terça-feira, 8 de março de 2016

Artigo, Marcelo Aiquel - O discurso mudou: a hipocrisia, agora, chama-se "respeito"

Ditado popular:
Respeite para ser respeitado.

      Esta foi uma das primeiras lições que todas as pessoas bem educadas receberam de seus pais, avós e professores.
      Aprendemos também, desde os primeiros passos, que só pode exigir respeito quem ao outro respeita.
      Respeitar as pessoas; respeitar aos mais velhos; respeitar as opções de cada um; foram algumas das insistentes e constantes lições que escutávamos em casa, nas escolas, nas ruas.
      Passamos a vida toda ouvindo isso, apesar de alguns não terem jamais assimilado tal sabedoria.
      Pois agora, o Brasil é invadido com um discurso novo. Um discurso que pede respeito. É o Lula, é a Dilma, é o PT...Todos unidos em torno desta regra básica de comportamento.
      Que curioso, não?
      Logo eles que,raramente respeitaram os seus opostos, vem agora – acuados após as flagrantes evidências de diversas ilegalidades cometidas – REDESCOBRIR esta palavrinha mágica de oito letras que nunca deveria ter sido esquecida: respeito.
      Ora vejam: o Lula pede respeito para si e para a sua esposa Marisa Letícia. Que “fofo” o cara, não acham?
      O chefão da quadrilha, que não soube sequer respeitar a autoridade do Juiz Sérgio Moro, se mostrou bastante preocupado com a sua mulher. Preocupação que não teve ao levar – como acompanhante em viagens internacionais – a sua “amiga íntima” ROSEMARY NORONHA. Coincidentemente em TODAS as viagens que a esposa Marisa Letícia não foi.
Chega a dar dó no coração o carinho repentino do ex-presidente para com a sua esposa. É o respeito que ele se esqueceu de conceder a ela nos últimos tempos, mas que curiosamente voltou à sua vida conjugal. Num passe de mágica... É no mínimo estranho. Muito estranho.
      Já a presidente Dilma vem agora pedirrespeito e tolerância. O mesmo respeito e tolerância que ela nunca teve com os adversários. O respeito que não teve quando MENTIU descaradamente na campanha política, e a tolerância que não usou quando resolveu fazer guerrilha armada!
      Enquanto isso o PT também resolveu falar em respeito. O seu presidente, o RUI FALSÃO, aquele mesmo que sorriu debochadamente quando Lula se adjetivou de jararaca; aquele mesmo que teve orgasmos de alegria quando a filósofa petista Marilena Chauí berrou que odiava a classe média; aquele mesmo que aplaudiu o Chefe quando este “convocou” o exército do Stédile; teve, agora, o desplante de falar em respeito.
Onde ele escondeu o tal respeito naqueles momentos?
      Assim fica fácil! Quando a corda estica e as nuvens negras cobrem o céu, os maiores pecadores se fazem de anjos. Como se nunca antes na história deste paístivessem cometido – e seguem cometendo – todos os delitos e desvios possíveis, vem agora posar de vestais.
      Chega a ser engraçado assistir o Lula, a Dilma e o PT – que nunca respeitaram nada e a ninguém – vestirem as sandálias da humildade e pedir respeito. Humildade que igualmente não faz parte do seu dicionário.
      Mais uma MENTIRA que “eles” contam para “nós”.
      Bem como a Dilma se referia aos adversários e falava dos seus, durante toda a campanha eleitoral (“nóix” e “eles”, ou “vossêix”).
      O que os fez mudar? Asinvestigações da Lava Jato?


      Marcelo Aiquel – advogado (07/03/2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário