segunda-feira, 15 de abril de 2019

Ingerência indevida na Petrobras


Se o governo tem a intenção de conter as tarifas artificialmente, precisa dizer de onde virão os recursos necessários, sem impor a conta do prejuízo à estatal petrolífera

A semana começa sob o impacto de uma das maiores quedas recentes do valor de mercado da Petrobras, resultante da inoportuna intervenção do presidente Jair Bolsonaro no preço do diesel. Com a intromissão indevida, o presidente da República contraria frontalmente a defesa do livre mercado de seu ministro da Economia, Paulo Guedes. A atitude chega a lembrar as da ex-presidente Dilma Rousseff, que impôs prejuízos consideráveis à estatal brasileira com sua política intervencionista. Além de tumultuar um mercado sensível como o de combustíveis, a mais recente decisão nessa área, tomada na última quinta-feira à noite, provocou perdas bilionárias nas ações da empresa e encurtou suas receitas, o que é uma temeridade.

Preço de combustível não pode se prestar para demagogias, pois os danos costumam ser irrecuperáveis, e não só para os acionistas. Normalmente, a conta acaba recaindo mais tarde sobre os consumidores. É compreensível que, com a sua queda de popularidade, em boa parte devido à falta de articulação entre os que assumiram o governo em janeiro, o presidente se esforce por contentar uma categoria influente como a dos caminhoneiros. É óbvio também que o país não pode dar margem a qualquer possibilidade de repetição da greve que, entre maio e junho do ano passado, praticamente paralisou o país, gerando consequências que até hoje não foram contornadas. Nada justifica, porém, que o presidente, eleito sob a alegação de ter revisto seu discurso intervencionista, passe a interferir em decisões que são de mercado.

4 comentários:

  1. A torcida da Zero Hora para que haja uma nova greve dos caminhoneiros é impressionante. Parece que quanto pior melhor para a Zero Hora. Por quê?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A oposição -coitada- raciocina segundo a velha tática do quanto pior melhor. Assim, quanto maior o caos mais querem apossar-se dos corações e mentes dos incautos.

      Excluir
  2. É só vender a Petrobrás e permitir a livre concorrência no mercado de petróleo que tudo será resolvido!

    ResponderExcluir