segunda-feira, 3 de setembro de 2018

Chanceler do Brasil diz que Lula é "o bom selvagem" e engana figurões em fim de carreira na Europa


Chanceler do governo Temer, o tucano Aloysio Nunes concedeu uma entrevista corajosa ao Valor, em que desmascara pretensos líderes internacionais, como François Hollande, Jose Luis Zaopatero e Massimo D'Alema, a quem chamou de políticos em fim de carreira, tudo porque eles mentiram descaradamente o seguinte: Lula é preso político.  Disse o chanceler:

- Alguns figurões em fim de linha, na Europa, escreveram um abaixo-assinado defendendo o Lula. Quem? O [ex-presidente francês] François Hollande, que não teve condições de concorrer à reeleição pelo Partido Socialista; o Massimo D'Alema, um dos responsáveis pela vitória da direita na Itália, porque rachou o Partido Democrático; o [espanhol] José Luis Zapatero, amigo do [venezuelano Nicolás] Maduro. Têm a audácia de insinuar que o Poder Judiciário no Brasil é incapaz de julgar. Respondi de forma dura e fui objeto de críticas injuriosas pela bancada do PT no Senado. Ninguém se levantou para sustentar minha posição. O que isso mostra? Que os partidos brasileiros não se interessam por política externa, mesmo quando ela é vital para os interesses domésticos do Brasil", disse ele.

Aloysio também criticou o Comitê de Direitos Humanos e as vozes internacionais, todas contaminadas, que dizem o mesmo. Na sua visão, os que denunciam a perseguição a Lula acreditam no mito do "bom selvagem":

- O Lula é um excelente produto para venda no exterior. Mas também porque existe, nesses meios, um terceiro-mundismo que presta homenagem ao Lula para expiar os pecados cometidos no passado. O [ex-presidente francês Jacques] Chirac era doido pelo Lula. O [George W.] Bush era a mesma coisa. É uma espécie de mito do bom selvagem. Você pega o francês "Le Monde", "The New York Times" e é isso. O Lula se encaixa perfeitamente no mito."

Nenhum comentário:

Postar um comentário