quarta-feira, 6 de junho de 2018

Artigo, Dagoberto Lima Godoy - Dupla falta


No esporte do tênis, comete dupla falta o jogador que desperdiça duas vezes seguidas a vantagem do saque.  No jogo da vida, a Assembleia gaúcha cometeu dupla falta ao não permitir a realização, junto com as próximas eleições,  do plebiscito sobre a privatização de estatais.
Primeiro, recusou-se a ouvir a manifestação soberana da vontade popular, a única fonte legítima do poder democrático. Essa atitude reacionária compromete seriamente a legitimidade daquela que chama a si própria de “A Casa do Povo” e põe em cheque os mandatos dos deputados que se negam a ouvir os eleitores. Ah! Se tivéssemos aqui a figura do “recall”, do direito americano, que garante a possibilidade da revogação de mandatos eletivos por votação popular!
Em segundo lugar, reafirmou a visão equivocada quanto à função do Estado nas democracias modernas, da economia movida por empreendedorismo, capacidade de inovação e  competitividade em escala global. A Assembleia reincide no atavismo positivista do século XIX, preferindo garantir votos de corporações dependentes de estatais de duvidosa competência, em lugar de apoiar os esforços deum governador corajoso para recuperar as combalidas finanças de um estado que só consome e nada investe para retomar o desenvolvimento.
Menos mal que não nos cassaram também o direito de votar em representantesmais esclarecidos e dispostos a ouvir e a respeitar, sempre, a vontade de seus eleitores.

- O autor é cidadão gaúcho.

6 comentários:

  1. 1) "Primeiro, recusou-se a ouvir a manifestação soberana da vontade popular" - o governo teve todo o mandato para fazer essa consulta, inclusive com uma eleição para prefeito durante o mandato o que tornaria menor os custos, e decide fazer nas vésperas da eleição.
    2) "Em segundo lugar, reafirmou a visão equivocada quanto à função do Estado nas democracias modernas" - estranho é que as empresas interessadas em comprar as estatais gaúchas também serem estatais de outros países (talvez com gestores sérios e comprometidos).
    Partimos para o final melancólico de um governo que, no começo, parecia cheio de boas ideias mas que somente fechou turmas de escola, liquidou com serviços públicos (a PM só tem alguns carros graças a empresários que fizeram doações), parcelou salários e quer aderir a um Regime que tornará a divida com a União impagável, enfim acho que há algum interesse inserido nesse contexto, fica o questionamento.

    Também sou cidadão gaúcho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. senhor Anderson é petista? e/ou servidor público ? votou no Tarso? responda e depois prosseguimos o debate...astor wartchow - oabrs 25837

      Excluir
    2. Obrigado pelo diálogo. Sim, na minha visão, há um interesse inserido nesse contexto: o interesse público.

      Excluir
  2. senhor Anderson é petista? e/ou servidor público ? votou no Tarso? responda e depois prosseguimos o debate...astor wartchow - oabrs 25837

    ResponderExcluir
  3. Há interesse sim, interesse apenas empresarial. Quanto Vale a CEEE? Querem entregar a Sulgas que é altamente lucrativa. Queriam vender metade do Banrisul por dois bilhões sendo que dá lucro de um bilhão por ano. Malandros, querem modernizar os bolsos. Tenham vergonha. Sejam honestos.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns Godoy, a luta pela modernização dos costumes relativos à gestão pública será longa e ainda nos causará muitos dissabores e prejuizos ao Rio Grande do Sul.

    ResponderExcluir