domingo, 7 de outubro de 2018

Fala da presidente do STF



Boa noite!

É da tradição brasileira que a Presidência do Tribunal Superior Eleitoral dirija-se diretamente ao eleitorado na véspera das eleições. Por isso estou aqui pedindo alguns minutos da sua atenção.

Amanhã, 7 de outubro, votaremos para a escolha daqueles que exercerão a Presidência da República e o Governo dos Estados e do Distrito Federal. Também escolheremos nossos legisladores: um Deputado Federal, um Deputado Estadual ou Distrital e dois Senadores.

Somos quase 148 milhões de brasileiros aptos a participar, pelo voto, desta que é chamada a festa da democracia! E esta festa tem a virtude de reafirmar o princípio maior da igualdade entre os cidadãos, pois oportuniza o exercício de um direito que é igual para todos. O voto de cada eleitor tem o mesmo peso, independentemente de qualquer condição pessoal.

E porque enfatizo este particular aspecto?

Eu o faço para lembrar que neste domingo teremos a oportunidade ímpar de decidir, com o nosso voto, sobre os rumos e o destino da nação.

Não abramos mão desta chance! Não deixemos que os outros decidam por nós.

O que define os eleitos é o conjunto de votos válidos, isto é, o total dos votos contabilizados nas urnas com exclusão dos votos nulos e dos votos em branco.

Compareça amanhã à seção eleitoral e vote com consciência.

E que retornem ao dicionário de nossa vida cívica palavras como diálogo e tolerância. Somos uma sociedade plural, o que nos enriquece como povo. É legítimo e saudável que todos exerçamos nossas escolhas, observadas as regras do jogo democrático, mas o façamos com olhos de ver quem pensa diferente de nós como alguém que merece nosso respeito! Como nós merecemos respeito. Seguramente todos queremos um Brasil melhor!

A Democracia não é obra acabada. É conquista diária, está em permanente construção. Nós, da Justiça Eleitoral, estaremos trabalhando para garantir o exercício da sua liberdade de escolha, com o sigilo do voto e sem embaraços.

Uma palavra, ainda, sobre a segurança e confiabilidade do nosso sistema eletrônico. As urnas eletrônicas têm sido usadas há vinte e dois anos nas eleições sem sequer um caso comprovado de fraude. Trata-se de instrumento concebido pela equipe técnica do TSE, aperfeiçoado ao longo do tempo, a partir inclusive de testes públicos, de modo a garantir um processo íntegro, ágil e auditável.

Que o passo que será dado amanhã, com o voto consciente e livre de cada um, fortaleça a democracia brasileira, na construção da sociedade justa, solidária e fraterna que todos almejamos, e está estampada na Constituição Cidadã, que ontem completou trinta anos!

Bom voto a todos!

Ministra Rosa Weber

Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

Nenhum comentário:

Postar um comentário