quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

Artigo, Arthur Morrinson - A França, um País de vagabundos que não gostam de trabalhar


Será que os franceses entenderam que não existe almoço grátis, que uma hora a conta chega e que Social democracia - Socialismo - é uma desculpa para extorquir dinheiro deles mesmos??? Eu acho que não.
Segue um texto que achei muito bom! 👇👇👇
Um resumão do caos na França:
A França é um país de política notoriamente socialista que abraçou o multiculturalismo.
O país se entupiu de imigrantes muçulmanos refugiados, atitude essa defendida pela enorme maioria dos franceses.
Com as cidades cheias de imigrantes, a quantidade de mendigos e gastos com refugiados aumentou vertiginosamente.
O lixo triplicou e o turismo diminuiu.
O governo assumiu todo o assistencialismo, e refugiados com mais filhos acabavam recebendo maiores "benefícios"
O povo francês começou a bancar os imigrantes que, a medida que tinham o benefício garantido, ficavam perambulando pelas ruas na vagabundagem.
Macron, um típico social-democrata, teve que subir os impostos (nos combustíveis) para a conta fechar.
Só que, pra piorar a situação, o governo MENTIU alegando que o aumento era em prol do meio ambiente e dos problemas climáticos.
O povo, com ampla mentalidade de esquerda, ficou puto, mas não com as atitudes de um governo social-democrata, e sim com a figura do presidente.
Ao invés de perceberem de onde sai a grana para bancar todo esse assistencialismo, consideraram que Macron governa pra uma elite e continuaram clamando por mais estado intervindo diretamente na economia.
Das principais reivindicações dos coletes amarelos estão:
-volta do imposto sobre grandes fortunas
-fim da política de austeridade fiscal, ignorando a dívida considerada ilegítima
-manutenção de jornadas de trabalho de 35h semanais
-ir contra qualquer reforma previdenciária e trabalhista
-aumento do salário mínimo para 1300 euros
-nenhuma pensão abaixo de 1200 euros
-aumento do assistencialismo
-sindicato manterem privilégios
-aumento do protecionismo para favorecer o comércio interno
-mais estacionamentos gratuitos nos centros das cidades
-sistema de segurança social para todos
-fim do trabalho desvinculado
-limitar contratos em grandes empresas
-criação de centros de acolhimento para refugiados e asilos
-implementação de uma política de integração real com curso obrigatório de francês, história da França e educação cívica
-criação de empregos
-serviços mais baratos para estudantes
-mais meios para a psiquiatria
-nacionalização do setor elétrico
-que as grandes corporações com Amazon, McDonald's, Google, Carrefour paguem mais impostos
Ou seja, querem um estado mais paternalista e esperam que isso não encareça seu custo de vida.
É como tirar o PSDB do poder e colocar o PSTU.
Meu anjo, eu também quero ser um galã gostoso e milionário, casar com a Gal Gadot num iate em Punta del Este com Terry Crews como mestre de cerimônias, mas não é assim que funciona...
No fim, só há uma coisa que o francês tem mais que o brasileiro...
Tem mais é que se lascar!


2 comentários:

  1. OS FRANCESES VÃO CHEGAR LÁ! ESTAVAM QUASE CHEGANDO COM MADAME LE PEN! MAS FORAM ENGABELADOS PELOS BANQUEIROS GLOBALISTAS QUE INVENTARAM UM CANDIDATO CHAMADO MACARRÃO! E AÍ DEU NISSO! É CLARO QUE A MAIORIA DOS FRANCESES DETESTAM REFUGIADOS NEGROS E ARABES! TANTO NAS GRANDES CIDADES PELA VIOLÊNCIA, DESEMPREGO E QUANTIDADE, BEM OCMO NO INTERIOR, PELO MAIOR NACIONALISMO E MEDO DESSA GENTE! COMO NÃO HÁ PARLAMENTARISMO, TERÃO QUE ESPERAR MAIS 2,5 ANOS PARA VOTAR NA MADAME DE DIREITA! AÍ TEREMOS CONTROLE DE ESTRANGEIROS, CONTROLE DE GASTOS, DE BUROCRACIA, DE PRÁTICAS COMUNOGLOBALISTAS!

    ResponderExcluir
  2. Kkkkk adoro iate em Punta del este....

    ResponderExcluir