terça-feira, 28 de agosto de 2018

Adeus ao Leão do Pampa


*Adão Paiani

O Rio Grande está de luto, com a partida do maior símbolo da identidade cultural do estado mais meridional do Brasil. 

João Carlos Paixão Côrtes, agrônomo de formação, e também folclorista, compositor, radialista e pesquisador, partiu  nesta tarde fria do inverno gaúcho, com o olhar voltado para a imensidão pampeana. 

O gélido agosto, seguindo sua eterna sina, ceifou mais uma alma na lavoura da nossa sempre breve existência. 

O gaúcho-símbolo, imortalizado ainda jovem na icônica estátua do gaúcho laçador, que olhando para o horizonte recebe os visitantes na entrada de Porto Alegre, segue para a derradeira morada, depois de 91 anos de uma jornada fecunda, e que deixou frutos espalhados não apenas em cada rincão de sua pátria gaúcha e brasileira, mas ao redor do mundo.

Segue em paz, vivente. Que o patrão dos mundos, e Arquiteto do Universo, receba de braços abertos na porteira dessa estância infinita chamada eternidade, esse grande gaúcho que foi Paixão Côrtes.

* Adão Paiani é advogado em Brasília/DF.

Nenhum comentário:

Postar um comentário