quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

A hidra e seus tentáculos

A Hidra e seus Tentáculos-

Iracilda Gonzalez
Médica e Psicanalista.
Quer seja através do Mito grego abatido por Hércules, quer seja através dos quadrinhos da Marvel – que mostram uma organização criminosa infiltrada em todos os ramos da sociedade, constituindo as várias cabeças de um grande monstro – revelam-nos simbolicamente o que estamos vendo e vivenciando nos dias atuais, ao vivo, a cores, sofridamente.
O comprometimento por corrupção tem sido mostrado nos mais diferentes segmentos, tanto públicos, como privados. E foi feito com método, com lógica, não ocorreu ao acaso.
Os métodos de envolver as pessoas, de manipular os chamados movimentos sociais, continuam os mesmos. Lula chega de avião particular, as “massas” chegam espremidas nos ônibus. Mostra bem que ele é o chefe.
A negação intencional dos fatos ocorreu de maneira estarrecedora, agredindo a realidade e a inteligência das pessoas. A negação, como um artefato mágico, escamoteava a realidade, criando uma situação que não se sustentava e novos artefatos tinham que serem criados. Há um prazer na negação, porque de alguma maneira ela é vivida como um triunfo.
Os tentáculos da Hidra-Lula estão sendo desfeitos. Hoje temos o julgamento do recurso de um condenado, o ex-presidente Lula.
 Há, no entanto, os que permanecem a ele agarrados, pois dali tiram sua subsistência.
O comportamento é muito similar ao das psicopatias. Vicente Garrido, professor de criminologia em Valencia, no seu livro -El psicópata-, chama-nos atenção que: “Os psicopatas constituem um dos maiores desafios que tem a humanidade no século XXI”. Diz ainda: “é uma condição individual que pode alimentar-se mediante estruturas sociais, culturais e políticas. Haveria existido um Eichmann, o genocida, se não houvesse existido um regime político psicopático?”
É encontrado em todas as camadas sociais e existem vários níveis de comprometimento.
Os psicopatas carregam em si a essência da maldade humana.
Como deter esse mal? Um das maneiras é como está acontecendo no Brasil - a aplicação da lei. Eles são transgressores por natureza. Personificam a perversão em todos os sentidos. Tentam sodomizar uma nação. É o sórdido oferecido como espetáculo. Forçam a regressão das pessoas a estágios primitivos de bestialidade. Há um comportamento histriônico. Direcionam seus ataques contra todos que impuserem limites a seus instintos destrutivos.
Existe uma fronteira que, uma vez cruzada, priva o homem de sua humanidade completa, e me parece que Lula e seus seguidores já a ultrapassaram.
Felizmente, para nós, no meio do caminho tinha um Juiz, e toda uma equipe competente que luta bravamente para que a lei seja cumprida.
Reni Dotti - criminalista, jurista e professor -, em entrevista ao Estadão (03/9/2017), disse: “A Lava Jato, no meu entendimento, interrompeu um golpe de Estado”. Com conhecimento e sabedoria fez essa afirmação.
Uma corrosão social inaudita foi perpetrada por Lula e seus tentáculos. Somente uma pessoa com a capacidade inata para a perversidade atrairia tantos seguidores - uns pela fragilidade da mente, outros por se identificarem com ele e estarem no mesmo nível de sintonia.
O que queremos para o Brasil: um compromisso com a verdade. Não queremos mais palavras que são “clichês” de doutrinação: palavras gastas, como carimbos, são feitas e carimbadas no ouvido das pessoas, que são tidas como massa de manobra. Pessoas que são violentadas pela ignorância ou pela necessidade.
O que não queremos é que o Brasil siga os passos da Venezuela, cuja elite é representada por Maduro, e o país vive hoje uma situação desastrosa. Não queremos que o nosso país chegue a esse ponto de irreversibilidade para regimes de esquerda ditatoriais, em que só uma minoria tem vez, ao contrário do que propagam.

                                                             






Um comentário: