quarta-feira, 29 de agosto de 2018

BC venderá dólares da reserva para conter alta especulativa da moeda americana


A Agência Brasil confirmou, hoje, que o Banco Central venderá dólares das reservas internacionais com compromisso de recomprá-las mais adiante. Em comunicado emitido no início da noite desta terça-feira (28), a autoridade monetária informou que ofertará até US$ 2,15 bilhões na próxima sexta-feira (31). Serão feitos dois leilões, um às 12h15 e outro às 12h35. As ofertas, no entanto, não ampliarão o total de dólares injetados no mercado. Os leilões ajudarão o BC a rolar (renovar) contratos de leilões com compromisso de recompra que venceriam no início do próximo mês.
Com os leilões, os dólares das reservas internacionais, que voltariam para o BC em 5 de setembro, continuarão no mercado. Uma parte circulará até 5 de novembro; e outra, até 4 de dezembro. Caso os contratos não fossem renovados, a oferta da divisa diminuiria, pressionando a cotação do dólar ainda mais para cima.
A cotação da moeda norte-americana segue próximo do patamar dos R$ 4,15 na manhã de desta quarta-feira (29), depois de abrir o pregão na máxima de R$ 4,1651 para venda. O dólar avançava 0,07% às 10h55, cotado a R$ 4,144. Na terça (28), a cotação da moeda norte-americana aproximou-se da barreira dos R$ 4,15, com alta de 1,4%, cotado a R$ 4,142 para venda. O valor é o segundo maior desde o Plano Real, ficando atrás apenas do registrado em janeiro de 2016, quando bateu o valor de R$ 4,166. A cotação está sendo influenciada pela turbulência do mercado financeiro à medida que as eleições de outubro se aproximam.
O índice B3, da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), abriu o mercado em alta, registrando 0,89%, com 78.1219 pontos às 11h45. Os papéis da Eletrobras, com o leilão de subsidiárias marcado para esta quinta-feira (30), eram destaque positivo na abertura do pregão, valorizados em 2,7%. Os papéis da Petrobras subiram 2,4%. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário