sexta-feira, 18 de janeiro de 2019

Artigo, Marcelo Aiquel - Os "causídicos"


         Esta gente – metida a comentar o que não entende – só faz “lambança”.
         Depois de “darem pitacos” na área médica, fizeram um verdadeiro carnaval (fora de época) com a decisão do Ministro do STF, L. Fux, que suspendeu temporariamente o inquérito instaurado contra Queiróz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro.
         Jornalistas despreparados e (principalmente) bolivarianos de plantão saíram criticando a decisão, mesmo sem alcançar um mínimo de conhecimento jurídico.
         O Brasil vive um momento tenso. Muita gente quer liberdade, sem se dar conta que liberdade só funciona com responsabilidade. Ou seja, liberdade sem responsabilidade é igual a Romeu e Julieta (o doce) sem queijo. Ou, goiabada!
         Escrever ou comentar sem o menor conhecimento de causa torna o critico inconfiável, aquele que – similar á um papagaio – só diz ‘o que ouviu’, fazendo parte da turma do “disseram e eu acreditei!”.
         Assim se criam as temidas o odiadas “fake news”.
         Há que se responsabilizar quem – marotamente – repassa informação errada sob a proteção do “disseram”.
         Agora, se você ficou esperando para saber por que razão os comentários não procedem (especialmente as críticas), é fácil:
         Pergunte á um BOM advogado e ele lhe esclarecerá!
         Deste modo você só dirá besteiras se quiser. Ah, o “tio” Google não ensina esta.
         Pague uma consulta e procure ser responsável.
         Afinal, nem relógio trabalha de graça.

3 comentários:

  1. Se o Flávio Bolsonaro estiver falando a verdade, o que acho provável, o sigilo dele foi quebrado sem autorização judicial, o que torna nulo o inquérito feito. Pior ainda, o Ministério Público, no caso, está trabalhando politicamente...

    ResponderExcluir
  2. Estranho e' a Rede Globo gastar todo o seu tempo de programação fazendo comentários e elucubrações maldosas, querendo dar importância a um fato corriqueiro que acontece em todos os meios politicos do Brasil com a clara intenção de queimar o nome Bolsonaro na Mídia, mesmo sabendo que pode colocar a sua concessão em risco.
    Tudo bem que a origem do fato pode ser a criação de "caixinhas" feitas pelas assessorias de politicos para ajudar este ou aquele membro, ou a compra de um bem, carro, apartamento ou geladeira. Ou até o próprio partido. Foi assim que começaram os grupos de Consórcio no País! O próprio PT desenvolveu a massificação do emprego-cabide de seus militantes obrigando-os a doarem parte de seus vencimentos ao partido na forma de descontos mensais. Foi assim que ele, um Partido Nanico arrotava como um gigante.

    Mas o que a grande massa ignara desconhece, e a Mídia omite, e' que quem está na cabeça desta lista de movimentação suspeita não é a assessoria do PSL mas sim, a assessoria do PT que movimentou mais de 30 milhões enquanto no PSL foram 800 mil!

    ResponderExcluir
  3. Advogado só pensa em dinheiro. Nunca em verdade ou ensinar.

    ResponderExcluir