terça-feira, 19 de abril de 2016

Senadores prensam Renan para que forme hoje mesmo a Comissão Especial do Impeachment

Renan Calheiros manobra para dar tempo ao governo Dilma. Ele fala em concluir o processo no dia 21 de setembro, mas, se puder, deixará tudo para o último dia do governo do PT. O problema são os "russos", porque a imensa maioria do Senado que Dilma fora do governo, já. 

Como aconteceu na Câmara, o Senado também precisa formar uma comissão especial, com 21 senadores titulares e 21 suplentes para analisar a denúncia.

Alguns senadores na sessão de hoje, terça, logo depois da leitura. 

O presidente Renan Calheiros quer dar um prazo de 48 horas para que os líderes dos partidos indiquem os senadores. 

Com a escolha do presidente e do relator, a comissão é instalada e vai ter 10 dias úteis para fazer e votar um parecer admitindo, aceitando ou não o processo de impeachment. Em seguida o texto vai ser lido e votado pelo plenário do Senado. Se for rejeitado, acabou, o processo de impeachment da presidente é arquivado. Se for aprovado por maioria simples, metade mais um dos senadores presentes, a presidente Dilma vai ser notificada e afastada por até 180 dias e o vice Michel Temer assume a presidência interinamente.


O Supremo Tribunal Federal determinou que o rito a ser seguido no impeachment seja o mesmo usado no afastamento do então presidente Fernando Collor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário