quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Artigo, Astor Wartchow - Massacre em horário nobre

Não gosto e não votarei em Bolsonaro. Porém, é impossível não reconhecer que massacrou os entrevistadores do Jornal Nacional, Bonner e Renata.

Quanto a retórica e os assuntos preferenciais de Bolsonaro já sabíamos. A novidade foi perceber a dimensão da limitação jornalística de Bonner e sua equipe.

Na suposição de que esta pauta (perguntas e argumentos) foi previamente debatida na redação, é chocante admitir tamanha sucessão de não saberes acerca da realidade nacional.

Ora, Bolsonaro reproduz exatamente o que o povo pensa, cansado de invasões e depredações do MST, assassinatos por menores de idade armados e protegidos pelo ECA, a reprodução sistemática de pornografia em ambiente escolar,  a titulo de arte, etc...etc...
Com tanto assunto a ser debatido, como recessão e desemprego, inserção e competitividade comercial mundial, deficit público, etc...o arrogante Bonner e ingênua Renata (a responsabilização do presidente pela desigualdade salarial é de doer, quando qualquer acadêmico sabe da CLT e dos concursos públicos iguais para todos) deram a bola picando para Bolsonaro chutar.

Para quem tem míseros segundos no horário gratuito, a entrevista de ontem equivale a uma “megasena".

4 comentários:

  1. Acho que você está corretíssimo. Ele falou o que nós Brasileiros estamos falando. Ao contrário de você votarei nele. Parabéns por sua coluna.

    ResponderExcluir
  2. BOLSONARO É A ESPERANÇA!! Que SEJA no 1 TURNO!!

    ResponderExcluir
  3. Sr.Astor, o sr. dizendo que não gosta e nem votará no Bolsonaro é de uma idiotice sem par, pois ele é o único dos candidatos que poderá salvar nosso pais, repense suas idéias.

    ResponderExcluir
  4. O nobre articulista elogia a entrevista do candidato, mas começa o escrito, tal como um adolescente mimado, afirmando "não gosto do Bolsonaro". Ahh, mas vá rachar uma lenha.

    ResponderExcluir