terça-feira, 7 de julho de 2020

Artigo, Alon Feuerwerker, FSB - Achamento longo

Sempre é possível a surpresa, e elas têm acontecido, mas o Brasil parece mesmo ter achatado a curva de mortes. Ainda que num patamar altamente desconfortável.
É o que mostra o gráfico do Financial Times (veja abaixo) com a escala logarítmica da média móvel de óbitos dos sete dias mais recentes.
O gráfico mostra a comparação entre países de certa dimensão que estão agora no olho do furacão.
Já os Estados Unidos, que vinham pior, parecem ter fletido para baixo a curva. Ainda que de modo suave.
Resta torcer para que embiquemos logo para baixo, graças inclusive a não ter havido entre nós até agora - que continue assim - colapso hospitalar, inclusive nos cuidados intensivos.
O mais realista, porém, será adotar planejamentos para um achatamento longo.
Já saímos do trecho exponencial, mas não levamos jeito de sair tão cedo do trecho com cara de progressão

Nenhum comentário:

Postar um comentário