segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Artigo, Fábio Jacques - Vamos liberar a maconha.

Vamos liberar a maconha.
Postado em Artigos, Corrupção, Drogas, Tráfico de Drogas
A  palavra de ordem é liberar e descriminalizar a maconha. Liberada a maconha, vamos liberar as outras drogas mais pesadas.
O brilhante argumento dos defensores da liberação é que, uma vez liberada, o tráfico desaparece. Não haveria mais razão para arriscar-se a ir até uma boca de fumo para comprar um baseado ou uma pedra se estas substâncias pudessem ser encontradas na farmácia ao lado ou em casas de comércio especializadas. Não havendo mais o tráfico, não haveria guerra entre traficantes e reduzir-se-ia o contrabando de armas de pesado calibre que garantem a proteção dos chefes do tráfico contra o ataque das gangues rivais. A luta entre facções desapareceria, a banda podre da polícia perderia sua fonte de receita do crime porque o crime hoje protegido por eles deixaria de existir.
Já vi todos estes argumentos serem apresentados por grandes políticos, entre os quais até um ex-presidente da república.
Gostei muito da ideia e quero dar minha contribuição colocando para a discussão a Liberação da venda de CDs e DVDs. Se houver venda de CDs e DVDs em lojas especializadas, em supermercados ou em bancas de revistas, não haverá mais produção de CDs e DVDs piratas ou contrabandeados. Quem vai querer comprar um CD ou um DVD no camelô se pode comprar o mesmo produto em uma loja com a vantagem de receber a nota fiscal?
Trimmmm! Trimmmmm!
– Alô! …Como?… CDs e DVDs já são vendidos livremente em lojas, com nota fiscal?
Agora me danei. Minha ideia de vender CDs e DVDs em lojas para acabar a pirataria é uma furada. O original da loja, sobrecarregado de impostos, sai por um preço tão proibitivo que muita gente continua preferindo se arriscar e comprar no camelô.
E as drogas? Serão vendidas sem impostos? Sem custos de produção? A ilegal é feita em laboratórios clandestinos sem qualquer controle de processo, e tanto na fabricação como na agricultura da maconha, da coca ou da papoula, trabalho escravo é luxo.
Vai acontecer a mesma coisa. Uma pedra oficial vai custar cinco vezes mais que uma pedra traficada. Um baseado 10 vezes mais, porque a cannabis oficial será orgânica, livre de agrotóxicos, talvez hidropônica e cultivada em estufas com temperatura e umidade controladas.

Ou seja: vai aumentar o tráfico e a corrupção relativa à produção e à venda dos produtos do tráfico e será criada uma nova teta para ser achacada pela máquina pública corrupta que não deixará passar nenhuma oportunidade de forrar as algibeiras com o dinheiro surrupiado dos empresários e dos cofres públicos.

5 comentários:

  1. Isso que ele não falou da venda de cigarros contrabandeados, mesmo existindo a venda legal.
    ETC.....

    ResponderExcluir
  2. Lendo o texto entendo que o autor acredita que já não exista uma "teta" no setor governamental que explore o tráfico de drogas.

    Veja só uma coisa:
    O tráfico de drogas é o segundo negócio mais rentável que há no mundo, pois seu pagamento é feito sempre em espécie.

    Portanto, o negócio das drogas não poderia ser levado a cabo sem a participação direta do governo, de políticos e de funcionários do estado.

    ResponderExcluir
  3. Excelente. Foi obrigado a concordar com esse desfecho pelo exemplo do Uruguai. Outro que se encaixa nessa alegoria é o jogo de azar: sena, quina e loteria não extinguiram o jogo-do-bixo.

    ResponderExcluir
  4. Excelente texto. Não vamos nos esquecer também de liberar a venda oficial de automóveis e de gasolina em concessionárias e postos de combustíveis oficiais. Pois assim acabamos com o contrabando e a adulteração de combustíveis. Acabamos com o roubo de carros e com o mercado de carros clonados e autopeças roubadas e com os desmanches de carro.
    Será tudo perfeito. Tudo comandado pelo estado. Todo mundo fumando o seu baseado, de roupa igualitária (a la Mao Tsé Tung), sem violência.
    Quando o vendedor de maconha legalizada estiver empacotando a sua produção para ser vendida, não existe nenhuma chance de aparecerem ums 10 bandidos armados de fuzil e pistola, e roubarem toda a produção do cara para vender na boca. Ou de que o próprio vendedor "legalizado" seja constantemente roubado, como são diariamente os comerciantes no Brasil.
    Nada disso vai acontecer, tudo vai dar certo. Vamos legalizar a maconha e outras drogas e o consumo não vai aumentar. Não vamos criar gerações viciadas desde a mais tenra idade.
    Vamos dai mais impostos, mais dinheiro e mais poder para os politicos e burocratas. Esses seres tão bonzinhos, que adoram nos ajudar e sabem como só eles sabem, cuidar do nosso dinheiro.

    ResponderExcluir