristina Lopes Gouveia

19-Jomar Barbosa 

20- Raimundo Eustaquio Louzada

21- Silvane Mendes Gouvêa

22- Paulo Miranda Pinto Junior

23 - José Francisco Mallmann

24 - Dorival Pagliaro

25 - Amaro Vieira Ferreira

26 - Geraldo Barizon Filho

27 - Geraldo José Chaves

28 - Claudio Nogueira

29- Maria Christina Dourado e Silva 

30- Lucy Elizabeth Silveira Menezes

31- Marinaldo Barbosa de Moura

32 - Elio Inacio de Sousa

33- Reinaldo Ragazzo Boarim

34- João Batista de Paiva

35- Sebastião Pereira de Queiroz

36- Paulo Gustavo de Magalhães Pinto                   

37 - Antônio Américo Pedroso

38- Fátima Rolim

39- Paulo Roberto Moreira da Silva

40- Ivam Rosa Marques

41- Domingos Luiz Passerini

42- Alberto Paixão

43- Wilson Sales Damazio 

44- Manoel Fernando Abaddi

45- José Geraldo de Oliveira 

46- Walderi Francisco de Carvalho Oliveira

47- Robinson Fuchs

48- William Santos

49- Gilberto Kroeff

50- Antonio Celso dos Santos

51 - Roberto Precioso Junior 

52 - Gilberto de Moraes Castro

53- Airton Vicente

54- Ney Cunha e Silva

55- Galileu Rodrigues Pinheiro

56 - Maria da Graça Dutra de Souza

57 - José Roberto B. Pereira

58 - Rubem Paulo de Carvalho                            

59 - Judas Thadeu de Vasconcelos Pereira

60 - Cleunice Jacil da Silva Godinho

61 - José Otávio Cançado Monteiro

62-Loredano de Oliveira Pontes

63- Sérgio Mário Braga Sampaio

64- José Nogueira Elpídio

65-Aderval Delfino 

66- Maria Nelci N. de Oliveira Passos

67 - Evaristo Kuceki

68 - Eriosvaldo Renovato Dias

69 - Roberto Camargo Scalise

70 - Sérgio Sakon

71- Lia Margarida

72- Maria Auxiliadora Chaves Bastos

73- Braz Neto

74- Roberto M. Rio Branco 

75-Marcos Aurélio Pereira de Moura

76 - Maria Auxiliadora Chaves Bastos

77 - Sérgio Felipe Day Barreto

78 - Bergson Toledo Silva

79 - Antonio RAYOL

80 - Rodrigo Leitão

81 - Joel Almeida

82 - Carlos Rogério

83 - Airton Franco

84 - Daniel Brandão

85 - Ecler Maria Ritter

86 - Ruth Braga de Oliveira

87 - Marco Antônio Missaglia Brito

88- Gilberto Tadeu Vieira Cezar

89 - Marco Antônio Mendes Cavaleiro eu

90 - Sônia Melo

91 - Ricardo Luiz Oliveira Ribeiro

92 - Hélbio Afonso Dias Leite 

93 - Adilson Calamante

94 - Victor Arantes

95 - Celsa Ferreira Jorge

96 - Benedito Zumas Filho

97 - Ildor Reni Graebner

98- Nicio B Lacorte

99 - Silvio J Santos 

100- Magno Jose Teixeira

Artigo, Marcus Gravina - Invertebrados

As entidades empresariais brasileiras, organizadas em federações estaduais e confederações nacional, estão passando por uma metamorfose ou seja,  mudança muito intensa e rápida, em sua sempre tão altiva posição representativa e patriótica.

Uniram-se para defender as empresas e os seus titulares empreendedores de atividades produtivas urbanas e rurais. No caso desta semana a agressão foi contra empresários do comércio, sendo um deles conhecido em todo o Brasil, onde dá emprego a milhares de pessoas. 

Ele e os outros são tidos como adeptos políticos da Direita, apoiadores do Bolsonaro.  Por isso tiveram suas casas e empresas invadidas com ordem judicial, removidos seus computadores, celulares e recolhidos arquivos, suas pastas e bloqueadas as contas bancárias. E, não foi por outra razão. Trata-se de um ato de amedrontamento para que ninguém levante a cabeça e rasteje aos pés de quem se apresenta como soberano.  

Mas, voltemos à biologia. Depois da incursão de alguns ministros do STF no campo científico durante a pandemia - Covid 19, assim como retiraram dos médicos o livre exercício ou poder/dever de clinicar e tratar seus pacientes, conseguiram uma nova façanha.

A vacina Coronavac não transformou ninguém em jacaré.  Mas o recente ato de quem comanda os inquéritos do STF contra cidadãos,  apontados como inconstitucionais, antidemocráticos - por juristas e membros da Procuradoria da República - conseguiu  proeza maior.

Converteu as entidades empresariais em organismos de seres invertebrados.  Incapazes de reagirem às inconstitucionalidades e brutalidades que estão sendo cometidas contra seus associados e o povo. 

Falo de entidades dotadas de assessores jurídicos de grande saber ou a serem constituídos, que num momento grave como este,  poderiam elaborar pareceres reveladores das ilegalidades cometidas por ministros dos Tribunais, a serem utilizados em candentes manifestos públicos das Confederações, Federações  e Sindicatos empresariais.      

Os empresários também encontrariam um “Largo do São Franciso”  para leitura de sua Carta pelo Estado Democrático de Direito e ao respeito do Devido Processo Legal.   

Não se pode bradar “pelas armas” (Aux armes, citoyens! Hino da França), mas podemos empunhar canetas com muita tinta e coragem. 

O futuro é implacável. Irá cobrar o silêncio covarde de quem não souber lutar pelos nossos direitos e garantias individuais: livre pensamento e expressão.  

Caxias do Sul, 24.08.2022

Marcus Vinicius Gravina

Cidadão brasileiro 

Titulo Eleitoral 032803610434


Nota de 91 entidades empresariais de Santa Catarina

 “O direito de poder expressar, de forma livre e desimpedida, opiniões e anseios é um marco civilizatório inquestionável, mas que tem tido pouco ou quase nenhum apreço a depender do segmento social de que origina – especialmente quando o assunto envolve o futuro do País e mais ainda quando o empresário ousa fazer ouvir a sua voz.



O empresariado tem sido, cada vez mais, figura demonizada pela narrativa ideológica que despreza o seu papel de indutor do desenvolvimento.


A recentíssima operação policial autorizada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), concretizada por meio de busca e apreensão em cinco estados, além de quebra de sigilos e bloqueio de acesso a redes sociais, sob o pretexto de “investigar ilicitudes”, é apenas o mais novo episódio de violência estatal a que estão acometidos os empreendedores brasileiros, alijados do direito de participar do debate político e de externar suas opiniões, quaisquer que sejam.



Inebriados por um febril ativismo que transcende os limites de atuação como órgão responsável por garantir, em derradeira instância, o cumprimento da Constituição Federal, certos integrantes do STF ignoram solenemente o fato de que os empresários são, além de geradores de renda e oportunidades para todos, cidadãos como qualquer outro, portadores dos mesmos direitos consagrados a todos os brasileiros, independentemente de sua origem e trajetória social. Querer amordaça-los, impedi-los de influir no debate político ou até mesmo de externar opiniões é um perigosíssimo aceno a regimes em que o delito de pensamento é um ato que pode acarretar a perda da própria vida.



O tecido democrático chegou ao ponto da ruptura e quem deveria atuar para impedir tamanho prejuízo é, hoje, seu maior incentivador. A sociedade civil organizada, esteio dos valores morais que necessitam, mais do que nunca, ser fortalecidos para a própria viabilidade da Nação, não pode compactuar com tais atos.


As entidades que subscrevem este manifesto, representativas de milhões de brasileiros que correm riscos diariamente e têm, não raras vezes, o próprio Poder Público como seu maior empecilho, detêm o imperativo moral de dizer, com todas as letras, aos Senhores Ministros do STF: opinião não é crime!”

Nota à Nação

 Nós, Delegados de Polícia Federal aposentados, abaixo assinados, em razão de nossos anos de experiência na aplicação da lei penal, vimos pela presente, manifestar nosso inconformismo e indignação perante o uso da instituição Polícia Federal como instrumento para a implementação de medidas autoritárias e ilegais por parte de integrantes do Supremo Tribunal Federal.


 A Constituição Federal, em seu artigo 5o, incisos IV, XIII e X, respectivamente, estabelece que é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato; que ninguém será privado de direitos por motivo de crença religiosa ou de convicção filosófica ou política e que são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas.


As recentes decisões do Ministro Alexandre de Moraes determinando a busca e apreensão, a quebra de sigilo bancário e a condução coercitiva de empresários por meras conversas de WhatsApp constituem aberrantes afrontas aos direitos individuais dos cidadãos consagrados no referido artigo 5o da Constituição. Tais medidas, solicitadas por policiais cujas convicções não espelham o entendimento da inteira categoria de Delegados de Polícia Federal, foram tomadas ao arrepio da lei e sem a participação da Procuradoria Geral da República, em total desrespeito ao princípio da reserva legal. Meras conversas em grupo privado de WhatsApp não constituem crimes de ameaça às instituições democráticas, muito menos poderiam tais mensagens serem utilizadas como meio de prova , conforme entendimento consolidado do STJ- Superior Tribunal de Justiça. Portanto, as medidas adotadas por ordem do Ministro Alexandre de Moraes configuram um evidente abuso de poder praticado com o uso da força policial, o que fere a imagem e a reputação da nossa amada instituição Polícia Federal. 


É chegada a hora de romper o espiral de silêncio dos operadores do Direito do país, que submersos em uma teia de interessses e medo, deixaram de se manifestar contra os abusos do STF na condução do famigerado inquérito das fake news, um inquérito inconstitucional, pois foi instaurado e vem sendo conduzido sem a observância dos princípios que regem o devido processo legal. Neste inquérito vêm sendo diuturnamente desrespeitados os princípios do juiz natural, pois que não houve a devida distribuição dos autos; da imparcialidade, uma vez que conduzido por Ministro que figura como vítima dos supostos crimes; da competência em razão da pessoa, uma vez que vários dos investigados não detém privilégio de foro. Não é de estranhar que a apuração tenha sido denominada por respeitados operadores do Direito , entre eles o ex-Ministro do STF Marco Aurélio de Mello, como o “Inquérito do Fim do Mundo “, por não ter por objetivo investigar determinado fato criminoso concreto, como normalmente ocorre nas milhares de investigações criminais presididas por Delegados de Polícia Federal em todo o país, mas sim apurar aleatória, genérica e globalmente, condutas por parte de integrantes de apenas um dos espectros do atual embate político nacional. O mesmo ex-Ministro, sobre a operação contra empresários ocorrida em 23/08/22, afirmou estar “atônito” e observou que “ não há crime de cogitação “. 


Por fim, lamentamos profundamente que nota emitida em um passado recente pela Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal- ADPF, sem a devida consulta e a permissão de seus afiliados, tenha sido citada pelos jornalistas  do Jornal Nacional da Rede Globo , na entrevista ao candidato Jair Bolsonaro que foi ao ar na noite de 22/08/2022, questionando-o quanto a supostas interferências na Polícia Federal. Lembramos que alegações do ex-Ministro Sérgio Moro de interferências do Senhor Presidente da República foram objeto de apuração em inquérito policial que foi encerrado em março deste ano, no qual a própria Polícia Federal concluiu não haver indícios de interferências do Presidente na instituição.


República Federativa do Brasil, 25 de agosto de 2022.


Delegados de Polícia Federal, aposentados, de Grupo Privado de WhatsApp.

quarta-feira, 24 de agosto de 2022

Nota do IEE

 O IEE, Instituto de Estudos de Empresariais, organização que há quase 40 anos atua na formação de líderes comprometidos com o Estado de Direito, a propriedade privada, a liberdade de expressão e a livre iniciativa, demonstra profunda apreensão em relação à decisão do ministro do STF (Supremo Tribunal Federal) Alexandre de Moraes que autorizou a operação contra empresários brasileiros nesta terça-feira, 23 de agosto de 2022.


A ação violou o sigilo bancário, telefônico e de outras áreas de importantes empresários do nosso país, sob a alegação de que eles estariam atentando contra a democracia. Não só esta decisão é claramente inconstitucional, como já argumentado por diversos advogados de notoriedade pública, como torna-se ainda mais vil quando realizada por um ministro que deveria ser o guardião da Constituição.

Independentemente do posicionamento político dos empresários alvos da operação, o IEE entende que a liberdade de expressão e o Estado de Direito são direitos invioláveis para QUALQUER cidadão. Cabe a nós termos a posição contrária a toda e qualquer intervenção que viole os nossos valores.


Esta é a integridade que a nossa instituição demonstra há quase 40 anos. Solicitamos, ainda, que o Senado se atente ao ocorrido e que exerça o seu papel como ente fiscalizador do STF, reagindo a quaisquer abusos contra a liberdade dos brasileiros.

Desfile Náutico irá marcar o 7 de Setembro em Apoio à Bolsonaro, Porto Alegre

 Desfile Náutico irá marcar o 7 de Setembro em Apoio à Bolsonaro irá marcar os 200 anos da Independência do Brasil na capital


"Porto Alegre terá um grande evento náutico para marcar o 7 de setembro, a Independência do Brasil, em seus 200 anos; um Desfile Náutico descendo do Pontal até o Embarcadero em apoio a Bolsonaro", explica o deputado federal Bibo Nunes, que está ajudando a organização do evento. 


A organização do desfile é da Liga de Defesa Nacional do Rio Grande do Sul e conta com a supervisão da Marinha do Brasil e da Capitania Fluvial de Porto Alegre. O desfile terá embarcações da Marinha, Corpo de Bombeiros Militar do RS e dos clubes náuticos da capital, incluindo o Clube dos Jangadeiros. "Já temos 70 jet skis inscritos e irão participar vários barcos a vela e a motor", esclarece Alexandre Prego Hartmann, que visitou o escritório do deputado Bibo Nunes juntamente com Márcio Lima, que irão participar do Desfile Naútico. 


O desfile


Embarcações militares serão as primeiras a desfilar, seguidas de jet skis, lanchas e veleiros, que fecham o desfile. Embarcações serão chamadas por ordem alfabética do nome da embarcação pelo rádio da comissão organizadora (VHF 68).


A atração tem como ponto de partida o Pontal do Estaleiro, antigo estaleiro Só, e tem no Cais Embarcadero seu ponto final. O desfile começa às 10h e tem fim programado para às 12h. As embarcações devem se concentrar no Pontal do Estaleiro a partir das 8h.


Haverá uma área restrita para o salto de paraquedistas, que cairão no Guaíba, próximo ao palanque das autoridades, ao sul da Avenida Ipiranga. Para garantir a segurança dos paraquedistas, o desfile somente se iniciará a partir do momento da liberação dada pela Marinha. Durante o salto, o canal de navegação ficará interditado pela Capitania Fluvial.


A programação completa de concentração, desfile e dispersão


Concentração:


Entre 08h00 e 10h00 imediatamente ao sul do Pontal do Estaleiro (antigo estaleiro Só).

As embarcações devem registrar seu ‘check-in’ com a comissão organizadora pelo canal VHF 68

Desfile:


A partir das 10h00 as embarcações serão chamadas pelo VHF 68 por ordem alfabética.

Devem manter distância aproximada de 50 metros da embarcação imediatamente à frente em uma velocidade de Velocidade : 4 nós.

Destino: Ponta do Gasômetro

Percurso: Deslocamento realizado no leito navegável no sentido S-N

Dispersão:


Local: a partir do Cais Embarcadero

Horário: a partir das 12h

Recomenda-se que as embarcações estejam enfeitadas com as cores verde e amarelo ou com a exibição da bandeira do Brasil em destaque.


As Inscrições


Inscrições podem ser feitas até 5 de setembro. Mais informações sobre as inscrições no link https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSfZmF2XZoCznpjmoDb1gXhfcwc1ulDco-HyqTwccbou1YEkTA/viewform


Bolsonaro lidera fácil em Minas Gerais

 CLIQUE AQUI para examinar os resultados.

Cuidados nos anúncios para vagas nas empresas

Anúncios de vagas de trabalho servem para listar habilidades e pré-requisitos técnicos exigidos para o preenchimento de uma vaga. Informações como nível de escolaridade, idiomas e conhecimentos específicos são pertinentes ao desempenho de certas funções. Mas não é raro que a Justiça do Trabalho considere discriminatórias algumas exigências publicadas pelas empresas em anúncios.

Nesta terça-feira, o Tribunal Superior do Trabalho (TST) rejeitou recurso da Energisa Paraíba contra condenação ao pagamento de R$ 100 mil de indenização por danos morais coletivos. O motivo da multa é um anúncio de emprego para leituristas com faixa etária entre 19 e 35 anos. O Ministério Público do Trabalho (MPT) entrou com ação civil pública, argumentando que a restrição de idade fere o artigo 7º da Constituição Federal. “De fato, a Constituição veta a imposição de diferença de salário e de critérios para admissão por motivos de sexo, cor, estado civil ou idade. Esse tipo de ação é considerado discriminatório e as empresas devem estar atentas a isso ao publicar anúncios de vagas”, comenta o advogado especialista em Direito do Trabalho Empresarial, Fernando Kede, do escritório Schwartz e Kede.

Durante a entrevista de emprego, os recrutadores devem evitar certos tipos de perguntas. “Além de constrangedoras, perguntas sobre orientação sexual, religião, posicionamento político, gravidez ou assuntos familiares ferem a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados) e podem ser configuradas como discriminatórias”, alerta.

 Perguntas sobre a vida íntima do candidato devem ser evitadas na entrevista de emprego

O especialista em Direito do Trabalho Empresarial explica que indagações que não tenham relação com a qualificação profissional do candidato ou com os requisitos indispensáveis ao desempenho da função não devem ser feitas. “Seja em um anúncio de vaga ou em uma entrevista de emprego, o recrutador deve se ater à formação, à experiência profissional e até mesmo à veracidade das informações que constam no currículo”, diz Kede.

Fora do escopo

O advogado Gustavo Schwartz diz que todas as questões sobre a vida íntima do candidato também devem ser vetadas. “Perguntas como peso, altura, se a pessoa tem filhos, quem vai cuidar dos filhos, onde mora e até mesmo o signo não podem ser feitas. Tudo o que puder levar a uma discriminação ou preconceito de raça, cor, etnia, religião ou procedência nacional tem que ser evitado”, comenta.

 Fernando Kede orienta empresas sobre quais informações colher em entrevistas de emprego

Lei de Proteção de Dados

O especialista lembra que a Autoridade Nacional de Proteção de Dados (ANPD) já está fiscalizando o cumprimento da lei nas empresas e ressalta que o descumprimento prevê sanções e multas pesadas de até 2% do faturamento. Desde que a lei entrou em vigor, em 2020, as empresas passaram a ser responsáveis por garantir a segurança das informações pessoais coletadas dos empregados. “Os empregadores têm que limitar, no momento de entrevistas, as informações que coletam dos candidatos. Outra avaliação importante é sobre a necessidade de manter arquivados os currículos depois que as vagas são preenchidas. “ É um risco desnecessário porque as empresas são responsáveis por garantir a segurança dessas informações e podem ser responsabilizadas em caso de vazamentos”, completa.



Nota do Clube de Opinião

 O Clube de Opinião,que reúne jornalistas de opinião do Rio Grande do Sul,emitiu uma nota sobre o episódio no qual o ministro do STF,  Alexandre de Moraes , sem ouvir o Ministerio Publico, invadiu competência do parquet e autorizou a Polícia Federal a cumprir mandados contra oito empresarios,acusados de tramarem um golpe de estado via WhatsApp.

“Profundamente preocupado com as constantes e inconstitucionais decisões que vêm sendo tomadas pelo ministro do STF, Alexandre de Moraes, as quais contrariam o que determina a importante e legítima LIBERDADE DE EXPRESSÃO, o Clube de Editores e Jornalistas de Opinião do RS vem a publico manifestar total repúdio aos ataques e impedimentos impostos ao uso do pétreo DIREITO DE OPINAR.

O CLUBE DE OPINIÃO, é importante ressaltar, tem como objetivo ações e posicionamentos a favor das liberdades de imprensa e opinião, repudiando de modo veemente toda e qualquer tentativa de cerceamento dessas prerrogativas, sejam de parte de governos, instituições ou pessoas.”

Assinam:


Fernando Di Primio (Presidente).

Alexandre Appel

Felipe Vieira

Flávio Pereira

Gilberto Simões Pires

Glauco Fonseca

José Luiz da Silva

Julio Ribeiro

Milton Cardoso

Polibio Braga

Rogério Amaral

Rogério Mendelski

Sergio Jost

Karim Miskulim

Fernanda BarthNota

terça-feira, 23 de agosto de 2022

Artigo, Marcus Vinicius Gravina - Entrevista de ódio

Depois de ouvir falar em “discurso de ódio” a TV Globo no fez conhecer o que é uma “entrevista de ódio”, produção das mais autênticas do que passou a ser capaz de difundir em sua tela.

Não é gratuita. Tem muito a ver com declarações do presidente Bolsonaro, de que não iria prorrogar o contrato de concessão deste canal de TV, se não fossem pagos os impostos devidos aos cofres públicos.

Há um silêncio comprometedor sobre isto.  Os cidadãos brasileiros, pagadores de impostos, querem um esclarecimento a respeito. Há ou não existe dívidas fiscais da Rede ou TV Globo?

Causa estranheza que parta de seus jornalistas denúncias de irregularidades cometidas pelo Presidente, que precisa do dinheiro devido por contribuinte aos cofres públicos, para atender à fome, saúde, educação e a segurança da sociedade.

A outra face do jornalismo foi, despudoradamente, exposta por profissionais tendenciosos e, certamente, instruídos pelos chefes.

Não aconteceu o que se entende por entrevista jornalística. Ouvimos ataques indisfarçáveis. Chegou ao ponto, depois de repetidas provocações à paciência do presidente, dele interpelar o Bonner para que repetisse ou esclarecesse a acusação que lhe estava sendo feita. 

O Brasil é muito grande para entrevistadores tão mediocres e alimentados por incontrolável ódio.  Conheci, no passar do tempo, muitos escribas mercenários em jornais. 

Cabe ao leitor, saber distinguí-los entre maioria decente que orgulha o jornalismo. 

Quanto à Globo:  “ a Cesar o que é de Cesar”.

Caxias do Sul, 22.08.2022

A obscura disposição da jornalista Rosane de Oliveira

Por Renato Sant'Ana

 

No ofício malicioso de desinformar, é expediente comum ocultar a verdade e semear o engano com uma pergunta de aparente isenção que dissimule a realidade fática e que desvie o foco daquilo que se quer omitir, tudo para induzir o outro a criar mentalmente um cenário falso e nele crer.

A colunista de Zero Hora Rosane de Oliveira, sem introito nem ressalva, perguntou: "Quem, de sã consciência, poderia ser contra um manifesto em defesa do Estado democrático de direito?" Ninguém, claro!

O pano de fundo da pergunta é o fato de que, de 11 candidatos ao governo do Rio Grande do Sul, só dois dispuseram-se a ir a um pretenso "ato em defesa da democracia" promovido na Faculdade de Direito da UFRGS.

Rosane de Oliveira parece um Rivelino do jornalismo (na falta de uma comparação mais atual): dribla o leitor e olha para um lado enquanto lança para o outro. Fazendo uma ginga retórica, ela se desvia da polarização do momento: ocultou que o tal "ato" era eleitoreiro e visava atacar Bolsonaro e favorecer Lula. Sim, é falácia tosca qualificar aquele "ato" como em defesa do "Estado democrático de direito".

A repórter, os ativistas da UFRGS e os tais dois candidatos não são ingênuos e sabem muito bem que a candidatura de Lula é a própria negação do Estado de Direito. Lula é formalmente acusado da prática de vários crimes! E só com piruetas hermenêuticas, rasgando a Lei da Ficha Limpa e decretando a anulação formal de processos, é que sua candidatura foi ilegitimamente autorizada (não, ele não foi inocentado no STF!).

Não sendo ingênuos e pela posição que ocupam, esses senhores não podem ignorar que, no governo, Lula teve iniciativas concretas para destruir o Estado de Direito. Ou será que "narrativas" apagam os fatos?

Em 2009, Lula fez a mais desbragada tentativa de sovietizar o Brasil com seu nefasto Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH). Felizmente, não conseguiu. O PNDH previa, por exemplo, que um juiz não poderia devolver a quem de direito um imóvel invadido sem, antes, consultar (ora quem!) os "movimentos sociais". Era a largada para implantar a pior espécie de ditadura, o totalitarismo, a supressão total do Estado de Direito.

É pauta do PT implantar o totalitarismo. Em 2014, Dilma Rousseff tentou impingir o Decreto 8243, nova versão do PNDH. Não conseguiu. Houvesse conseguido, existiria hoje, entre outros abusos, o controle estatal da imprensa no país. Mas Rosane de Oliveira nem ficou sabendo...

Ela também não sabe que um dos principais Maquiavéis do PT (mentor da candidatura Lula) é José Dirceu, que, em 2018, entrevistado pelo jornal espanhol El País, disse: "Aí nós vamos tomar o poder, que é diferente de ganhar uma eleição." Claro, mais tarde, falando ao mesmo El País, ele tentou remendar, mas... Foi remendo em pano podre.

Tais fatos, assim como os discursos de Lula et caterva, são guiados pela lógica revolucionária propagada por György Lukács (filósofo e militante comunista húngaro), para quem a classe revolucionária não deveria obedecer à lei, mas apenas seguir as circunstâncias da luta de classe - é uma diretriz para a supressão total do Estado de Direito.

Quando da promulgação da Constituição Federal em 1988, Lula não queria que a bancada petista assinasse a Carta Magna. Depois, teve de recuar, mas não antes de o Diretório Nacional do PT, através de circular, ter "justificado" a posição do líder nestes termos: "O PT, como partido que almeja o socialismo, é por natureza um partido contrário à ordem burguesa, sustentáculo do capitalismo. (...) rejeita a imensa maioria das leis que constituem a institucionalidade que emana da ordem burguesa capitalista, ordem que o partido justamente procura destruir".

O PT jamais revisou esse manifesto de evidente caráter totalitário. O PT não respeita a Constituição a não ser quando lhe convém ou quando não tem saída. O lulopetismo é letal para o Estado de Direito.

Rosane de Oliveira saberá? O Estado de Direito é o império da lei sancionada em processo legislativo legítimo.  E para ser democrático, depende da qualidade da lei e de haver disposição de respeitá-la, em especial por parte daqueles a quem incumbe aplicar a legislação.

Ela parece alheia aos abusos que provocam apneia no Estado de Direito e que poderão matá-lo: há, no Brasil, presos políticos, punição por "crime de pensamento" (sem previsão legal), afronta à separação dos poderes do Estado e decisões judiciais fundadas em convicção pessoal em prejuízo da hermenêutica. E ignora que os organizadores do "ato" são todos (todos!) cúmplices desses abusos. O que pretende a jornalista?

Rosane de Oliveira é livre para apoiar Lula, como já fez ao insinuar a benignidade daquele "ato" eleitoreiro. Mas, se for o caso, para honrar a profissão de jornalista - imprescindível para a existência de um regime Democrático -, terá de fazê-lo abertamente. Também, à parte de qualquer julgamento, se apoiar um candidato que é réu em vários processos penais, terá de admitir que está dando um sinal verde ao crime.

 

Renato Sant'Ana é Advogado e Psicólogo.

E-mail: sentinela.rs@outlook.com



segunda-feira, 22 de agosto de 2022

Ligue e desligue a Globo logo depois da entrevista

Eleitores de Bolsonaro, que odeiam a Globo, recomendam que liguem na TV e cancelem a Globo tão logo acabe a entrevista, dando demonstração de força. 

O Jornal Nacional, da Rede Globo, abre nesta segunda-feira, 22, a série de entrevistas ao vivo com os candidatos à Presidência, sabatinando no primeiro dia o presidente Jair Bolsonaro (PL).

Um sorteio em 1º de agosto definiu Bolsonaro como o primeiro candidato a ser entrevistado pelo Jornal Nacional, no estúdio da Globo no Rio de Janeiro. O atual presidente participou da mesma sabatina durante a campanha de 2018.

O Jornal Nacional começa às 20h30, e as entrevistas com os presidenciáveis devem durar 40 minutos, com condução dos apresentadores William Bonner e Renata Vasconcellos.

Alergoshop inaugura primeira unidade em Porto Alegre

Referência principalmente entre os alérgicos, a rede é a primeira e única do Brasil a oferecer os mais diversos tipos de produtos para pessoas com alergia, são mais de 280 itens

Segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), cerca de 30% dos brasileiros sofre com algum tipo de alergia. Foi de olho neste mercado e em uma necessidade específica da filha, que Sarah Lazaretti, fundou junto de sua irmã Julinha Lazaretti, a Alergoshop. A marca que é referência entre os alérgicos e até mesmo aqueles que não sofrem com alergias, mas optam por soluções mais saudáveis no dia a dia, é a primeira e única rede do Brasil a oferecer os mais diversos tipos de produtos para pessoas com alergia, são mais de 280 itens. Com nove unidades em funcionamento no país, chega agora pela primeira vez em Porto Alegre (RS).

“Investi na Alergoshop porque não temos loja assim aqui no estado. Além da qualidade excelente dos produtos, outros dois pontos da marca me chamaram muito atenção e fizeram eu optar por investir na franquia: não são testados em animais e grande parte deles são veganos”, declara Graziella Meneghini Lammel, franqueada da Alergoshop em Porto Alegre.

Formada em fisioterapia, Graziella trabalhou na área de Dermatofuncional por dois anos. Ela também cursou Biologia por três anos e já trabalhou vendendo roupas indo até a casa dos clientes durante a pandemia da Covid-19, período em que houve a quarentena para contenção da disseminação da doença. Foi quando o lockdown teve fim e as roupas que vendia acabaram tendo uma baixa considerável na procura, que ela começou a pesquisar sobre franquias, até que encontrou a Alergoshop. “Sou formada em fisioterapia e sempre tive vontade de ter meu próprio negócio. Quando tive meu primeiro contato com a Alergoshop, me identifiquei muito com a marca pela questão de vender produtos mais naturais e ver que não havia um local como esse que atendesse o público alérgico. Grande parte da população gaúcha possui algum tipo de alergia e enxerguei que a Alergoshop poderia facilitar muito a vida dessas pessoas. Comecei a ler ainda mais sobre a marca, visitei uma das franquias e me encantei. E hoje estamos aqui, em Porto Alegre, com nossa loja aberta pronta para receber os clientes gaúchos”, explica.

Graziella conta que a expectativa com a unidade é poder ajudar as pessoas com alergias a terem uma qualidade de vida melhor, comercializando produtos de qualidade e facilitando o dia a dia delas. “Espero atender o máximo de pessoas necessitadas desses produtos e que o público em geral conheça a marca e saiba que somos a melhor opção de produtos para quem busca vida mais saudável, com menos substâncias químicas.  Porto Alegre é um mercado bastante promissor, visto que a população tem tido um aumento considerável de alergias. Além disso, nosso clima muito úmido potencializa e aumenta a frequência das crises alérgicas, principalmente respiratórias. Meu objetivo maior nesse ano é que o público conheça e experimente a marca”, conclui a franqueada.

A Alergoshop oferece cerca de 280 itens, a maioria de fabricação própria, mas também em parceria com outras empresas. Todos de acordo com as normas da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), abrangendo as mais diversas áreas incluindo cosméticos, maquiagens, esmaltes, aparelhos respiratórios, capas para colchão e travesseiro antiácaros, roupas, coletor menstrual e até produtos para pets.  

Hoje a Alergoshop conta com um total de 10 lojas, sendo três próprias e sete unidades franqueadas, distribuídas entre os estados de São Paulo, Paraná, Tocantins, Rio de Janeiro, Mato Grosso e Espírito Santo. O objetivo é inaugurar 15 novas lojas até 2025.

Unidade Alergoshop em Porto Alegre

Endereço:  Avenida Nilópolis, 122, bairro Petrópolis, Porto Alegre (RS).

Telefones: (51) 2314-3424 / (51) 99256-8228 (WhatsApp e delivery)

 

Sobre a Alergoshop

Com dez unidades em funcionamento, a Alergoshop foi a primeira empresa no país a entender as necessidades das pessoas alérgicas. A ideia surgiu em 1993, baseada em necessidades pessoais de uma de suas sócias – Sarah Lazaretti, que em sociedade com sua irmã Julinha, vislumbrou um novo mercado.

Desde então, a Alergoshop segue empenhada em suprir essa carência e desenvolveu dezenas de produtos, sempre focando em eficiência e qualidade e oferecendo melhoria da qualidade de vida das pessoas com alergia. São mais de 280 itens em seu catálogo.

Saiba mais em https://alergoshop.com.br/ . 


Cotecna anuncia primeira aquisição no Brasil, com compra do Laboratório Agronômica

Empresa suíça especializada no segmento TIC (teste, inspeção e certificação) adquiriu laboratório do Rio Grande do Sul na última semana

A Cotecna – empresa suíça e uma das líderes mundiais no segmento de teste, inspeção e certificação – anunciou a aquisição do Laboratório Agronômica, um dos principais laboratórios de diagnóstico fitossanitário do país, com sede no Rio Grande do Sul.  O valor da compra não foi divulgado pelas empresas. A transação foi concluída na última semana e reuniu representantes das duas empresas em Porto Alegre (RS).

De acordo com o economista Vinicius Oliveira, sócio da Redirection International, que assessorou a transação para a Cotecna, a negociação levou quase um ano para ser concluída e é a primeira aquisição da empresa suíça no Brasil. “A Cotecna tem investido em operações de fusões e aquisições (M&A) como um dos principais caminhos para o seu crescimento. Desde 2014 foram pelo menos doze transações de M&A em todo o mundo e, agora, anuncia sua primeira operação no Brasil. Nós estamos desde 2017 nesta parceria, ajudando a  empresa a mapear e identificar oportunidades como esta no mercado brasileiro”, destaca.

O Laboratório Agronômica é especializado em análises de diagnóstico fitossanitário, análise de produtos de controle biológico para uso agronômico e testes de sementes. A empresa é credenciada pelo Ministério da Agricultura e atua na identificação de pragas no trânsito nacional e internaional de produtos agrícolas. “Esta aquisição representa um passo importante para aumentar nosso portfólio de serviços em testes de agrociências no Brasil, e alavancar essa experiência em nossa rede global de laboratórios”, explica Sebastien Dannaud, CEO da Cotecna.

Vinicius Oliveira lembra que o Brasil é um dos principais produtores e exportadores de alimentos do mundo, o que reforça o papel da Cotecna como um player importante no agronegócio brasileiro. “O país tem avançado muito na pesquisa e no desenvolvimento agropecuário e, com a preocupação mundial pela segurança alimentar, muitas empresas multinacionais e fundos de investimento estão de olho neste setor ”, destaca.

M&A no Agronegócio

No ano passado o Produto Interno Bruto do agronegócio brasileiro cresceu 8,36% em relação a 2020, atingindo a participação de 27,4% do PIB nacional, a maior taxa desde 2004, segundo dados do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea-USP) e da Confederação Nacional da Argicutlura e Pecuária (CNA). Na esteira deste crescimento, somente no ano passado, foram realizadas 78 transações de fusões e aquisições no setor, de acordo com a Transactional Track Record (TTR).

O agronegócio é um dos principais setores atendidos pela Redirection International na assessoria de transações de M&A. Com vasta experiência na área, nos últimos anos, a Redirection atuou em transações importantes do mercado brasileiro, tais como a compra da Frango Granjeiro pela Cooperativa Lar e a aquisição da Granotec pela holandeza Corbion, por exemplo.

Sobre a Redirection  

A Redirection é uma consultoria especializada em assessoria de Fusões & Aquisições para empresas locais e internacionais do middle market. Possui uma grande experiência em transações cross-border, com equipe atuante diretamente no Brasil, América Latina, Estados Unidos e Reino Unido. É membro da ACG e, também, desenvolve uma rede de parceiros selecionados em todos os principais setores de negócios e regiões do mundo.  https://www.redirection.com.br/  


Artigo, Marcus Vinicius Gravina - “A quem interessar possa”

Expressão antiga e surrada para chamar a atenção de supostos intelectuais, utilizada para atrair a atenção inicial do objeto a ser alcançado com ela. Poderá interessar aos organizadores dos debates na TV e rádio, entre os candidatos à presidência da República. Refiro-me, a algumas perguntas de cidadãos livres deste Brasil.  Daqueles que não são pastoreados por Consórcio de Governadores, provedores de transporte gratuito, pão e mortadela em seus comícios e eleições.  

Acredito que a maioria dos leitores irá concordar com a esta sugestão. Prestarei muita atenção no que irão responder ou no silêncio dos presidenciáveis.

Direto ao assunto: Senhor candidato responda, se eleito?

1. Irá conceder a GRAÇA ao José Dirceu e o INDULTO (leia-se perdão) a todos os condenados, presos ou não, no processo judicial da Lava Jato?

2. Irá distribuir verbas públicas ao MST para as suas ações “milicianas” de ataques às propriedades rurais privadas?

3. Irá pedir autorização ao Congresso para pagar as garantias de empréstimos internacionais de que o Brasil é fiador em favor de Cuba, Venezuela, Argentina, Uruguai, Bolívia, Peru e países africanos. Bilhões desviados do BNDES, para obras naqueles países ou, irá cobrar tais “empréstimos” e reavaliar o caso da refinaria Boliviana, fantasiosamente, tomada do Brasil?

4. Como irá encarar o direito à propriedade privada e as suas garantias legais, alguma mudança em vista?

5. Irá criar uma força militar ou paramilitar “campesina” e, como encara a existência despersonalizada do MST?

6. Irá recolher todo o armamento de defesa em mãos de cidadãos brasileiros?

7. Irá utilizar Cartão Corporativo (dinheiro público) para gastos indiscriminados, próprios e da esposa ou marido? 

8. Irá reduzir os gastos com veículos e aviões à disposição permanente da presidência?

9. Irá financiar ou apoiar ONGs internacionais e nacionais em atuação no nosso território, em especial na Amazônia? Como irá combater a exploração ilegal e o furto de minério extraído e exportado?

10. Irá combater o tráfico e a comercialização de drogas e armas destinadas à criminalidade e às milicias nos moldes bolivarianos?

11. Irá permitir ou facilitar a instalação de bases militares de outros países em território brasileiro?

12. Irá substituir os atuais comandantes das Forças Armadas e os seus imediatos pela reforma ou afastamento dos seus serviços às Forças Armadas e qual o critério levará em conta?

13. Irá se posicionar ao lado de um dos países em guerra, Ucrânia ou Rússia ou pela neutralidade? 

14. Irá promover a modernização e ampliação das nossas forças armadas, tendo em vista países limítrofes dominados pelo narcotráfico e associados a regimes totalitários de esquerda? 

15. Irá aceitar ou reagir à interferência ou intromissão do Poder Judiciário na competência constitucional do Poder Executivo?

17. Irá promover a reforma tributária e administrativa com o enxugamento da máquina estatal, privatizações e redução de ministérios? Criará imposto de grandes fortunas e o que entende por grande fortuna? Pensa em bloquear as contas bancárias dos cidadãos para algum Plano Emergencial de distribuição social com recursos privados para combate à fome ou habitacional?  

16. No caso de prorrogação ou renovação de contrato de concessão de serviço público de Televisão ou Rádio, irá fazer cumprir a Lei das Concessões que impõe ao concessionário estar quites com as suas obrigações ficais, ou seja, o pagamento de impostos à União e a entes federados? Ou, concederá anistia fiscal?

Por fim, qual a obra de infraestrutura mais importante a ser realizada em seu governo?

A Esquerda não precisa perder tempo e dizer que este questionário foi elaborado por um cidadão de direita.  Na atual conjuntura político/social outra opção seria suicídio.  

A esquerda não está impedida de fazer o mesmo.  

Caxias do Sul, 20.08. 2022 


  


Saiba onde se vacinar contra gripe e Covid-19 em Porto Alegre

A Secretaria Municipal de Saúde disponibiliza a vacina contra a Covid-19 nesta segunda-feiraem diferentes locais. 

A imunização para a população a partir de 12 anos irá ocorrer em 35 locais: shoppings João Pessoa e Lindoia Shopping (até as 16h) e em 33 unidades de saúde - nove com atendimento até as 21h (Álvaro Difini, Belém Novo, Campo da Tuca, José Mauro Ceratti Lopes, Morro Santana, Navegantes, Ramos, São Carlos e Tristeza). Haverá aplicação de primeira, segunda, terceira e quarta doses em todos os locais

Gripe - Já a vacinação contra a gripe estará disponível para todas as pessoas a partir de seis meses de idade em 123 unidades de saúde, Shopping João Pessoa, Lindoia Shopping e Unidade Móvel.

Confira lista dos órgãos federais que aceitam receber Pix:

1.        Agência Nacional de Aviação Civil - Anac

2.        Agência Nacional de Transportes Terrestres - ANTT

3.        Agência Nacional de Vigilância Sanitária - Anvisa

4.        Caixa de Construções de Casas para o Pessoal da Marinha do Brasil - CCCPMB

5.        Comando da Aeronáutica

6.        Comando da Marinha

7.        Comando da Marinha - Fundo de Desenvolvimento do Ensino Profissional Marítimo

8.        Comando do Exército

9.        Comissão de Valores Mobiliários - CVM

10.        Conselho Administrativo de Defesa Econômica - CADE

11.        Departamento Nacional de Obras Contra as Secas - DNOCS

12.        Departamento de Polícia Federal - DPF

13.        Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares

14.        Empresa de Trens Urbanos de Porto Alegre S/A

15.        Fundação Alexandre de Gusmão - FUNAG

16.        Fundação Universidade de Brasília - FUB

17.        Fundação Universidade de Mato Grosso do Sul - UFMS

18.        Fundação Universidade Federal de Uberlândia - UFU

19.        Fundo do Exército - FEx

20.        Fundo do Serviço Militar - FSM

21.        Fundo Nacional Antidrogas

22.        Hospital de Clínicas de Porto Alegre

23.        Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

24.        Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG

25.        Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - IFSULDEMINAS

26.        Instituto Nacional da Propriedade Industrial - Inpi

27.        Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira - Inep

28.        Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia - Inmetro

29.        Jardim Botânico do Rio de Janeiro

30.        Justiça Eleitoral (TSE e todos os tribunais regionais eleitorais)

31.        Ministério da Defesa - MD

32.        Ministério da Economia - ME

33.        Ministério da Justiça e Segurança Pública - MJSP

34.        Polícia Rodoviária Federal - PRF

35.        Secretaria de Aquicultura e Pesca - SAP/MAPA

36.        Supremo Tribunal Federal

37.        Universidade Federal de Itajubá - UNIFEI

38.        Universidade Federal de Lavras - UFLA

39.        Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC

40.        Universidade Federal de Viçosa - UFV

41.        Universidade Federal do Ceará - UFC

42.        Universidade Federal do Rio Grande do Sul - UFRGS

43.        Universidade Federal Fluminense - UFF

44.        Universidade Federal do Triângulo Mineiro - UFTM

domingo, 21 de agosto de 2022

Onde assistir a entrevista de Bolsonaro no Jornal Nacional

 O presidente Jair Bolsonaro será entrevistado ao vivo no Jornal Nacional, da TV Globo, na segunda-feira, 22 de agosto.

A entrevista com Bolsonaro faz parte de uma série de conversas que o Jornal Nacional tradicionalmente promove com presidenciáveis nas semanas que antecedem a eleição

Os outros três candidatos mais bem colocados nas pesquisas também irão ao JN nas próximas semanas: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB), que fecha a semana de entrevistas (veja as datas completas abaixo).

A data da entrevista de Bolsonaro, assim como dos outros candidatos, foi definida por sorteio. Segundo o JN, o sorteio foi feito em 1º de agosto com representantes dos partidos, quando ficou decidido que o presidente abriria a rodada de entrevistas.

Qual é o canal para assistir Bolsonaro no Jornal Nacional

A TV Globo pode ser sintonizada pela televisão aberta e na TV paga no canal 24:

TV Aberta digital: canal 24 / 524 HD;

Claro TV: 24 / 524 HD

Vivo TV: 24 / 524 HD

Como assistir Bolsonaro no Jornal Nacional online ao vivo

Além dos canais da TV Globo, o Jornal Nacional com Bolsonaro também será transmitido simultaneamente online. O jornal fica disponível ao vivo nas plataformas online da TV Globo:

No site do GloboPlay online, que tem a programação disponível gratuitamente mesmo para não assinantes (mediante cadastro gratuito);

No aplicativo do GloboPlay para Android e iPhone (também mediante cadastro gratuito);

Assinantes no exterior: o conteúdo da TV Globo aberta só fica disponível gratuitamente em território nacional. Fora do Brasil, o Jornal Nacional ao vivo só está disponível para assinantes pagos do GloboPlay;

Após o programa, os vídeos ficam também disponíveis no site do Jornal Nacional.


Eugenio Esber, Zero Hora - Liberdade zero

 O Twitter baniu a conta da jornalista Paula Schmitt sem apresentar razão específica para a decisão. Apenas aludiu, como de hábito, a uma imprecisa “violação de regra de desinformação sobre covid-19”. Qual, não se sabe – provavelmente porque a rede social não conseguiria demonstrar com objetividade a razão para o silenciamento da jornalista, que sempre apoiou suas opiniões em múltiplas referências a autores e pesquisadores com o timbre de sólidas instituições e fontes. Os longos e fundamentados artigos que Paula publicou podem ser encontrados no Poder 360. O site é um dos poucos espaços que restaram abertos ao debate no jornalismo brasileiro desde que alguns veículos tradicionais de mídia impressa e eletrônica fizeram um pacto cujo efeito foi cercear o livre curso das ideias e dos possíveis achados científicos que trouxessem questionamentos sobre segurança e eficácia de vacinas, ou evidências sobre contribuição de medicamentos reposicionados para prevenção ou combate à doença.


Paula dirigiu sua verve crítica ao comportamento de cientistas que incorriam, a seu ver, em conflitos de interesse por ligações com a indústria farmacêutica ou recebimento de fundos para suas pesquisas. Os grandes laboratórios farmacêuticos globais e sua teia de influência sobre agências governamentais e fundos de investimento foram expostos com desassombro pela jornalista em textos que não se consegue ler superficialmente, tal a profusão de links que descortinam ao leitor uma realidade muito mais complexa do que a verdade pasteurizada que lhe apresentam jornais e telejornais com desapreço pelo contraditório. Paula tem viés? Todos têm, ora. Por isso é que a imprensa jamais deve renunciar ao primado do pluralismo de visões, única forma de respeitar a inteligência e a autonomia de decisão do público frente a diferentes facetas da realidade.


O cerceamento e a censura a cientistas, jornalistas, médicos, agentes públicos e muitos que lançaram questões relevantes para o debate indicam a lenta e excruciante agonia da liberdade. Aliás, nos últimos dias a Faculdade de Direito da USP lançou sua festejada carta “em defesa do Estado democrático de direito”. Nenhuma linha sobre abusos da suprema corte e a violação ao devido processo legal e ao sistema acusatório brasileiro. Mudez sobre a prisão de jornalistas e políticos por palavras e opiniões que emitiram. Absoluto silêncio a respeito do exílio que o STF impõe ao jornalista Allan dos Santos. A carta fala em “desvarios autoritários” nos EUA enquanto ignora violências praticadas aqui mesmo contra as leis e a Constituição do país, como impedir advogados de terem acesso aos autos para a defesa de seus clientes.


O texto do autoproclamado “território livre” do Largo de São Francisco, endereço da Faculdade de Direito da USP, tem 634 palavras. Você sabe quantas vezes aparece a palavra “liberdade”? Nenhuma. Ao que parece, nenhum dos redatores percebeu. Ou se importou.


Deve ser este o tão anunciado “new normal” que o coronavírus nos legaria. “Esqueça liberdade.”

Artigo, Iris Helena Medeiros Nogueira, Correio do Povo - União no combate à violência doméstica

- A autora é presidente do TJ do RS


Os indicadores da violência cometida contra as mulheres seguem revelando o seu contínuo crescimento. Somente no primeiro semestre deste ano já foram concedidas mais de 60 mil medidas protetivas no Rio Grande do Sul. O Brasil ocupa a 5ª colocação no ranking mundial de feminicídios, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH). Conforme o Diretor do Colégio de Estudos Avançados da Universidade Federal do Ceará, professor José Raimundo Carvalho, coordenador do estudo sobre o impacto da pandemia na violência doméstica e familiar, o número de mulheres vítimas de violência emocional em Porto Alegre, entre 2019 e 2021, subiu de 14,2% para 23,3%, acrescentando ainda que também aumentou a violência contra crianças na cidade.


Tentando promover uma reflexão junto à sociedade sobre estes fatos extremamente lamentáveis, o Judiciário gaúcho realizou a 21ª edição da Semana da Justiça pela Paz em Casa, uma campanha nacional, cuja idealizadora foi a ministra do STF, Cármen Lúcia. Trata-se de uma mobilização do Poder Judiciário brasileiro objetivando priorizar o julgamento dos casos envolvendo violência doméstica e familiar contra a mulher. O TJRS, desde o início, aderiu integralmente à iniciativa e, a cada edição, promove uma série de iniciativas para incentivar a reflexão sobre o tema, além de estimular magistradas e magistrados no que se refere à priorização de audiências e do julgamento das ações que versam sobre violência doméstica.


A Justiça gaúcha sempre irá humanizar o atendimento às pessoas envolvidas nesses conflitos, atuando com celeridade na jurisdição de casos relacionados à violência doméstica contra a mulher e seu núcleo familiar. Os juízes e as juízas encontrarão o respaldo e o auxílio da administração, pois, juntas e juntos, somos mais fortes e, com a nossa união, a violência não vencerá a Justiça

Saiba como atualizar

 Em seu dispositivo Apple, busque as Configurações (Settings), vá em Geral (General) > e selecione Atualização de Software (Software Update). Aguarde a busca pela última atualização, mantenha seu aparelho conectado a uma rede sem fio e com carga superior a 70%.

Para os sistemas de mesa, vá em Preferências de Sistema (System Preferences) > Atualização de Software (Software Update).

Lula e Lei Maria da Penha

  Além do fracasso de público (apenas 4,2 mil pessoas, ao contrário das 100 mil aguardadas), o candidato Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fez o lançamento oficial de sua candidatura, ontem,  em um comício no Vale do Anhangabaú, na capital paulista, cometendo algumas gafes e também produzindo um gravíssimo ato falho.

A fala que viraliza nas redes sociais é esta, em versão livre:

- Se for bater na mulher, não faça isto dentro de casa.

Ou seja: se quiser bater, bata, mas não dentro do lar.

A frase lembra outra cretinice, esta de Paulo Maluf, que ao condenar o estupro, aconselhou:

- Quer estuprar, estupra, mas não mata.

Sobre religião, incomodado com o avanço de Bolsonaro entre os evangélicos, disse Lula:

- Quero dizer que eu defendo o estado laico. O Estado não tem que ter religião. Todas as religiões devem ser defendidas pelo Estado. E as igrejas não devem ter partido político porque as igrejas devem cuidar da fé e da espiritualidade.

Programação

Programação

7h30 – Missa no Santuário Nossa Senhora do Rosário

8h30 - Procissão

10h30 – Missa Campal/ Dom Jaime Spengler - Santuário Nossa Senhora dos Navegantes

14h – Entronização no Santuário - Nossa Senhora dos Navegantes - Missa Padre Luiz Ricardo Xavier

16h – Missa – Padre Jaime Caspary

sábado, 20 de agosto de 2022

Artigo, Guilherme Baumhardt, Correio do Povo - Painel da discórdia, mérito ignorado

Um painel instalado na lateral de um prédio, na avenida Osvaldo Aranha, em Porto Alegre, representa bem a idiotia do debate político brasileiro, amparado em uma legislação eleitoral cujo único destino plausível seria o passado – ou a lata de lixo. Aos que não viram: o material traz duas colunas, uma delas com a bandeira do Brasil no topo, e, do outro lado, a foice e o martelo, símbolos associados ao comunismo mundo afora. Logo abaixo, as diferenças existentes, de acordo com aqueles que bancaram a instalação do material.


Nas duas colunas, ideias divergentes. Vida versus aborto; liberdade versus censura; povo armado versus povo desarmado. É possível discutir um ou outro ponto, mas em essência não há ali um absurdo, porque governos comunistas implantaram ou defendem vários dos tópicos ali elencados. E o que houve? Partidos de esquerda (para os quais “serviu o chapéu”) entraram com ação na Justiça pedindo a remoção do material. E, acredite, levaram.


Estamos falando de um espaço privado, não uma concessão pública. Não há alusão a qualquer partido ou candidato. A Justiça Eleitoral deu guarida ao pedido sustentando sua decisão com base na frase “você decide”, que aparece no alto do material. Não há referência ao pleito deste ano, à data de votação ou às opções existentes para o eleitor. Ou seja, na opinião deste colunista (se é que ainda tenho liberdade para isso), uma decisão absurda, um cerceamento da liberdade de expressão. E, acredite, algumas semanas antes, no mesmo espaço, um cartaz relacionava o atual presidente da República com a palavra “genocida”. O que aconteceu nesse caso? Nada. E que bom que foi assim. Liberdade acima de tudo. Até para propagar idiotices.


Não satisfeitos, partidos de esquerda procuraram novamente a Justiça, desta vez para exigir que imagens do tal cartaz fossem removidas de perfis privados, em redes sociais. Ainda não houve decisão sobre este pleito, mas não se surpreenda se o desfecho seguir a mesma linha da polêmica inicial.


A questão é: quando é que vamos discutir o mérito do que há ali? Pedidos de censura e remoção são fáceis, encontram guarida, mas em algum momento vamos nos debruçar sobre o conteúdo da mensagem ali existente e verificar se estamos diante de verdades ou mentiras? Ou será que a verdade dói e precisa ser escondida? Parece que temos uma resposta.


É mais uma sinalização de que a lei eleitoral vigente pode ter um ou outro aspecto positivo, mas, no fundo, não passa de mais um capítulo bastante brasileiro, de ver no cidadão um sujeito incapaz de tomar decisões, de ignorar o livre arbítrio, revelando um desejo incontrolável de tutelar as pessoas. Graças a algumas decisões judiciais, fica evidente que não podemos gozar de liberdade plena para fazer o básico: expressarmo-nos.

BNDES lança inclusão de MEIs em programa emergencial de crédito

 A estimativa do BNDES é que serão viabilizados R$ 22 bilhões em novas operações de crédito para MPMEs e MEIs até dezembro de 2023.

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anuncia, na próxima segunda-feira, a reabertura do Programa Emergencial de Acesso a Crédito (FGI PEAC). A novidade, na nova edição, é que o programa incluirá também microempreendedores individuais (MEIs) e microempresas, além de pequenas e médias empresas, contempladas anteriormente.

Até o momento, 40 instituições financeiras já se habilitaram para operar com a linha. O programa terá vigência até dezembro de 2023.

O BNDES informou que para que uma operação de crédito seja elegível à garantia pelo programa, ela deve ser destinada a investimento ou capital de giro e ter valor entre R$ 1 mil e R$ 10 milhões, com prazo de pagamento de até 60 meses e carência entre 6 e 12 meses. A cobertura estabelecida pelo programa é de 80% do valor do contrato.