quarta-feira, 18 de maio de 2022

A nota da Sociedade de Engenharia do RS sobre eleições limpas

 A Sociedade de Engenharia do RS - SERGS, entidade apartidária que há 91 anos labuta para o aprimoramento da Engenharia a serviço do bem comum, defendendo a liberdade, a democracia e o combate à corrupção e às regalias, gêneses das mazelas que impedem o Brasil de erradicar a miséria e se tornar um país de fato civilizado, vem convidá-lo para o evento SERGS DEBATES, que abordará o importante tema: O SISTEMA ELEITORAL BRASILEIRO E A CONFIABILIDADE DA URNA ELETRÔNICA, que será realizado em 19/05/2022, das 17h às 19h, por videoconferência.


Sendo o voto secreto a essência da democracia, é crucial que sua apuração, como manda a Constituição, seja pública e auditável para que se tenha a plena confiança dos eleitores. Hoje existem na sociedade inúmeras e seguidas denúncias e dúvidas quanto a sua confiabilidade, e por isso o sistema tem sido fortemente contestado por significativos setores da sociedade, a ponto de pôr em risco a credibilidade do nosso processo eleitoral e do regime democrático que decorre dele.


Neste contexto, existe a aprovação pelo Congresso de três leis determinando a obrigação da auditabilidade do processo eletrônico, não cumpridas por determinação do Supremo Tribunal Federal.


Na área de segurança de informações e cibersegurança, diz-se que um sistema que não tenha mecanismos que possam confirmar a sua segurança é considerado inseguro. A segurança do sistema eletrônico de votação precisa ser garantida de forma inquestionável, o que poderia ser feito através da adição de um mecanismo simples de contraprova auditável.


A dúvida sobre a confiabilidade do processo eleitoral poderá ensejar a contestação da legitimidade de seu resultado. Isto poderá acarretar um ambiente político instável, nocivo a nossa necessidade da retomada do desenvolvimento econômico, que é o fundamento para que possamos atender as nossas demandas sociais e reduzir as desigualdades.


Para discussão e avaliação deste importante assunto, a Sociedade de Engenharia do Rio Grande do Sul pretende reunir os seguintes grandes especialistas, de renome nacional, envolvidos no tema nas áreas técnicas e jurídicas, a fim de analisar o cenário das urnas eletrônicas, sua confiabilidade e os pontos de atenção a serem considerados:


Eng. Carlos Rocha – Presidente do Instituto Voto Legal, um dos desenvolvedores da urna eletrônica

Prof. Paulo Lício de Geus – Instituto de Computação – UNICAMP - Ph.D., Manchester University, Inglaterra

Deputado Federal  Filipe Barros – Relator da PEC do Voto Impresso

Prof. Ives Gandra Martins – Advocacia Gandra Martins

Alexandre Garcia – Jornalista e comentarista

•    General Heber Garcia Portella – Comandante do ComDCiber Comando de Defesa Cibernética das Forças Armadas

Mediador Eng. Luis Roberto Andrade Ponte – Presidente do Conselho Deliberativo da SERGS


O link para participação do evento por videoconferência é http://sociedadedeengenhariars.com.br/LIVE

2 comentários:

  1. EXCELENTE QUE ESTEJAM FALANDO E DISCUTINDO, ISTO NÃO PODE FICAR ASSIM, IR PARA O MATADOURO ELEITORAL, CONCORDANDO EM SER DECAPITADO.

    POLIBIO EU FUI UM DOS QUE RECLAMEI DO FUNDO COLORIDO QUE DIFICULTAVA A LEITURA DO TEXTO,OBRIGADO!

    ResponderExcluir
  2. Meu comentário em realidade são alguns questionamentos sobre: quais ações o SENGE pretende fazer chegar aos órgãos superiores as conclusões deste debate? Quais outros fóruns nacionais de peso politico estarão alinhados com estas conclusões?

    ResponderExcluir