sábado, 8 de dezembro de 2018

Condenados em função da Operação Solidária, Canoas

O juiz federal Guilherme Beltrami, titular da 7ª Vara Federal de Porto Alegre, TRF4, condenou 15 pessoas acusadas de fraudar licitações de merenda escolar em Canoas, na Região Metropolitana. A denúncia tem origem no inquérito da Polícia Federal, de 2007, que deu origem à Operação Solidária, que resultou em diversas ações criminais e civis públicas. 

As penas vão de dois a 17 anos de prisão. A de 17 anos alcançou Francisco Fraga, ex-secretário do ex-governo tucano de Canoas.

Os condenados:

Francisco José de Oliveira Fraga, ex-secretário de Governo de Canoas;
Marco Antônio de Souza Camino, sócio da empresa Mac Engenharia; Jandir dos Santos Ribas
representante da empresa CC Pavimentadora e sócio proprietário da empresa Ribas Construtor;Geraldo Félix Penna, sócio de holding formada por Pavicon, AGCM, Britasinos, Concrecinos, Riegel & Pena e Astrasan; Luiz Carlos Kraemer Campos
engenheiro civil, diretor e responsável técnico da Engeplus Engenharia e Consultoria;Neide Viana Bernardes, diretora e sócia da Han Sistemas, que presta serviços para a Magna Engenharia;Varner Martins Araújo, coordenador-técnico da Unidade de Execução de Projetos do Pró-Canoas, sendo identificado como secretário municipal de transportes e serviços públicos; Vilson Flores Busnello
sócio diretor da Toniolo Busnello; Nelson Sperb Neto, sócio diretor da empresa SBS Engenharia e Construções; Woodson Martins da Silva, ex-diretor administrativo da empresa Mac Engenharia; Adejalmo Figueiredo Gazen, atuou como sócio da Magna Engenharia; Edgar Hernandes Cândia


sócio da Magna Engenharia; Fábio Lucas de Oliveira Bueno, empregado da ACL Assessoria & Consultoria, na função de Gerenciamento de Projetos; Orgel de Oliveira Carvalho Filho, empregado da Magna Engenharia; Flávio José Vitelo Schutt, ex-CC da prefeitura de Canoas, tendo exercido função de fiscal de obras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário