quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Artigo, Marcelo Aiquel - Em busca do alto astral

Artigo, Marcelo Aiquel - Em busca do alto astral              


              Amigos, a inevitável reflexão desta época natalina me levou a seguir em busca da experiência de vida saudável e da felicidade plena, ensinada – com muita sabedoria – pelos estudiosos das ciências médicas e espirituais.
                Todos são unânimes em dizer que um dos maiores motivos de stress no ser humano é o rancor, ou o ódio que nos consome sem barulho ou aviso prévio. Sem contar que o pensamento positivo e o otimismo constante nos trazem – seguramente – uma condição muito mais agradável ao nosso dia a dia.
                Diante disso, decidi dedicar mais amor a quem merece amor, e procurar ser mais tolerante com (ou mesmo tentar perdoar) aqueles que tem um comportamento que me incomoda pela hipocrisia, pela falta de respeito e educação; pelas ideias retrógradas; pela mediocridade dos objetivos; e pela ilusão consciente diante da verdade dos fatos. Até porque a verdade não tem versão. Ou é, ou não é.
                Ah, e também tentarei ser tolerante com os que “se fazem” de POLITICAMENTE CORRETOS! Será bem difícil, mas prometo tentar.
                A partir de agora vou procurar ser mais feliz e ignorar solenemente a tudo o que me causa algum stress, inclusive – e principalmente – as pessoas que motivam isto, seja por atos ou palavras.
                Assim, daqui em diante, vou fazer um grande esforço para EVITAR, na minha rotina diária:
                - assistir telejornais com suas notícias tendenciosas, ou de desgraças;
                - escutar, ler, ou me inteirar de coisas que em nada somam para minha paz e para a minha vida;
                - perder a paciência com ridículas “flautas” de futebol (principalmente vindas de recalcados perdedores);
                - dar espaço para pessoas pessimistas, de baixo astral;
                - esquentar a cabeça com os pobres idealistas bolivarianos.
                Este filtro que buscarei passar a colocar em prática não quer dizer que vou simplesmente “cruzar os braços e me omitir”, ou permitir que tais sujeitos tomem conta do pedaço, sem qualquer oposição.
                NÃO MESMO!
                Apenas farei força para não mais carregar o “lixo” deles comigo.
                Quero ser mais leve!
                Dormir tranquilo!
                E ser feliz!

                A minha saúde, o meu humor, e quem vive ao meu lado, agradecerão. Com certeza.

2 comentários:

  1. Dias desses, fiz um comentário a respeito de uma matéria do Políbio, aqui no seu Blog. Qual minha surpresa, recebo uma critica da minha critica por parte de alguém que, sinceramente, admiro pela sua clara posição política antipetista, pero não raivosa e por seus belos e fortes textos políticos. Invariavelmente os tenho ledos; também o tenho escutado (se não tiver fazendo confusão) no programa Rádio Livre - da Band, no qual é um contumaz participante convidado. O meu único (mas grande!) óbice à figura, é o seu gremismo exagerado. Abraços.

    ResponderExcluir
  2. Ei, Marcelo: tua atitude é o melhor canal, mesmo porque - e te dou absoluta garantia disso - tudo aquilo que citastes no artigo pertence a uma fenomenologia que será simplesmente devassada pelo porvir! O mundo corre em ciclos absolutamente justos e perfeitos e o ciclo atual é exatamente contrário aos "politicamente corretos" e demais seres unicelulares que se lhes assemelham.
    Não vale a pena esquentar a cabeça com essa gente. Esse povo adstringente é absolutamente autofágico, além de se alimentarem das ideias contrárias, ou seja, tire-lhes a oportunidade de se expressarem contra nós e eles morrem de inanição. Verdade! Já fiz a experiência.
    E, de quebra, a gente sai ganhando, pois teremos mais alegria de viver e mais felicidade, mesmo porque a esquerdopatia e a politicocorretopatia tem cura e a medicação já está sendo administrada... e eles nem sabem disso!
    Sorria, eles estão sendo curados pela indiferença e pelo orgulho ferido, pois sua seara de ação está sendo extinta.
    Está duvidando? Repare na onda direitista na França, UK, Hungria, Áustria, USA, Chile, etc. e, está só começando. Ano que vem, será o Brasil.
    Iurrúúúúú. Direita volver!
    Quem não gostar, cuidado para não se morderem e morrerem do próprio veneno.... kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir