sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Artigo, Marcelo Aiquel - A nau dos desesperados

                   Ás vésperas de mais uma eleição, assistimos um festival de atos insanos que só podem ser patrocinados por desesperados.
                   Uns, para escaparem do “xilindró”; outros, pela sobrevivência. Mas há também os que lutam pela indecência de continuação do atual sistema.
                   O barco dos desesperados carrega a Rede Globo e uma parte da mídia que luta para não falir, enquanto fica inventando mentiras para tentar parar o maior fenômeno eleitoral de todos os tempos.
                   Carrega, ainda, milhares de dependentes do PT, ou ainda, legítimos idiotas que querem ver o Brasil ser venezuelado.
                   Olhem, eu acompanho disputas eleitorais há mais de 50 anos, e confesso que nunca vi tanta “baixaria”. E sempre contra o mesmo candidato.
                   Só não o acusaram de veado e ladrão. Do resto, tudo!
                   Não sou fã do capitão, mas ele é a nossa última chance de continuarmos verdes e amarelos.
                   O voto é secreto, e cada um tem o direito de escolher quem quiser. Até aceito aqueles que votam para defender seu emprego, mas não me venham com justificativa ideológica porque meu ouvido não é penico (para quem não sabe, é o mesmo que “urinol”).
                   Assim, defini meu candidato á presidente desde o início.
                   Foi um luta desigual (todos contra um) e eu escolhi o um.
                   Porque do todos, quatro foram ministros (do Lula ou da Dilma) e não fizeram absolutamente nada do que agora prometem.
                   O outro (Alkmim) se juntou ao estrume da política brasileira para ganhar mais espaço. Nem assim decolou...
                   Sobraram então, além do Alvaro Dias e do Amoedo (ambos competentes, porém sem nenhuma chance), alguns caricatos que sequer merecem menção.
                   Por tudo isso também, o meu voto é – sem dúvida – 17 Bolsonaro.
                   O FUTURO DO NOSSO BRASIL, AGRADECE!

Um comentário:

  1. Ainda bem que eu fiquei na Record para ver a entrevista com o Bolsonaro.Não dá mais para ver políticos agredindo o adversário e não apresentar programas de Governo. Aliás, em promessas ninguém acredita mais! Bolsonaro17!

    ResponderExcluir