quinta-feira, 7 de junho de 2018

Cesta básica de Porto Alegre subiu 1,73% em maio sobre abril


O Dieese, Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, informou esta tarde que a cesta básica em Porto Alegre subiu R$ 7,44 em maio sobre abril. A alta de 1,73% foi influenciada principalmente pelo tomate, que sofreu reajuste de 15,52% no período, e a batata (12,93%). 

Com a elevação dos preços, a capital gaúcha ficou com a 4ª cesta básica mais cara do País (R$ 437,73), atrás apenas do Rio de Janeiro (R$ 446,03), Florianópolis (R$ 441,62) e São Paulo (R$ 441,16). 

Para consumir produtos básicos na alimentação, o salário mínimo dos porto-alegrenses deveria ser de R$ 3.747,10, 3,93 vezes o salário mínimo nacional, de R$ 954,00. Em maio, o valor da cesta básica representou 49,87% do salário mínimo líquido, contra 49,03% em abril de 2018 e 53,44% em maio de 2017. O trabalhador com rendimento de um salário mínimo necessitou, em maio, cumprir uma jornada de 100 horas e 56min para adquirir os bens alimentícios básicos.

Isso porque, no período, dos 13 produtos que compõem a cesta básica, seis ficaram mais caros: o tomate (15,52%), a batata (12,93%), a farinha de trigo (2,68%), o pão (2,38%), o leite (1,40%) e o óleo de soja (1,05%). Já sete alimentos sofreram redução nos preços: arroz (-5,06%), açúcar (-3,74%), feijão (-2,21%), manteiga (-1,93%), banana (-1,07%), carne (-0,43%) e café (-0,13%).

Nenhum comentário:

Postar um comentário