domingo, 8 de setembro de 2019

Não temos mais uma ordem jurídica


Os últimos  atos infames de Raquel Dodge, praticados na sua vexaminosa despedida da Procuradoria-Geral da União, engavetando 5 investigações referentes ao irmão de Toffoli e ministros do STJ e TCU, confirma inteiramente a nossa realidade institucional:  O Brasil não é mais regido pelo princípio de que todos são iguais perante a Lei.
Isso acabou.

A nossa ordem jurídica foi quebrada.  O presidente do Supremo Tribunal Federal, os presidentes da Câmara e do Senado e a procuradora-geral da República definitivamente EXCLUÍRAM de qualquer investigação, denúncia e, portanto, punição, as ALTAS AUTORIDADES E SEUS PARENTES E AMIGOS, tenham elas praticado corrupção no passado, no presente e quando vierem a fazê-lo  no futuro.  

A blindagem é total promovida pelo STF, PGR e  Congresso, todos empenhados na impunidade ampla, geral e irrestrita para os donos do poder.

Os CHEFES  dessas instituições não estão mais a serviço do povo brasileiro, mas de seus próprios interesses. Protegem-se da aplicação da lei penal, face aos crimes de corrupção que eles próprios cometem e as demais altas  autoridades da República.
A nomeação do novo Procurador Geral, face ao seu curriculum, as articulações, as apadrinhagens e  as claras intenções de não dar qualquer prioridade à Lava Jato, demonstra que o esquema da impunidade  já completou o seu sinistro círculo .  

O assalto aos cofres públicos está plenamente institucionalizado.

Que a indignação geral da Nação com todas essas falcatruas oficiais  nos fortaleça para revertermos essa situação inaceitável a que estamos subjugados por força e obra dos marginais que dominam as instituições - que deveriam prezar e aplicar a lei para todos.

5 comentários:

  1. Parabéns pelo abalizado e verdadeiro texto! Sinto-me representado no que gostaria de dizer sobre a institucionalização do assalto aos cofres públicos. Tenho que é chegada a hora de endurecer o regime para os interesses maiores dos brasileiros serem respeitados.

    ResponderExcluir
  2. Grande patriota w cultura o modesto Carvalhosa. O Brasil precisa ler os artigos deste homem de saber.

    ResponderExcluir
  3. Nosso exército brasileiro fica assistindo essa sacanagem toda como se nada pudesse fazer
    Prá quê serve esse STF,eles e quem governam o país,,,
    O povo brasileiro nunca escolheu nem aprovou as escolhas feitas.
    Deviam punir os idiotas que puderam eles lá

    ResponderExcluir
  4. A solução que resta é o regime de exceção, com prisão de todos os suspeitos, dissolução do Congresso e Supremos e Superiores Tribunais, criação de um Tribunal Militar de Exceção, Julgamentos sumários, novas eleições em 6 meses para um Parlamento a ser instituído por nova lei, não podendo concorrer que já tiver condenação e criação do regime Monárquico, levando-se o Príncipe herdeiro D. Bertrand de Orleans e Bragança à posição de Imperador do Brasil.

    ResponderExcluir