segunda-feira, 11 de junho de 2018

Doria diz que tucanos ficam demais em cima do muro


Em sabatina de Folha, UOL e SBT, João Doria foi questionado sobre o posicionamento de mais de dez tucanos que votaram a favor da “bomba fiscal” aprovada pela Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo) na semana passada, com aumento no teto do funcionalismo público e forte impacto nas contas do estado, a ser eventualmente gerido pelo ex-prefeito.
“A iniciativa não foi do PSDB”, alegou Doria. “É importante só registrar: a iniciativa foi de um deputado do PTB, partido aliado do governador Márcio França.”
Uma entrevistadora lembrou que o PTB também é aliado de Geraldo Alckmin na campanha presidencial e que o deputado Campos Machado, autor da proposta, chamou o ex-governador até de “irmão”.
“Pois é, quem tem irmãos assim não precisa ter inimigos”, alfinetou Doria, entre risos, registrando em seguida que, apesar dos votos a favor, alguns deputados do PSDB votaram contra a bomba fiscal, orientados pelo presidente do diretório estadual, Pedro Tobias.
O ex-prefeito tentou sair da questão de fundo pela tangente.
“Se eleito governador, nós teremos que rever essa posição e olhar novamente isso, principalmente face à questão orçamentária.”
“Rever como?”, insistiu uma entrevistadora.
“Nós temos que estudar. Eu não quero aqui ser tucano e ficar em cima do muro, porque não é meu jeito, não é meu estilo”, disparou Doria.
“Tucanos ficam em cima do muro?”, perguntou a entrevistadora.
“Tucanos ficam muito em cima do muro. Mas eu não fico em cima do muro. E essa nova etapa da tucanagem não vai ficar em cima do muro. Eu prefiro ser julgado por ter uma atitude, ainda que [venha a ser] condenado por ela do que não sofrer o julgamento pela covardia de não tomar nenhuma atitude. Então, neste tema específico, nós vamos estudar, analisar, face à questão fiscal.”

Nenhum comentário:

Postar um comentário