sábado, 18 de agosto de 2018

Artigo, Marcelo Aiquel - Os desesperados


         Já faz um tempo que – completamente desestabilizados – os lulopetistas tem protagonizado trapalhadas dignas de uma “comédia pastelão” (ou seria uma comédia “mortadela”?)
         Falo do festival de asneiras jurídicas escritas pelo seu advogado principal (o engomadinho); dos mais de 100 Habeas Corpus impetrados (incluindo aí, aquele golpe patrocinado por W. Damous e P. Pimenta com o apoio indispensável do petista Rogério Favreto), todos negados; e do desrespeito com que os petralhas (me refiro aos politicamente importantes, e não á “ralé” bolivariana) tratam o Judiciário brasileiro. Numa interpretação parcial destes, só entoam “vivas” á Justiça, quando (e só nesta hipótese) esta atende a algum dos esdrúxulos pedidos do seu chefe.
         Mas, no momento em que se imagina o fim dos ridículos e risíveis requerimentos, surgem mais dois (isso já beira a psicopatia!):
         No primeiro, os advogados do preso condenado pediram o desbloqueio de R$ 16 milhões, referentes ao patrimônio de Lula.
         Só que (num lance de amadorismo puro, assim como a tal certidão de bons antecedentes) o próprio PT declarou á Justiça Eleitoral que o patrimônio do “safado” é de R$ 7,9 milhões. E onde fica a diferença (R$ 8,1 milhões á maior, em prol do condenado preso)?
         É muita mentira; é estelionato caracterizado!
         A segunda não passa de desespero total: “arranjaram” um cobaia/laranja para impugnar a candidatura de Bolsonaro. O argumento é hilário. Que o candidato Bolsonaro seria réu perante o STF.
         No eventual caso de sucesso – automaticamente – esta impugnação sepultaria a intenção do Lula “safado” de concorrer.
         NUNCA VI TANTA BURRICE JUNTA!
         E, mais: com 13 candidatos registrados, somente a candidatura do favorito foi impugnada?
         Nem nos “Trapalhões” (programa de humor da Rede Globo) assisti a tamanha trapalhada.
         Na realidade, não é trapalhada não.
         É desespero!

Nenhum comentário:

Postar um comentário